terça-feira, 31 de outubro de 2017

AVALIAÇÃO: 3,5/5
EDITORA: VALENTINA, CORTESIA
ISBN: 9788558890502
GÊNERO: ROMANCE, ROMANCE ERÓTICO, ADULTO
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 400
SKOOB

Griffin alcançou o auge da fama. Mas ele ainda quer mais

Indomável é o quarto livro da série Rock Star, mas que é como se fosse um spin-off da mesma, já que traz a história de um personagem diferente da série. O livro até pode ser lido de forma independente, mas saibam que ele contém spoilers dos três livros anteriores, mas nada que prejudique a leitura tanto assim. Devo dizer que tive certo receio de ler esse livro, pois apesar de gostar dos livros de Rock Star, o protagonista de Indomável não era um dos meus personagens favoritos. Mesmo assim eu queria ver o que a autora ia aprontar para ele, e confesso que me surpreendi com o crescimento do protagonista ao longo da história.

Neste volume conhecemos a história de Griffin, o baixista da famosa banda D-Bags que acredita não receber todo o valor que tem na banda. Ele está cansado de ficar sempre por trás dos holofotes e acredita que merece muito mais do que tem. E quando chega a gota d’água, ele toma uma decisão que pode ser a melhor ou a pior da sua vida.

O fato é que Griffin é um tanto egocêntrico e se acha melhor do que todo mundo. Ele acha que merece mais destaque na banda, e que não recebe a atenção que deveria – e isso o torna extremamente desagradável. Ele é o tipo de personagem que a gente ama odiar. O cara é invejoso, metido, se acha o rei da cocada preta, um cara fútil e egoísta, que não pensa em ninguém além de si mesmo. Pois é, aí vocês me perguntam: “mas se ele é tão terrível, porque continuou a leitura?”. Simples: porque eu queria ver ele levar na cara pra aprender a ser homem de verdade. O que de fato acontece, e foi o que salvou a leitura pra mim.

Confesso que foi até difícil insistir na leitura, de tão desprezível que achei o protagonista. A narrativa é em primeira pessoa e acompanhar os pensamentos egoístas de Griffin foi algo que me fez passar raiva. Mesmo assim, eu persisti porque queria ver se existia alguma explicação para essa sua atitude (não tem) e ver se ele mudaria (sim, ele muda). Além disso, a narrativa da autora é tão envolvente que permanecemos lendo, mesmo quando não gostamos do protagonista. É o simples fato de ter curiosidade e querer ver o que iria acontecer com ele – e foi gratificante ver ele aprender com as consequências dos próprios erros.

Foi preciso ele tomar o caminho mais difícil, levar na cara da vida mesmo pra ele aprender a dar valor as coisas que tinha, a ser mais humilde e mais grato. Ele passa por alguns perrengues pra mudar seu pensamento, mas é aí que ele começa a amadurecer e se tornar uma pessoa melhor, um cara mais responsável, mais sensível. É essa redenção dele que faz tudo valer a pena.

Acho que a única coisa que redimia Griffin é a relação que ele mantinha com a família. Era claro pra mim o quanto ele amava Ana, sua esposa, e seus filhos. Acho que essa é a única parte dele que o redimia por todos os seus defeitos. E cabe dizer também que ele tinha alguma razão em se sentir menosprezado – os caras da banda acabavam não dando o devido valor a ele. Mesmo assim, eu ainda não acho que isso seja justificativa para o comportamento dele.

De uma maneira geral até que o livro funciona. Ele mostra a redenção e o amadurecimento de um homem que estava cego pela ganância. Nos mostra o quanto é importante aprendermos a dar valor ao que temos ou podemos acabar destruindo as únicas coisas que nos faz de fato feliz. Indomável é aquele típico livro que “é ruim mas é bom”. O protagonista pode até ser odioso, mas é gratificante ver o seu desenvolvimento e amadurecimento.

Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: