quarta-feira, 2 de agosto de 2017

AVALIAÇÃO: 3/5 EDITORA: COMPANHIA DAS LETRAS, CORTESIA ISBN: 9788535928532 GÊNERO: THRILLER, POLICIAL PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 296 SKOOB

O desaparecido foi aquele livro que caiu nas minhas mãos ao acaso, sem saber muito sobre o que se tratava (além da sinopse), muito menos do autor. Apenas que era um thriller israelense, o autor era especialista em literatura policial, motivos suficientes para solicitá-lo. Quando chegou, fiquei surpreso pela edição cuidadosa, sendo ele em páginas brancas com a lombada em laranja. Apesar disso, a leitura demorou um pouco para ser realizada e quando foi, poderia ter sido um pouco melhor.

Ofer é um jovem que divide seu dia-a-dia entre o colégio e atividades extracurriculares, como qualquer menino da sua idade faria. Até o dia em que ele desaparece misteriosamente. Sua mãe vai até a polícia pedindo ajuda e seu caminho se cruza com o do detetive Avraham Avraham. A princípio, o detetive acredita que tem uma simples tarefa pela frente, como costumam ser os inquéritos na região. Todavia, um outro personagem entra na história, o professor do garoto e o detetive se vê numa complexa e perigosa investigação, que o fará questionar sua própria ideia de violência.

A proposta do livro tinha tudo para garantir uma leitura instigante e eletrizante. No entanto, me deparei com algo totalmente diferente, o que me causou um certo estranhamento e fez com que o ritmo de leitura fosse um pouco mais lento. Ao contrário de tantos outros livros do gênero que possuem um desenvolvimento mais ágil, Dhor Mishani aposta em algo mais psicológico, procurando explorar outros pontos dos personagens. De um lado temos o detetive, que leva uma vida pacata sem grandes emoções e de outro, temos personagens como o professor de Ofer, um individuo que não conseguimos sacar qual é a dele.

Pode ser uma proposta diferente e algo positivo, mas não funcionou tão bem quando se esperava. Senti uma falta de encadeamento no mistério em si, sendo este deixado em alguns momentos de lado. Não consegui divisar um começo, meio e fim, apenas possibilidades de algo que poderia vir a ser. E o fato de ser uma leitura mais lenta acabou que fazendo com que não houvesse uma concentração tão grande. Não havia aquelas revelações aos poucos que fizesse a gente ir em frente e saber o que aconteceria em seguida.

Por outro lado, algo que me chamou a atenção, mas que poderia ter sido mais bem explorado no desenvolvimento do mistério é a figura do professor. Como disse anteriormente, é alguém que não sabemos bem se é confiável ou não, mas que deixa indícios que poderia ter algo a ver com o desaparecimento do menino. A construção do personagem induz a isso, mas mesmo assim fica aquela dúvida no ar.

Fui até o final da leitura por querer saber o que tinha acontecido com Ofer. E mesmo assim o final deixa aberto a outras possibilidades, não se fechando naquilo e podendo deixar os leitores com uma opinião dividida. De maneira geral, O desaparecido é uma oportunidade para quem quer se arriscar em um outro tipo de narrativa. Não funcionou comigo, mas não quer dizer que com outras pessoas não funcionaria.

Sobre o autor
Lucas Kammer Orsi
Lucas Kammer Orsi Estudante de História. Vê nos livros uma maneira de fugir da realidade e encontrar um pouco de aconchego do cotidiano tão corrido. Potterhead, se emociona fácil com romances, mas não deixa de lado um bom suspense, de viver uma aventura e dá gargalhadas com um chick-lit. Está sempre com suas séries atrasadas, mas isso não o impede de sempre começar mais uma. Amante da música pop, é grande fã de Taylor Swift.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: