sexta-feira, 1 de setembro de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: VALENTINA, CORTESIA
ISBN: 9788558890311
GÊNERO: ROMANCE, FICÇÃO REALISTA, JOVEM ADULTO
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 336
SKOOB

Para quem lê muitos livros em um curto período de tempo, fica difícil se apegar e ser tocado profundamente por uma história, pois com tantas histórias sendo lidas uma atrás da outra, as chances de passarmos superficialmente por essas narrativas é enorme. Mas quando acontece de um desses livros nos tocar profundamente, a sensação é incrível, e, para minha alegria, o título Dumplin‘, escrito pela autora Julie Murphy, e publicado no Brasil pela Editora Valentina, foi um livro que conseguiu me tocar muito.

Narrado em primeira pessoa pela nossa protagonista, Dumplin nos conta a história de Willowdean, uma adolescente que cresceu vendo sua mãe se orgulhando por ter sido coroada na juventude como a Miss Jovem Flor do Texas, mas por ser uma garota gorda, ela nunca pensou na possibilidade de seguir os passos da mãe. Seu relacionamento com seu corpo sempre foi algo com que ela lidou muito bem, Will sempre se mostrou segura de si e orgulhosa por ser quem é. Mas depois de conhecer Bo, um garoto lindo que com quem trabalha em uma lanchonete, Will passou a se sentir desconfortável em seu próprio corpo, acreditando que seus quilos extras não permitiriam que alguém como Bo se apaixonasse por ela.

Além de Bo, outra coisa que abalou o universo de Will foi a perda de sua tia Lucy, que morreu pesando mais de duzentos quilos. O seu relacionamento com ela era muito mais íntimo do que o relacionamento com sua própria mãe, e dentre todas as coisas boas que Lucy trouxe para vida de Will, o amor pela cantora Dolly Parton e a amizade com Ellen foram as coisas mais importantes que aconteceram na vida da garota graças à sua querida tia, e superar sua morte acaba sendo muito mais difícil para Will do que ela imaginou que seria.

Toda essa relação com o corpo e as descobertas da juventude foram muito bem trabalhadas pela autora Julie Murphy, que abordou com muita delicadeza todos os assuntos. Fica muito perceptível todo o trabalho que Julie dedicou à história, todos os personagens são muito bem desenvolvidos e possuem sub-tramas que os tornam únicos e especiais, eu adorei poder ler uma história onde todos têm importância e espaço.

Como eu já disse em outra resenha, acho muito importante a representatividade nos livros, é essencial podermos ler sobre personagens com quem nos identificamos, e apesar disso ser muito importante, ainda é muito difícil encontramos livros onde os protagonistas são gordos. Isso é uma coisa que me incomoda demais, e ao ler títulos como Dumplin’, que arrasam na representatividade, eu fico imensamente feliz e grata pela existência de autores e editoras que abrem esse espaço.

“Porque a palavra gorda deixa as pessoas constrangidas. Mas, quando alguém me vê, a primeira coisa que nota é o meu corpo. E o meu corpo é de uma gorda, Por exemplo, eu posso notar que algumas garotas têm peitos grandes, cabelos oleosos ou joelhos ossudos. São coisas que é permitido dizer sem rodeios. Mas a palavra gorda, que é a melhor que me descreve, deixa as pessoas desconfortáveis.”

Mas não e só nesse ponto que Dumplin se mostra um livro incrível e inspirador, o título também consegue nos fazer vibrar e torcer a cada passo, e cada desafio que nossa protagonista enfrenta. Além disso, todo o clima criado pela autora, e toda essa atmosfera texana embalada pelas músicas da Dolly Parton, nos fazem querer fazer as malas e partir para o Texas ao som de Jolene. (No meu caso, só foi possível sonhar com a viagem, mas a parte de ouvir Jolene eu cumpri com êxito! rs.)

Enfim, acredito que já ficou bem claro que amei Dumplin’, não é mesmo? Indico demais a leitura desse livro que conseguiu me tocar e me fez ir atrás de todas as músicas lançadas por Dolly Parton. Essa história é completa, e fala sobre amor, perdas, relacionamentos familiares e a importância de amarmos quem nós somos independente do que as pessoas pensam. Espero que vocês também se deliciem com esse título! <3

Sobre o autor
Tayara Olmena Estudante que tomou gosto pela leitura aos 12 anos de idade depois que leu "A marca de uma lágrima" do escritor Pedro Bandeira. Costuma ler de tudo, mas ainda torce o nariz para o romance. Além de ler, também é viciada em séries e filmes, e não perde a oportunidade de maratonar sua série favorita.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook