AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: PLATAFORMA 21, CORTESIA ISBN: 9788550700403 GÊNERO: FANTASIA, ROMANCE, JOVEM ADULTO PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 360 SKOOB

Atenção: essa resenha pode conter spoilers do volume anterior!

Após os eventos surpreendentes que se passaram em “A maldição do vencedor“, Marie Rutkoski retorna com mais uma trama extremamente bem elaborada feita para surpreender o leitor ainda mais. Confesso que estava bem ansiosa pela leitura e com as expectativas bem altas e fico feliz em dizer que a autora não me decepcionou nem um pouco. Apesar de não ter me conectado de todo com a história no primeiro livro, ainda assim me apaixonei pelo enredo e a habilidade da autora em desenvolver a trama tão bem intrincada e devo mencionar que fiquei surpresa com a autora por ter se superado ainda mais nesse volume.

O crime do vencedor se inicia logo após os acontecimentos finais de “A maldição do vencedor“: Kestrel concordou em casar com o herdeiro do império valoriano e agora sua vida está resumida em jantares e a corte. Mas isso não é Kestrel e logo ela se vê em meio a intrigas e jogos de poder ao tentar ajudar o povo que, há pouco tempo atrás, achava ser seu antigo inimigo: os herranis.

Após o acordo de Kestrel com o império, Arin se tornou líder de Herran e está, mais do que nunca, empenhado em fazer o que estiver ao seu alcance pelo bem do povo dele, mesmo que com o coração partido por não saber as verdadeiras intenções de Kestrel, não saber por qual lado ela realmente luta.

As guerras e as resistências ainda acontecem por todo o território e o jogo político que se iniciou no primeiro volume da série, agora alcança um novo nível. O cenário é outro, os adversários são outros e o jogo está muito mais perigoso – e à altura – do que Kestrel imaginava. Suas habilidades de estrategista serão infinitamente mais testadas agora.

Quando comecei esse livro eu não imaginava que a trama pudesse ficar ainda mais elaborada do que já era, não imaginava que a autora conseguisse expandi-la ainda mais, criando novas vertentes e ampliando a teia de aranha que é o enredo dessa trilogia. Ledo engano. O imperador pode ser ainda mais cruel e manipulador que qualquer adversário de Kestrel já teve e a corte muito mais cheia de jogos de poder, traições e mentiras do que podemos imaginar. E cabe a nossa protagonista aprender a dançar essa nova música, a desvendar os mistérios e jogos que se jogam na corte e ajudar ao povo pelo qual criou tanta afeição.

São duas as coisas que eu mais admiro nesse livro: a trama em si e a protagonista. A primeira, mesmo que tenha menos ação do que um livro com um ritmo eletrizante como esse geralmente tem, segue um ritmo frenético simplesmente porque é tanta coisa acontecendo, tantas tramoias, manipulações e afins, que é um choque atrás do outro. A autora realmente sabe como desenvolver uma trama, como interligar tudo nos mínimos detalhes, como inserir personagens e acontecimentos que aparentemente não são nada, mas que mais pra frente vão fazer todo o sentido terem aparecido.

A protagonista é um caso a parte: ela simplesmente não para de surpreender com sua capacidade estratégica, sua inteligência, sua habilidade nos jogos políticos. Ela é uma mocinha forte, madura e acima de tudo altruísta. Ela faz o que acha correto, e segue seus princípios do começo ao fim, abdicando de si mesma em prol do povo, mesmo que isso signifique perder a confiança das pessoas que ama.

Em linhas gerais, esse segundo volume da trilogia consegue ser ainda melhor do que o anterior. A trama está mais intrincada do que pensávamos, novos personagens surgem, colocando outras cartas na mesa desse jogo que ainda vai render muito. É um livro realmente surpreendente, com reviravoltas de cair o queixo e um ritmo insano, com uma protagonista em meio a uma corte cruel e um imperador manipulador. O desfecho é de nos fazer perder o fôlego e ansiar pela continuação.


Conheça os outros títulos da trilogia do Vencedor:

1. A maldição o vencedor (2016)

2. O crime o vencedor (2016)

Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: