sábado, 5 de agosto de 2017

AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: SEGUINTE, CORTESIA ISBN: 9788555340338 GÊNERO: ROMANCE, JOVEM ADULTO, LGBT PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 384 SKOOB

Fera foi um livro que me despertou a curiosidade logo que saiu a sinopse. Apesar de um romance adolescente, possuía uma proposta um pouco diferente: apresentar o relacionamento de uma menina transgênera com um garoto que é conhecido como Fera por sua aparência. Confesso que fico feliz com o reconhecimento e a presença cada vez mais forte de livros que abordem tais temáticas. Além disso, o livro prometia ser uma releitura do conto de fadas “A Bela e a Fera“. Tem como não se empolgar com a história?

Dylan não é como a maior parte dos garotos de quinze anos. Ele é corpulento, tem quase dois metros de altura e tantos pelos no corpo que acabou ganhando o apelido de Fera na escola. Quando o garoto conhece Jamie em uma sessão de terapia em grupo para adolescentes, se apaixona quase instantaneamente. Ela é engraçada, inteligente, linda e, ao contrário de todas as pessoas de sua idade, parece não se importar nem um pouco com a aparência dele. O que o garoto não sabe é que Jamie não é como a maioria das garotas de quinze anos: ela é transgênera, ou seja, se identifica com o gênero feminino, mas foi designada com o sexo masculino ao nascer. Agora Dylan vai ter que decidir entre esconder seus sentimentos por medo do que os outros possam pensar, ou enfrentar seus preconceitos e seguir seu coração.

Como disse no início da resenha, nos últimos tempos temos uma presença cada vez mais recorrente de livros que abordem questões referentes ao universo LGBT. Recentemente li outro livro que abordava um mesmo universo, só que em outra época: “A garota dinamarquesa“. A proposta era totalmente diferente de Fera, mas mostra a importância de livros assim e a maneira com a qual vão lidar. No caso de Fera, o ponto de partida é um romance adolescente como qualquer outro, mas acaba se desenvolvendo numa história de superar os preconceitos.

Dylan não é o melhor dos protagonistas. Se você imagina um garoto romântico e bem humorado, está bem enganado. Ele tem um humor azedo e costuma ser bem irônico quando quer. E arrisco dizer que esse foi o ponto que mais me fez gostar do personagem. A situação em que ele está, afinal, não é todo adolescente de 15 anos que tem quase dois metros de altura e um monte de pelos no corpo, torna ele tão humano e não tão idealizado. Todo adolescente quer apenas uma vida normal, amigos e quem sabe uma namorada. E Dylan quer tudo isso. Quando conhece Jamie, acredita que talvez ali possa haver um recomeço.

Jamie, por outro lado, é espirituosa, divertida e passa boa parte do seu tempo fotografando. A partir do momento em que ambos se conhecem, a garota tenta mostrar para Dylan que a vida pode ser muito mais que aparência. Consegue demonstrar, nas pequenas coisas, detalhes que poderiam passar despercebidos a qualquer um. Mas por outro lado, ambos se mostram teimosos, principalmente em relação um ao outro, o que acaba fazendo com que a relação de ambos fique estremecida.

O desenvolvimento da história é satisfatório, sem grandes acontecimentos, mas com lições ditas em passagem a cada página. No entanto, os desencontros entre os dois foram um pouco exagerados, fazendo com que se tornasse um tanto cansativo. Acredito que a autora poderia ter abordado outras questões que tornariam a leitura muito mais rica. Apesar disso, a leitura é válida e merece ser realizada.

Sobre o autor
Lucas Kammer Orsi
Lucas Kammer Orsi Estudante de História. Vê nos livros uma maneira de fugir da realidade e encontrar um pouco de aconchego do cotidiano tão corrido. Potterhead, se emociona fácil com romances, mas não deixa de lado um bom suspense, de viver uma aventura e dá gargalhadas com um chick-lit. Está sempre com suas séries atrasadas, mas isso não o impede de sempre começar mais uma. Amante da música pop, é grande fã de Taylor Swift.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: