quarta-feira, 30 de agosto de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: COMPANHIA DAS LETRINHAS, CORTESIA
ISBN: 9788574066820
GÊNERO: INFANTOJUVENIL
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 80 SKOOB

Escolhi o recém lançado O Lórax, da Companhia das Letrinhas, por já ter assistido ao filme homônimo em 2012.

Para quem não conhece o filme, aliás, nem eu lembrava de muitos detalhes, ao iniciar a leitura sentirá certa estranheza com a história. Ela é parcialmente rimada e, não sei se por causa da tradução, nem sempre em versos curtos.

Por meio das ilustrações, vemos um menino que saiu da cidade e está indo em direção ao logradouro de Lórax, porém ao chegar no local onde Lórax vivia, encontra Erumavez, único que será capaz de explicar e responder todas as perguntas que o menino poderá vir a fazer, porém, antes é preciso efetuar o pagamento: um prego, uma moedinha e a conchinha do ta-ta-ta-taravô do caramujo. Depois disso, do alto de sua loja/casa, através do Segredofone, das sombras ele sussurrará toda a história.

A partir desse ponto do enredo, tudo começa a fazer um pouco mais de sentido para o leitor, Erumavez conta que muito muito tempo atrás, encontrou um lugar lindo, com muitos animais, um verdadeiro paraíso, cheio de árvores cabeludas e coloridas, chamadas de Trúfulas. Ao sentir a maciez de uma Trufulárvore, Erumavez tem uma grande ideia, derruba uma única árvore e rapidamente tricota uma Nãocessidade. Nesse momento, eis que do tronco cortado surge uma espécie de homem, baixinho, velhinho, musgosinho, o Lórax, um protetor, que em nome das árvores conversa sobre ganância, tentando dissuadir Erumavez.

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Ignorando Lórax, Erumavez enxerga uma grande oportunidade de riqueza e, com toda sua família, trabalham e montam uma fábrica, fazendo muitos bons negócios. Em diversos momentos o Lórax aparece, tenta conversar e explicar as consequências para os NozEsquilUrsos, CisneSopranos e Baritoneixes, até que…

Leia o livro para descobrir!

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Pertinente mencionar que ao final da edição, está disponível a história em inglês, liberando assim o acesso ao texto original, sendo então o livro considerado bilíngue. O escritor americano, que se auto intitulava Dr. Seiss, por ter o costume de criar enredos com zoologia maluca, como os que eu mencionei: NozEsquilUrsos, CisneSopranos e Baritoneixes, nasceu em 1904, era formado em literatura, demonstrando um dom para desenhos e ilustrações desde que iniciou sua carreira como estudante universitário. Dr. Seiss é autor de quase cinquenta títulos infantis.

Se a capa é instigante, o conteúdo mais ainda, ilustrações lindas e coloridas… O mundo precisa de livros como esse, capazes de nos surpreender com uma história com personagens estranhos, mas ao mesmo tempo carregada de conteúdo que leva qualquer uma a uma reflexão profunda do hoje, precisamos preservar a natureza, ponto.

Livro VS. Filme

Óbvio que reassisti a animação “O Lorax: Em busca da trúfula perdida“, e fiquei ainda mais apaixonada do que na primeira vez. O enredo é estendido se comparado com o livro, mostrando a história após Lórax, dando um nome ao garotinho que na primeira página do livro sai da cidade em busca do aqui chamado Umavezildo. Esse garoto, Ted, é habitante de uma cidade artificial, chamada de Thneedville, aparentemente muito bonita por causa da vivacidade de suas cores, mas onde as pessoas são cada vez mais instigadas a ter, comprar, adquirir… Quem comanda a cidade é um baixote, dono de uma empresa homônima: O’hare Air.

Vivendo nessa cidade, um dia Ted vê sua linda-melhor-amiga-vizinha-adolescente dizer que sonha em ter uma árvore de verdade, o menino inicia então questionamentos do por quê de não se ter mais esses extintos seres-vivos, sua avó Norma auxilia contando a história do tempo das belas árvores. Porém, o pequeno grande homem, o senhor O’hare, que parece ter olhos em toda a cidade, não está disposto a permitir a possibilidade de ver seu império desmoronando.

O filme é divertido, com uma musiquinha no final que gruda igual chiclete, muita ação e aventura. Meu conselho é que assistam o filme e leiam o livro. Mas fica a seu critério.

Foto: Divulgação/Cena da animação “O Lorax: Em busca da trúfula perdida”.

E aí, o que achou? Já viu o filme?

Já leu algum outro livro infantil com a mesma pegada?

Assista ao trailer:


FICHA TÉCNICA

Título original: The Lorax

Direção: Chris Renaud

Gênero: Animação, Comédia, Família

Duração: 87 minutos

Classificação: 6 anos

País: EUA

Nota: 5/5

Sobre o autor
Nara Dias 31 anos (22/12) – São Paulo Pós graduada na USP em Ética, valores e cidadania na escola, atua como professora de informática e robótica para crianças de 4 a 11 anos. Também com especialização em Libras - Língua Brasileira de Sinais, participa da comunidade surda da região onde mora, na Baixada Santista. Seu perfil no Skoob com mais de mil livros lidos, mostra sua paixão pelo gênero infanto-juvenil, onde capa, ilustração e tipo de impressão interferem muito em suas escolhas.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. sexta-feira, 1 de setembro de 2017.

    Que amor Nara, eu apenas assisti ao filme e fiquei encantada por demais menina, gosto muito do Lorax e o acho uma gracinha, queria aquelas plantinhas, parecem ser fofas.
    Beijinhos

  2. sexta-feira, 1 de setembro de 2017.

    Olá, tudo bem? Tenho 16 anos, mas não perco uma oportunidade de ler um livro infantil, hahaha. Adorei este, não conhecia, mas parece ser bom!

    Beijos,
    Duas Livreiras / Sorteio “O gnomo Elias”

  3. domingo, 3 de setembro de 2017.

    Nara, eu adoro filme. São não sabia do livro. Bom, do filme eu gosto da mensagem a favor do meio ambiente e a questão de discutir aonde a ganância pode levar o ser humano. Ah, não posso esquecer de falar das cores. É muito lindo as árvores coloridas.
    Pelas as sua fotos, o livro parece ser muito bonito também.
    Beijos

  4. segunda-feira, 4 de setembro de 2017.

    Que fofo! Não curto muito livros do gênero, mas ficaria com o filme haha amo animações. Beijos

  5. segunda-feira, 4 de setembro de 2017.

    Que livro mais amorzinho! Eu nem sabia que tinha filme também, ando meio desligada das animações, mas achei a premissa muito fofa e fiquei com vontade de ler! Apesar de já ser adulta, adoro ler livros infantis e esse com certeza entrou para a listinha!

    beijinhos!

  6. segunda-feira, 4 de setembro de 2017.

    Ei Nara,
    Gostei muito da resenha do livro e do filme. Adoro ver filmes infantis e esse ainda não havia assistido. Quanto ao livro e a história achei uma graça. Faz muito tempo que não leio livros infantis e adorei a premissa.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

  7. quarta-feira, 6 de setembro de 2017.

    Nossa, que livro incrível!
    Eu ainda não conhecia o livro e nem o filme, claro que fiquei curiosa para ter contato com os dois. Eu adorei a sua resenha, achei a capa do livro bem bonita e espero poder apresentar ao meu filho em breve.

  8. quarta-feira, 6 de setembro de 2017.

    Ainda não assisti à animação, mas está na minha lista de filmes para assistir, espero conseguir fazer isso logo.
    Mas confesso que não sabia da existência desse livro, ou acabei deixando passar batido por não ter chamado tanto minha atenção. Agora, depois de ver seu post, fiquei curiosa, pois parece ser uma gracinha.

  9. segunda-feira, 18 de setembro de 2017.

    Olá! Que delícia de história! Amei os nomes das personagens. Não assisti ao filme, mas fiquei com muita vontade de conhecer mais da história. As ilustrações do livro tbm estão uma graça. Gostei da dica.
    Bjs

Comentários no Facebook