quinta-feira, 29 de novembro de 2018

AVALIAÇÃO: 4/5
EDITORA: DARKSIDE
ISBN: 9788566636819
GÊNERO: MISTÉRIO, SUSPENSE
PUBLICAÇÃO: 2016
PÁGINAS: 272
SKOOB

O romance mais famoso de William March, originalmente publicado em 1954 e eternizado como um clássico do cinema dois anos depois, começa, desenvolve-se e finaliza em cima do questionamento se a “semente no mal” (referência ao seu título original “The Bad Seed” ou “A Semente do Mal” em tradução literal) é algo que já nasce com os indivíduos e se seria capaz de manifestar-se na mais adorável e cativante das crianças, como a protagonista Rhoda Penmark.

O enredo se desenrola a partir de um piquenique de verão realizado pela escola de Rhoda onde ocorre a morte suspeita e inesperada de um de seus colegas de turma. A imagem doce e angelical de Rhoda começa a se desmantelar aos poucos, a partir do momento em que sua mãe Christine Penmark começa a levantar suspeitas de sua filha e decide passar a observar os movimentos e ações da criança de forma mais cautelosa e crítica, dando espaço à revelação do lado mais manipulador e sombrio da doce menina.

Por muitas vezes, é inevitável encarar os dilemas de Christine entre o seu lado emocional e seu lado racional, já que ela é a ponte de observação para a história. É a partir dela que definimos conceitos, que criamos julgamentos e é pelo seu olhar que analisamos e desbravamos todo o universo complexo que é a mente de Rhoda.

Em nenhum momento da leitura eu me senti afeiçoada pela menina, como a maioria dos personagens parecia ser. As ações de Rhoda pareciam geralmente artificiais e forçadas, o que me levava a refletir se a mãe dela já não a via com bons olhos desde o início da narrativa pelo menos.

A sra. Penmark escolhe muito bem os momentos para revelar ao leitor episódios ocorridos antes do começo da narrativa, tanto os que envolvem Rhoda, assim como os que envolvem a si mesma quando criança. Conforme ela vai concluindo e ligando os pontos de todos os comportamentos de sua filha, ela também vai nos dando a possibilidade de traçar não só a personalidade da menina, como também a sua própria.

Caracterizado como um suspense psicológico lançado na era de ouro da psicanálise dos Estados Unidos, dificilmente o medo é um sentimento presente durante a leitura, visto que o grande propósito do livro é o questionamento das origens do mal na mente humana e a sua tendência à psicopatia. Seria a maldade um “dom” hereditário?  Será que Rhoda nascera com “a sementinha do mal” ou será que ela foi plantada durante o seu crescimento?  Essas são alguma das perguntas sem resposta que March nos deixa, ainda que chegue a apresentar alguns argumentos implícitos que involuntariamente acabariam nos guiando para a resposta pretendida. A inocência em contraste com o macabro exposto pelo autor serve de inspiração para muitos protagonistas do terror dos dias de hoje, como Annabelle e Samara, de  O Chamado.

Esse é o primeiro livro da Darkside que eu adquiri e posso dizer que não fiquei nenhum pouco decepcionada, tanto com seu cuidado externo quanto com o texto fascinante que encontrei em suas páginas. A disposição dele é muito bem diagramada e ainda conta com algumas ilustrações retratando a própria Rhoda e elementos presentes no livro.

Essa edição caprichada em capa dura não só vai deixar sua estante mais radiante, como também vai te deixar pensando sobre Rhoda Penmark e companhia por um bom tempo.

“Se eu der para você uma cesta de beijinhos, o que você me dá de volta?” – Rhoda

Sobre o autor
Emmie Lopez
Emmie Lopez 18 anos - (25/12) - Natural de Salvador - BA, mora atualmente em São Vicente - SP. Estudante do último ano do Ensino Médio Integrado com o Técnico em Informática no Instituto Federal de São Paulo, descobriu o amor pela leitura desde cedo com os gibis e os paradidáticos da escola. Divide seu coração entre a leitura e a música. Apaixonada por Romance, entusiasta de Mistério e louca por Fantasia. Foi brincar de escrever e não parou mais.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: