segunda-feira, 31 de julho de 2017

AVALIAÇÃO: 3/5
EDITORA: CHIADO, CORTESIA
ISBN: 9789895198146
GÊNERO: FICÇÃO CIENTÍFICA
PUBLICAÇÃO: 2017
PÁGINAS: 484 SKOOB

“Sonhamos, planejamos, estudamos, pesquisamos, analisamos os dados e sempre concluímos algo. Por que? Ou para que? Porque sempre pensamos além. Estamos sempre prontos ao próximo desafio.”

Will é professor universitário e pesquisador árduo de física e astronomia. Sua vida é bem solitária, mantendo próximo somente seu amigo de longa data Hamilton e sua esposa, e com visitas esporádicas aos seus pais que moram em outra cidade.

É uma vida bem rotineira entre trabalho, pesquisa e jantares solitários no restaurante da esquina. Até que um dia sua mais recente descoberta de um novo planeta o coloca na mira de uma sociedade secreta e eles podem financiar  seu sonho de infância de realizar uma viagem interestelar. A verdade é que Will escondeu até mesmo de seu parceiro de pesquisa que em tese conseguiria acelerar um corpo na velocidade da luz sem desintegra-lo. Isso mesmo amantes de ficção cientifica! Não só seria possível viajar pelo espaço até os mundos mais distantes como, meu coraçãozinho me diz que, seria possível até a viagem no tempo! O/

Se a vida de Will já ficou bem agitada com seu trabalho secreto,tudo toma o rumo mais inimaginável quando em uma palestra sobre a importância da ciência espacial para o mundo ele recebe críticas sobre os valores altos de financiamento dos programas espaciais enquanto várias necessidades humanas eram deixadas de lado. E mais inimaginável ainda: ele recebe a confirmação de uma mensagem que viu em seu sonho sobre a necessidade de salvar o povo de Caxemira.

Mesmo sendo um homem da ciência, Will é um homem muito cristão e todos os sinais de sua obra na terra vão sendo revelados para que ele cumpra sua missão, que esta intimamente ligada a região de Caxemira.

“Quando vemos o belo, não temos ideia da complexidade do trabalho que foi necessário para que ele exista. Para quem não entende o complexo se torna feio. Mas a visão ou a noção do belo e do feio, do belo e do complexo ou ainda do belo e do complicado, tudo depende do que você quer ver.”

O indiano Raghavi é um dos cientistas que esta ligado a pesquisa secreta da viagem interestelar. Ele conta a Will que o projeto não é financiado pelo governo e dá pra perceber que ele desconfia de algo muito errado por trás da verba envolvida na pesquisa, porém não fala mais nada e convida Will para ir para Caxemira.

Outra reviravolta na história, que parece ser outra quando Will esta em Caxemira, mas são os relatos mais intensos do livro. Uma zona de conflito é mesmo conturbada e sem sentimentos ao mesmo tempo que há muitos sentimentos envolvidos – amores, perdas, medo…

A sequencia de acontecimentos coloca Will num grande dilema: fama ou seguir com uma vida simples? Quais os valores começam a fazer parte da vida dele depois que entrou de cabeça e coração nos conflitos de Caxemira?

Eu entendo que há mensagens a serem entregues com a leitura do livro, mas eu esperei tanto o desenrolar como ficção cientifica e acabei só esperando.

Um detalhe que para mim deixou o livro muito longo e, às vezes, difícil de ler são as intermináveis passagens bíblicas ou citações de sermões religiosos.

Também não há aprofundamento nos personagens em volta do Will, já que ele narra a história, mas é uma perda, acho que Jaya – uma indiana que Will conhece em sua viagem para Caxemira – teria muito a contar e contribuir para a história.

Eu esperava outra coisa, mas O elefante de Caxemira em si é uma boa leitura, há muitas informações históricas no diálogo dos personagens e citações das descobertas astronômicas e físicas da humanidade. E não dá pra negar: é uma grande aventura.

Sobre o autor
Janaína Rodrigues
Janaína Rodrigues Uma sonhadora nata, encantada com a magia que pode ser encontrada no mundo real. Super apaixonada por livros, quadrinhos e séries... Hum... fanática por animação e amante entusiástica de manifestações artísticas. Pedagoga, professora de informática, virginiana, Grifinória e, claro, divergente. Mais ou menos por ai...


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook