domingo, 5 de novembro de 2017

AVALIAÇÃO: 4/5
EDITORA: RECORD, CORTESIA
ISBN: 9788501109002
GÊNERO: ROMANCE, ROMANCE HISTÓRICO
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 224
SKOOB

Um romance sobre a coragem

O livro é dividido em três fases, sendo a primeira quando os protagonistas, Anita e seu amante italiano Giuseppe Garibaldi , estavam no Brasil – que permeia a história que todos nós já ouvimos falar em algum momento: a Guerra dos Farrapos que eclodiu no Sul do país entre 1835 e 1845, -, a segunda na passagem pelo Uruguai e a terceira na Itália. “Anita” de Thales Guaracy não é apenas um romance, é também uma narrativa histórica e biográfica onde há muitos ensinamento sobre a história do Brasil, numa linguagem poética e rimada, o autor mistura realidade e ficção, nos deixando muitas vezes confusos ao pensar sobre até onde a história é um relato real.

Na narrativa, Guaracy nos apresenta Anita Garibaldi através da ótica de Giuseppe Garibaldi, seu companheiro e pai de cinco filhos que, depois, viriam a ter. Apesar de ser intitulado com o nome da heroína, a obra não nos remete às emoções sentidas pela percussora do feminismo, mas sim à admiração que Giuseppe sentiu pela forte e destemida mulher, qual conheceu durante uma guerra.

O protagonismo da heroína é evidente apenas nas primeiras páginas, quando inicia com Garibaldi, já idoso, falando sobre os dias com sua amada, e também sobre a altivez dela. Podemos identificar a perda do protagonismo feminino no momento em que a história continua mesmo após a morte da mulher. No fragmento a seguir, podemos identificar as emoções do herói e seu olhar sob a saudosa companheira.

“Há lembranças que custam caro, dilaceram o coração, mesmo para o mais duro dos homens, que viu tantas coisas terríveis; recordações que se mantêm em carne viva, capazes de levar muitos à mais explicável loucura. Coisas que guardamos para nós mesmos, como aquela dor, que interessava apenas a ele, e só discutia na sua conversa imaginária com os mortos. Nela, estava sempre com a mulher com quem dividira tudo, fazia tanto tempo que já não recordava muito bem seus traços, imagem fugidia que tomava outras formas, tantas que já não sabia ao certo qual era a primeira; de exato havia o sorriso, sim, o sorriso, a mecha na testa, e o olhar. Aquela Anita quase sem rosto andava em muitos rostos encontrados nos caminhos, na natureza, no tempo, ou melhor: dentro dele.”

Ao falar sobre esses personagens, outros são inseridos ao longo da narrativa, como o pai do herói que aparece logo no início; a família, qual Anita precisou ajudar casando com um sapateiro aos quatorze anos; o soldado e Catalina, personagens negros do enredo. Porém, podemos destacar que a personagem principal da obra é a guerra, romantizada por Garacy, qual possibilitou o encontrou desses dois heróis.

Apesar do forte sentimentalismo presente na obra, a mesma é narrada em terceira pessoa, embora opte por romances em primeira pessoa, neste Guaracy  acertou em cheio na escolha do narrador.  A estrutura do livro não é padronizada pelo autor, há ótimas descrições e os diálogos não possuem travessões, além das divisões de períodos que a narrativa se desenvolve, não há capítulos, mas subcapítulos não identificáveis, somente se revelando pela quebra nas páginas.

Voltando a heroína, Anita é a Joana d’Arc brasileira, moça astuta, destemia e corajosa, uma mulher a frente de seu tempo. Mãe, filha, esposa, amante, companheira, amiga e mulher, são tantos os atributos pertencentes a essa única mulher que marcou seu tempo e a história de Santa Catarina e do Brasil, bem como foi adotada e amada pelo povo italiano.

Anita é uma ótima leitura, numa única obra acompanhamos uma família nada tradicional, mas incrível por seus feitos, aprendemos o que os livros de história não nos contam e ,ainda, conhecemos o interior de Anita e Giuseppe Garibaldi pela perspectiva de Thales Guaracy.

Sobre o autor
Patrícia Oliveira Patrícia Oliveira, 25 anos (07/01) – São José/SC. Acadêmica de Direito, leitora assídua e blogueira. Lê de tudo um pouco, seus gêneros literários favoritos são romance histórico, época e contemporâneo, thriller psicológico, fantasia épica e clássicos. Sempre cultivou a ideia de criar um blog, onde pudesse compartilhar sua opinião. Quando não está fazendo tarefas cotidianas, geralmente está divertindo-se na companhia de seus bichos de estimação. Curte séries, filmes de comédia romântica e animes, mas sua grande paixão é a literatura.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: