sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: RECORD, CORTESIA
ISBN: 9788501111135
GÊNERO: ROMANCE
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 280
SKOOB

O maravilhoso bistrô francês é um livro diferente de tudo que já li, no que se trata de romances. Confesso que a maior parte dos livros que me atraem geralmente tem temáticas mais juvenis, e os próprios personagens não passam da fase adulta. Foi uma surpresa um tanto agradável para mim ler algo tão fora da minha zona de conforto, com personagens mais maduros e me fez perder alguns preconceitos que tinha com enredos desse tipo.

O livro nos conta a história de uma senhora de 60 anos, Marianne, que viveu toda uma vida de abusos com um marido controlador que a impedia de seguir seus sonhos e fazer qualquer coisa que gostasse e a fizesse feliz. Ao longo dos anos, Marienne foi perdendo toda e qualquer vontade de viver, afinal ela mesma não tinha poder de escolha sobre nada em sua vida, até que chega a uma decisão apenas sua: ela decidiu morrer.

Porém, mesmo essa escolha acabou sendo frustrada por um estranho que a resgata do Rio Sena e ela se vê em uma cama de hospital com seu marido, mais uma vez, mais preocupado com o gasto que teria com ela e a vergonha que passaria quando se visse envolvido em uma notícia de tentativa de suicídio do que com a própria esposa. É então que, corajosamente, Marianne decide fugir e leva consigo apenas sua bolsa e um azulejo representando o Porto de Kerdruc, lugar pelo qual ela fica fascinada.

É durante a viagem para esse lugar e, mais ainda, na cidade de destino, que Marianne descobre as surpresas que a vida tem reservado para ela. São as inúmeras coincidências e surpresas que ela encontra que a fazem começar a descobrir o que é viver.

Narrado em terceira pessoa, sem um ponto de vista fixo – o que pode ser um pouco diferente, mas nem um pouco desagradável -, esse romance nos traz uma história diferente, mas com muito poder de reflexão. Logo nas primeiras páginas nos vemos envolvidos com a história de Marianne e até ficamos com certa raiva pelo modo como é tratada. Suicídio não é um tema fácil de se tratar, mas ainda menos fácil é falar sobre uma vida de abusos de uma mulher e me compadeci profundamente pelo que Marianne viveu. Continue lendo »

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 4,5/5
EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA
ISBN: 9788501110817
GÊNERO: JOVEM ADULTO
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 378
SKOOB

Existem livros que nos passam despercebidos e existem livros como O ódio que você semeia, que trazem histórias fortes, com realidades que precisamos conhecer e que nos propõem reflexões muito importantes. Assim que bati o olho na sinopse do livro de Angie Thomas, fiquei com vontade de realizar a leitura. A história dialoga principalmente com o público adolescente, mas mesmo que você não faça parte dessa faixa etária, vale muito a pena dar uma chance ao livro.

Aqui, conhecemos a história de Starr, que se divide entre dois mundos. Ela é uma garota de 16 anos, negra, que mora em um bairro marginalizado, marcado pela disputa de gangues, com moradores que não encontraram muitas oportunidades na vida e muitas vezes acabaram na criminalidade. Seu pai é dono de um mercado da região e as condições da família permitem que ela e seus irmãos estudem em uma escola melhor, elitista, com poucas crianças negras.

Starr passa seus dias entre os dois bairros e as duas realidades e sente que não consegue ser ela mesma em nenhum dos dois. Na escola, ela precisa agir de acordo com o que é esperado dela: pacífica, tranquila, sem nenhum traço de contestação que a remeta ao gueto. Já no bairro onde mora, ela evita falar de seus amigos e namorado, que são brancos, para que seus dois mundos não colidam.

Tudo isso muda quando Starr está em uma festa no gueto e reencontra seu amigo de infância Khalil. Eles acabam fugindo juntos de um tiroteio e, enquanto ele está levando ela para casa, são parados por um policial branco na estrada. Starr sempre foi alertada sobre como agir com policiais. Mesmo sem dever nada à polícia, ela sabe que é preciso evitar movimentos bruscos, responder à tudo o que os policiais perguntarem, obedecer a cada pedido. Khalil parece não ter o mesmo entendimento sobre o assunto e um pequeno erro faz com que ele seja assassinado a sangue frio na frente de Starr. É a partir daí que tudo se desenrola.

Quando foi morto, Khalil não estava portando drogas em seu carro, não agiu contra o policial, não fez nada de errado. O seu erro foi a cor da sua pele. O preconceito, que é sempre tão velado, levou à sua morte. Starr é a única testemunha e agora precisa decidir até que ponto poderá se envolver na história e fazer justiça pelo amigo. Quando o caso começa a ganhar importância na imprensa, o peso dessa decisão fica ainda mais intenso. Continue lendo »

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA
ISBN: 9878501110886
GÊNERO: ROMANCE, JOVEM ADULTO
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 389
SKOOB

Doze romances, uma escolha

Sou virginiana, com ascendente em Câncer e Lua em Touro (quase gêmeos) e eu sou a louca dos signos! Sim! Temos até uma prática, muito saudável, de bullying do zodíaco! Então, para mim, a autora Ray Tavares acertou em cheio ao escrever esse livro. Sem contar que ela também é Potterhead. Muito amor num humano só! (mesmo sendo ariana, rs).

Bem, vamos ao livro!

Isadora, estudante de jornalismo na ECA-USP, tem um relacionamento de uns 6 anos com Lucas. Parece tudo normal, até que em sua festa de aniversário ela descobre que esta sendo traída com sua melhor amiga da faculdade. Seu mundo desaba. Sua vida vira uma rotina de tristeza e comidas gordurosas em um quarto fechado.

A chamada para aventura, na verdade para sair da fossa, foi de sua prima Mariana: um convite para ir para a balada e refrescar a cabeça. E como toda aventura furada é pouca, Isa se embebeda e se mistura com a galera, dando um perdido em sua prima. Sem nenhuma coordenação motora e senso de direção, acaba a balada no banheiro, quase como um pedido de socorro. É nesse momento que conhece Marisa, faxineira do local, que introduz sua sabedoria milenar sobre astrologia para Isadora: seu relacionamento não deu certo porque ela é de aries e ele era de peixes, o inferno astral da combinação!

Na faculdade, Isadora recebe uma atividade para passar em sua matéria favorita: sem se identificar, e através de um pseudônimo, cada aluno devia fazer um blog investigativo. Maquinando as informações que ela estava vendo sobre os signos, Isadora decide fazer um blog sobre isso, com um pouco de criatividade e diferença dos blogs que já tratam sobre o assunto: como é se relacionar com cada um dos doze signos. Sim! Passar o rodo no zodíaco, como ela mesma diz.

Assim nasce Valentina, pseudônimo de Isa, que se transforma em seu alter ego: sedutora, pronta para conquistar o seu objetivo. O blog vira febre na USP inteira e a experiência dá a Isa momentos divertidos, encrencas, risadas e muita reflexão. Continue lendo »

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: BERTRAND BRASIL, CORTESIA
ISBN: 9999097296247
GÊNERO: POEMAS
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 120
SKOOB

Notas sobre ela é um livro diferente de tudo que já li na vida. Não é o tipo de livro que estou acostumada a ler, mas acompanho o trabalho de Zack há tanto tempo (e o amo!) que simplesmente não pude evitar de requisitar à editora um exemplar pra mim. E que livro maravilhoso. Veio no momento certo, era simplesmente tudo que eu estava precisando ler e acho que todo mundo devia ler também, porque é magnífico!

Esse é um pequeno livro de apenas 120 páginas com uma coletânea de poemas sobre as mil situações que passamos na vida, em suas diversas fases. São quatro partes dedicadas a cada uma das fases marcantes da vida: a infância, a juventude, a fase adulta e a velhice. São poemas sobre cada uma dessas fases que nos fazem refletir e representam a cada um de nós em suas linhas.

São poemas sobre crescer e deixar coisas pra trás, sobre amor não correspondido, sobre as primeiras festas e primeiras desilusões, primeiras amizades e primeiras perdas, sobre dúvidas, sobre o futuro, sobre recomeços e novos sonhos e aproveitar a vida e envelhecer.  Falam de vida, de tudo que vivemos nela, todas as decepções e todas as alegrias. É um livro sobre nós (mulheres) e para nós. É impossível que você não se identifique com ao menos um dos poemas aqui narrados. Eu me relacionei com vários deles, e me vi descrita nas linhas poéticas de Zack.

Foto: Larissa Gaigher/ Viagens de Papel

Continue lendo »

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA:  FANTÁSTICA ROCCO, CORTESIA ISBN: 9788568263570 GÊNERO: CONTOS, TERROR, CLÁSSICO PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 224 SKOOB

Confesso que, como a medrosa de carteirinha que sou, sempre tive medo de ler Poe. Não é um dos meus gêneros favoritos, mas eu sempre ouvi falar do brilhantismo do autor e tinha curiosidade por conhecer suas hisClatórias. Eis que a Editora Rocco lança esse volume de contos, adaptado por ninguém menos que Clarice Lispector e a curiosidade foi maior que meu medo. Até porque eu queria saber que tipo de história Poe escreveu pra ter influenciado Sherlock Holmes (meu personagem favorito da vida), ou a rainha do crime Agatha Christie.

O volume reúne alguns contos do autor que, apesar de serem curtos, são muito bem desenvolvidos e mostraram que meu medo de Poe era bem infundado. O gato preto foi de longe o conto mais “pesado”, na minha opinião. É aquele clássico de Poe que quase todo mundo conhece e que mexe com a sensibilidade do leitor, e que apesar de dar aquele sentimento de angústia, nos envolve de uma maneira que não conseguimos deixar de ler até saber o desfecho da história.

Aliás, todos os contos são envolventes à sua maneira. Talvez por terem sidos adaptados por Lispector eles tenham sido mais fáceis de ler, mas o fato é que não tive a dificuldade que achei que teria na leitura. Confesso que fiquei até com vontade de ler algum livro original do autor.

Não vou falar sobre cada conto individualmente pois a resenha ficaria grande e além disso não quero entregar de bandeja tudo o que vocês devem esperar das histórias, o que invariavelmente acabaria acontecendo por se tratarem de histórias bem curtinhas. Continue lendo »

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: ROCCO, CORTESIA ISBN: 978853252352 GÊNERO: FICÇÃO HISTÓRICA, SUSPENSE PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 496 SKOOB

Margaret Atwood foi um dos nomes mais comentados no ano de 2017. Foi ao longo desses meses que tivemos a exibição de The Handmaid’s Tale, adaptação televisiva de sua obra O conto da aia. A série, que estreou pelo canal Hulu, foi sucesso de crítica e levou diversos prêmios, dentre eles o Emmy. Pouco tempo depois, uma nova série chega, desta vez pelo canal Netflix, baseada em outra obra de Margaret: Vulgo Grace. Dos dois livros, o segundo era o que mais me chamara a atenção e foi por onde comecei a mergulhar nesse universo da autora.

Em 1843, Grace Marks, uma empregada doméstica de 16 anos, foi julgada no Canadá pelo assassinato de Thomas Kinnear, seu patrão, e Nancy Montgomery, governanta da casa e amante de Thomas. O julgamento sensacionalista chegou às manchetes de todo o mundo, e o júri a declarou culpada. A opinião pública, no entanto, permaneceu ferozmente dividida em relação à Grace: ela era uma mulher desprezada que descontou sua ira em duas vítimas inocentes, ou era também uma vítima, envolvida involuntariamente em um crime? Alegando não ter nenhuma memória do que aconteceu, Grace passou seus anos seguintes em uma variedade de prisões e asilos, onde era exposta como uma atração bizarra. Em seu esforço para descobrir a verdade, o Dr. Simon Jordan, um jovem médico estudioso de doenças mentais, faz visitas constantes à jovem prisioneira e, em um misto de simpatia e incredulidade, utiliza as ferramentas então rudimentares da psicologia para chegar cada vez mais perto do que realmente aconteceu.

Vulgo Grace foi um dos mais livros mais diferentes que já li nos últimos tempos. Baseando-se em uma história real do período, Margaret escreveu uma história envolvente, que deixa o leitor na curiosidade ao longo de pouco mais de quinhentas páginas. Não vou dizer que seja um livro fácil de ler, pelo contrário. Sua narrativa é densa, o que torna a leitura muitas vezes lenta e difícil de se concentrar. Isso se deve muitas vezes à falta de diálogos e à demora em ter acontecimentos. Porém, a autora sabe criar uma atmosfera do contexto que possibilita que crie um sentimento de expectativa no leitor pelo que vai acontecer. Continue lendo »

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: ROCCO ISBN: 8532520669 GÊNERO: DISTOPIA, FICÇÃO CIENTÍFICA, CLÁSSICO PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 368 SKOOB

Quando começaram a ser divulgadas imagens de uma nova série que prometia chocar os telespectadores com sua história forte e avassaladora, eu fiquei muito interessada logo de cara. Apesar de não saber muita coisa sobre a trama, logo me vi extremamente ansiosa para poder assistir, e quando descobri que se tratava de uma adaptação de um livro, minha vontade de assistir aumentou significativamente. Como sempre costumo fazer, comecei a procurar o livro e para minha alegria, vi que a Editora Rocco estava lançando uma nova edição da história, com uma capa lindíssima; não deu outra, tive que comprar e com certeza foi uma das melhores aquisições que já fiz.

Narrado em primeira pessoa pela nossa protagonista, o título O conto da Aia, escrito pela autora Margaret Atwood, nos introduz em uma sociedade onde as mulheres perderam todos os seus direitos. Na República de Gilead, onde antigamente se encontravam os Estados Unidos, as leis são extremamente severas, e as condutas são baseadas no Antigo Testamento. Devido a graves problemas, a maioria das mulheres acabou se tornando estéril, a as poucas que ainda são férteis tiveram que abrir mão de suas famílias para servir com apenas um único propósito: procriar.

Chamadas de Aias, essas mulheres são designadas à famílias importantes, onde são obrigadas a manter relações com seus comandantes com o intuito de gerar filhos para essas famílias. E a nossa protagonista, Offred, é uma dessas Aias, e vive presa nessa realidade onde ela luta diariamente para se manter sã, com a esperança de encontrar seu marido e sua filha, com quem ela perdeu o contato após ser obrigada a servir nessa realidade doentia.

Continue lendo »

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: RECORD, CORTESIA ISBN: 9788501109736 GÊNERO: THRILLER, TERROR, FICÇÃO HISTÓRICO PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 378 SKOOB

A torre do terror foi um livro que solicitei ao acaso, sem saber muitas informações a respeito. A capa chamara a atenção, como também a sinopse. Apesar disso, não tinha grandes expectativas sobre, uma vez que acreditava tratar-se de um suspense de cabeceira, daqueles estilos passatempo e sem ser algo extremamente marcante. Quando chegou o livro, me surpreendi com o tamanho, mas não fiquei temeroso com a leitura. Pelo contrário, fiquei ainda mais empolgado. E quando iniciei a leitura, a queda dentro dela foi grande. E só parei quando cheguei à última página.

Amy, Piper e Margot eram grandes amigas na infância e adolescência. Juntas, viviam na pequena Londres, em Vermont, e passavam grande parte do tempo brincando no Hotel da Torre, um estabelecimento abandonado que décadas antes era a maior atração da região. A vida das garotas começa a mudar quando acabam desenterrando algo sinistro do passado da família de Amy, o que faz com que a amizade entre ambas estremeça e elas se distanciem.

O tempo passa e as irmãs Margot e Piper tentam seguir suas vidas, assim como Amy. Piper mora na Califórnia, enquanto Margot dedica-se à família e à estudar a história local. O destino resolve pregar uma peça na vida das três quando Margot e Piper recebem a notícia que Amy e sua família estão mortos, supostamente pelas mãos da própria amiga. Porém, antes de morrer, Amy deixou escrita uma mensagem que as irmãs sabem ser direcionada a elas: 29 quartos. Do dia para a noite, elas são obrigadas a reviver aquele fatídico verão que se depararam com uma mala e cartas pertencentes a Sylvie Slater, tia de Amy, desaparecida quando ainda era jovem. Amy sempre dizia que a tia havia fugido para Hollywood para viver seu sonho de se tornar atriz, entretanto a verdade é muito mais complicada que isso. E ao mexerem no passado, acabaram descobrindo segredos ainda mais longínquos, que poderão colocar em risco a vida delas e de toda a sua família.

Continue lendo »

domingo, 3 de dezembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA ISBN: 9788576865803 GÊNERO: ROMANCE, FANTASIA, JOVEM ADULTO PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 476 SKOOB

Carina Rissi é uma das autoras brasileiras mais cultuadas nos últimos tempos. Desde o lançamento de “Perdida“, seu primeiro livro, suas histórias passaram a cativar leitores e leitoras em todo o Brasil, inclusive fora dele (considerando que algumas de suas obras já foram traduzidas para outros países). Conheço o trabalho da autora já há alguns anos, mas só tive a oportunidade de desfrutar de uma de suas histórias com “No mundo da Luna”, que me fez gostar ainda mais dela. Sabe aquela autora que você sabe que vai gostar mesmo não tenha lido nada dela? Então. Li esse e depois conheci “Perdida”. Não gostei tanto assim como foi quando tive a primeira experiência, mas de qualquer forma mostrou o talento da autora. Esse ano Carina lançou Quando a noite cai e tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente. Após esse encontro, a relação e o carinho com suas histórias aumentou instantaneamente, pois da mesma maneira que Carina cativa por meio de suas palavras, ela nos cativa pessoalmente por meio da atenção com os fãs. Mas vamos ao que interessa e falar do livro de hoje.

Briana Pinheiro sabe que não é a pessoa mais sortuda do mundo. Após ser despedida do terceiro emprego num mesmo mês, a garota não sabe mais o que fazer. E a garota sabe que isso não podia acontecer, uma vez que precisava do dinheiro e a pensão de sua mãe ia de mal a pior. Se não bastasse apenas isso a incomodar sua vida, tem um outro detalhe: quando a noite cai, Briana se vê em terras distantes, num mundo de castelos, reis, rainhas e espadas. Poderia ser apenas um sonho qualquer, mas não quando ele se repete há cinco anos. E quando se tem um guerreiro irlandês pelo qual ela se apaixona perdidamente.

A vida já está bem atribulada quando ela resolve pregar outra peça na vida da garota: na busca de um novo emprego, Briana tropeça acidentalmente no caminho de Gael O’Connor, um engenheiro irlandês que lhe oferece uma vaga em uma de suas empresas. Só que Gael é exatamente igual ao guerreiro de seus sonhos. Numa mistura de realidade e fantasia, Briana não consegue esconder seus sentimentos perante o chefe e uma viagem inesperada à Irlanda promete reviravoltas em sua vida em que o amor será colocado em questão e Briana deverá realizar sábias escolhas. Continue lendo »

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

AVALIAÇÃO: 4,5/5 EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA ISBN: 9788501110060 GÊNERO: ROMANCE, SICK-LIT, JOVEM ADULTO PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 400 SKOOB

De uns tempos para cá, tenho evitado livros com personagens adolescentes, principalmente aqueles que tem como cenário a escola. Sempre fico receosa com a história por detrás da capa, mesmo tendo gostado muito da sinopse. Belinda & Em superou minhas expectativas.

O enredo se inicia com Emily contando como foi seu primeiro contato no Centro de Aprendizado para a Vida, local que oferece diversos cursos para facilitar a vida do deficiente no âmbito social, emocional e  familiar. Com o decorrer dos capítulos, acabamos descobrindo que essa foi uma punição que ela e Lucas, um jogador de futebol da escola, receberam por terem testemunhado um ato de violência contra Belinda e não terem pedido auxílio.

Emily é uma garota do Ensino Médio. Através de um grupo escolar chamado Coalizão para Ação Jovem, ela e seu melhor amigo Richard se empenham em divulgar e dar ideias para solucionar diversos problemas como: homofobia, violência e reciclagem. Apesar de ter bastante envolvimento em causas nobres, ela e sua turma se interessam demais pelos alunos populares. E apesar de todo seu ativismo, ao passar por uma experiência real, não consegue por em prática o que tanto lutou para divulgar. A partir daí, ela começa a se questionar sobre a importância de fazer algo para solucionar os problemas e não apenas levar todos a ter conhecimento deles.

O livro possui 19 capítulos. Temos narrativas de Emily e Belinda alternadamente em um mesmo capítulo. A autora optou por ir subdividindo cada capítulo com o nome de quem está narrando, eu não achei isso necessário, porque pelo estilo da narrativa, é muito óbvio entender quem está narrando.  Alguns poucos capítulos são inteiros narrados por Emily.

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

“Richard acha que nosso grupo de amigos é diferente, mas na verdade não é. Podemos não nos humilhar apara ganhar a atenção do time de futebol, mas ainda passamos algum tempo todo almoço encarando sua mesa. Só porque enxergamos o problema, não significa que não façamos parte dele.”

Continue lendo »