quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Toda criança ama histórias! E esse universo pode ser apresentado através de adultos que leem para elas, que presenteiam com livros ou que leem para si próprios dando um exemplo que a criança certamente irá copiar. Cada um de nós leitores adultos, carrega recordações da infância sobre o tema. Quais ou qual livro marcou os tempos de criança? Alguns de nossos colunistas aqui do Viagens de Papel contam suas experiências literárias na infância:

Camila Tebet

“O menino do dedo verde”, de Maurice Druon, marcou a minha infância pois foi um dos primeiros livros que ganhei de presente dos meus pais. Na época, tinha um significado muito especial, pois Tistu, além de ser o nome do personagem principal da história, era também o nome do jardim de infância onde eu estudava, minha primeira escola, que tanto contribuiu para minha formação. O livro fala sobre educação e sobre transformação. Sobre o quanto cada um é capaz de contribuir para um mundo melhor por meio de suas ações. É uma história linda, que fala sobre diversos valores e questiona padrões da sociedade. Vale a pena conhecer!


Janaína Rodrigues

Eu tinha muitos livros para citar, pois livros marcaram minha infância e adolescência. Mas decidi por mostrar três que estavam definindo, sem querer, meu tipo de gênero favorito, romance policial e literatura fantástica:

  1.  A coleção “As aventuras da turma do Gordo” começam com o livro “O gênio do crime“. Esse livro fala sobre álbuns de figurinha que era sucesso na minha infância, todo mundo tinha algum álbum para completar e quando completava trocava por prêmios, alguns realmente desejados por todos. Essas figurinhas são feitas em escala, algumas são raras, feitas em menor quantidade. Porém, uma fábrica clandestina está falsificando essas figurinhas raras e tudo vira um caos. O grupo de amigos, que tem o Gordo como líder, vai entrar nessa aventura e resolver o mistério.  João Carlos Marinho foi com certeza uma das minhas portas de entrada no mundo literário, meu amor por livros de mistério e em série, deve mesmo ter brotado dessa pequena aventura. Eu li todos os outros livros.
  2.  Pedro Bandeira também tem uma coleção de mistério e aventura (Os Karas) que me rendeu boas leituras. Porém o livro dele que eu mais li na infância e que não faz parte dessa coleção foi “A marca de uma lágrima”. Eu li tanto que ainda sei os poemas de cor! A personagem Isabel era um reflexo de mim, escrevia poemas e estava apaixonada, porém com autoestima baixíssima, era capaz de deixar o grande amor da sua vida passar sem lutar por ele. Ah! Tinha mistério nessa história também…
  3.  A saga do Harry Potter tinha acabado de começar e ainda não era um sucesso. Não tinha os livros na biblioteca, mas tinha um amigo que tinha um exemplar de “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, foi uma fila de amigos para empréstimo. Eu curti cada pedacinho do mundo bruxo do Harry, tanto que ainda sou PotterMore, com minha casa de seleção, varinha e patrono S2.
 

Larissa Gaigher

Não tem como pensar em infância e não lembrar da época da escola em que eu me refugiava na biblioteca para ler. Quando me perguntam sobre um livro que me marcou na infância, a resposta de praxe é Harry Potter, afinal é um amor que carrego desde aqueles dias até hoje. Mas na verdade, os livros que me abriram as portas para o universo da literatura e por quais eu tenho um carinho imenso são os livros de Sherlock Holmes. Lembro-me claramente das edições da Melhoramentos que lia, livros fininhos e bem antigos, com as páginas amareladas já, com os contos de um dos detetives mais famosos da história. Desde aquela época já me encantava com as aventuras de Holmes, e foi a partir desses livros que comecei a pegar outros e hoje não me vejo mais sem ler. Sinceramente não me lembro perfeitamente se eles foram de fato os primeiros livros que li na vida, mas são os primeiros que eu tenho recordações de ter lido e realmente gostado. É o meu personagem favorito de toda a vida, Holmes é simplesmente incrível, um personagem fantástico! Tenho um carinho ainda mais especial por essas histórias pelo simples fato de terem sido o pontapé inicial para essa paixão por leitura que nutro até hoje.

 


 Nara Dias

Quando penso em minha infância, por mais incrível que pareça, logo lembro do primeiro livro que marcou meu início de leitura independente, “O caso do dez negrinhos”, minha mãe era muito fâ de Agatha Christie e sempre estava lendo em casa, ela sempre mencionava os misteriosos casos de assassinato, e eu por curiosidade quis ler, ela disse que duvidava que eu conseguisse, pois então li, foi uma leitura difícil para uma criança, mas surpreendente. Antes disso, lógico que eu já tinha lido todaaa a coleção dos Clássicos da Disney publicados em 1986, coleção linda que tinha um suporte para guardar cada livro e respectiva fita cassete, uma de minhas histórias prediletas era a do “Donald e a Bruxa”. Depois disso amei ler “Pollyanna” e seu jogo do contente, primeiro livro de autoajuda do mercado… “O estrangulador” de Sidney Sheldon teve fila de espera lá na escola, cada uma lia em um dia, de tão fascinante e fininho que era. O último que aproveito para mencionar, foi a famosa coleção Vagalume, dela destaco meu autor predileto, Marcos Rey e de todos os seus livros, o que mais gostei e ainda lembro da história é “Doze horas de terror”. Bons tempos de infância.

 


Tayara Casemiro

Um livro que com certeza marcou a minha infância, foi o 365 histórias para dormir Disney. Esse título reunia os clássicos da Disney, e foi o meu primeiro contato com os contos de fadas. Lembro que adorava folhear as páginas, e ficava encantada com as histórias, tinha uma enorme vontade de aprender a ler para poder adentrar nesse mundo e sentir as histórias. Na minha casa sempre tive o incentivo para ler, e ter acesso a este livro na minha infância com certeza influenciou o meu gosto pela leitura. Depois de adulta, já encontrei novas versões deste livro, e fico muito feliz ao ver que os clássicos infantis ainda continuam fortes e não perderam o seu valor.

E você? Qual livro marcou sua infância?

Sobre o autor
Nara Dias

31 anos (22/12) – São Paulo

Pós graduada na USP em Ética, valores e cidadania na escola, atua como professora de informática e robótica para crianças de 4 a 11 anos. Também com especialização em Libras – Língua Brasileira de Sinais, participa da comunidade surda da região onde mora, na Baixada Santista. Seu perfil no Skoob com mais de 1200 livros lidos, mostra sua paixão pelo gênero infanto-juvenil, onde capa, ilustração e tipo de impressão interferem muito em suas escolhas.



Deixe uma resposta

  1. segunda-feira, 16 de outubro de 2017.

    Oi! Não tem como não associar Harry Potter à minha infância, porque meu amor pelo bruxinho começou mais pela adolescência hehe Mas o que marcou mesmo foram os gibis da turma da Mônica, alguns livros da Ana Maria Machado e os da série Vaga-lume. Eram poucos livros legais para ler, mas a gente fazia o possível.
    Adorei ver o post, e ver que alguns destes ainda fazem parte das minhas preferências atuais, mesmo que o tempo tenha passado.

  2. terça-feira, 17 de outubro de 2017.

    Oi,
    Que post mais fofo parabéns.rs. Adorei as fotinhos de vocês de crianças e saber de onde veio o gosto pela leitura. Lembro que o meu era na coleção do Monteiro Lobato e depois como algumas de vocês veio o sr sidney sheldon.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    leiturakriativa.blogspot.com

  3. quarta-feira, 18 de outubro de 2017.

    Oii tudo bem?
    Que demais essa postagem menina, eu lia muito Hp na minha infância e fiquei fascinada, sua postagem ficou maravilhosa e adorei ver as fotinhos.
    Beijinhos

  4. quinta-feira, 19 de outubro de 2017.

    Eu sou apaixonada pelo livro “O caso dos dez negrinhos”, ele também foi o responsável pelo meu amor pela leitura e meu gosto pelo gênero policial. Quando lembro dos livros da minha infância eu penso muito em “As fábulas de Esopo” é um livro com tantas mensagens importantes, estou louca por uma nova edição que eu vi dele e espero comprar no próximo mês.

  5. quinta-feira, 19 de outubro de 2017.

    Oii, tudo bem?
    Na minha infância eu não lia, fui desenvolver o hábito apenas com 15 anos. Adoro ver quando as pessoas dizem que leram algo que as marcou, eu acredito que em relação a HP apenas os filmes me remetem a infância. Como faço Letras conheço os autores citados acima, vc começou muito bem. Achei as fotos uma gracinha.
    Beijo.

  6. sexta-feira, 20 de outubro de 2017.

    Oi, tudo bem?
    Que amor esse post!! Fiquei nostálgica porque vi vários livros que marcaram a minha infância, Harry Potter, Pollyana, Sherlock Holmes e A marca de uma lágrima.
    Só fiquei muito surpresa que a Nara leu um livro da Agatha Christie ainda novinha haha. Eu não li Os casos dos dez negrinhos ainda, mas sem dúvida não imaginaria um livro da autora em um post como esse hahaha.
    Enfim, adorei saber os livros que marcaram vocês na infância.
    Beijos!

  7. domingo, 22 de outubro de 2017.

    Socorro, já tinha passado muito da infância quando lançaram Harry Potter… Rs… Mas li muito da Coleção Vagalume e adorava o Marcos Rey também, apesar de não lembrar desse livro dele. Eu era louca por Marcelo Marmelo Martelo, por Pollyanna e por um livro chamado A bonequinha preta.

  8. terça-feira, 24 de outubro de 2017.

    Olá, tudo bem?
    Adorei esse post e as fotos de vocês quando crianças! É uma época tão boa e que passa tão rápido!
    Na minha infância eu lia muito a turma da Mônica, na qual até hoje tenho um carinho especial por eles. Depois fui para Crepúsculo e agora vivo de Romances e suspenses.

    Beijinhos!

  9. sábado, 11 de novembro de 2017.

    Olá!
    Tão nvinha e já lia tanto hein. adorei conhecer os livros que marcaram a sua infância rs’ eu comecei a lei já era adolescente, e comecei com Harry Potter e foi um marco também rs’ até hoje leio e sempre bate aquela bad. Tenho muita vontade de ler “Poliana” sempre vejo e leio as pessoas falando desse livro que marcou a infância e tal, espero ler em breve!

    beijos!
    http://blogdatahis.blogspot.com.br/

  10. domingo, 12 de novembro de 2017.

    Pollyana e o caso dos dez negrinhos também estão entre minhas primeiras leituras e fizeram toda a diferença para eu me apaixar pela literatura. Leia para crianças!
    Bjs

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: