sexta-feira, 3 de novembro de 2017

AVALIAÇÃO: 3,5/5
EDITORA: BIBLIOTECA AZUL, CORTESIA
ISBN: 9788525062857
GÊNERO: SUSPENSE, POLICIAL
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 328
SKOOB

Ler um livro clássico é algo muito desafiador, principalmente para quem não possui um histórico significante de clássicos lidos, como é o meu caso. Mas assim que li a sinopse do livro O Condenado, escrito por Graham Greene, e publicado no Brasil pela Globo Livros, fiquei muito curiosa com a história e resolvi deixar meu temor de lado e me arriscar nessa leitura.

O livro, que teve sua primeira edição publicada em 1938, ganhou uma nova edição este ano pela editora Globo Livros, que fez um ótimo trabalho de arte de capa, trazendo um toque moderno que chama a atenção dos leitores nos dias de hoje.

A história é narrada em terceira pessoa e acompanha o jovem Pinkie Brown, um garoto de dezesseis anos que após um assassinato se vê no comando de um grupo de bandidos, onde ele precisa se afirmar e ganhar o respeito de seus companheiros. O garoto tem sede do poder e quer se mostrar um líder temido que não se preocupa em pagar o preço que for para ter o respeito que acredita ser merecedor. Dentre todas as pedras no caminho de Pinkie, a que se mostra mais perigosa é Ida Arnold, uma mulher que após ter tido um rápido contato com a vítima do assassinato, sente-se na obrigação de desvendar esse crime e fazer justiça ao seu colega falecido.

Com uma escrita envolvente e rica em detalhes, Graham Greene conseguiu fazer um trabalho fantástico nesta obra, mesclando assuntos importantes a trama e fazendo com que nós, os leitores, nos apegássemos aos personagens que foram muito bem trabalhados e tiveram suas motivações muito bem justificadas. Fica perceptível a intenção do autor em fazer com que as questões morais apresentadas mexessem com que está lendo a obra, e isso, ao meu ver, tornou a história muito mais interessante.

“Considerava a vida com profunda seriedade: estava disposta a causar as maiores infelicidades a alguém para defender a única coisa em que acreditava.”

Eu gostei muito da maneira com que a história foi conduzida, e senti o desespero de Pinkie ao tentar de diversas maneiras tapar qualquer buraco que o ligasse ao homicídio. O personagem está claramente perdido e comete ações sem pensar, como o romance com Rose, que foi algo até incômodo de ser lido, pois fica claro que a moça está realmente apaixonada por ele enquanto ele está usando-a para tapar mais um buraco.

Apesar de eu ter gostado muito do livro no geral, tive muita dificuldade no início da leitura e demorei muito tempo para pegar o ritmo e entrar de cabeça na história. Não é um livro muito fácil de ser lido, é preciso dedicar total atenção a trama para não perder nenhum detalhe. Por eu não estar habituada a escrita do autor, em diversos momentos tive que parar a leitura e voltar a ler os trechos novamente, e isso fez com que eu levasse o dobro de tempo que teria levado se tivesse mais familiarizada com a escrita de Graham Greene.

Enfim, eu gostei demais dessa experiência de leitura, e apesar de ter tido algumas dificuldades, recomendo essa obra e com certeza irei atrás de outros títulos do autor.

Sobre o autor
Tayara Olmena Estudante que tomou gosto pela leitura aos 12 anos de idade depois que leu "A marca de uma lágrima" do escritor Pedro Bandeira. Costuma ler de tudo, mas ainda torce o nariz para o romance. Além de ler, também é viciada em séries e filmes, e não perde a oportunidade de maratonar sua série favorita.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: