AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: ROCCO JOVENS LEITORES, CORTESIA ISBN: 9788579803017 GÊNERO: HQ, FANTASIA, INFANTOJUVENIL PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 268 SKOOB

Nesse segundo livro da divertida saga juvenil DC Super Hero Girls, a protagonista é Kara Zor-El, mais conhecida por todos como Supergirl.

Narrado em terceira pessoa, o prólogo inicia exatamente onde o primeiro livro terminou, no entanto, não é necessário ter lido o anterior para entender essa nova aventura. \o/

A diagramação está praticamente idêntica a do livro anterior, porém as bordas das páginas são em vermelho, ao invés de azul. Notei diferença apenas no tipo de papel, nessa edição as páginas estão mais finas e lisas, mas a qualidade do material e da capa continuam iguais, continuo amando o efeito prateado nas letras e no cabelo da protagonista. Outro detalhe importante da capa é que logo abaixo da protagonista, vemos cinco outras garotas que terão destaque no enredo desse segundo volume, elas são: Wonder Woman, Barbara Gordon, Miss Martian, Hawkgirl e Poison Ivy.

A história também foi dividida em três partes:

Parte um – 1º ao 11º capítulo – Kara Zor-El é uma típica adolescente, porém mora num planeta chamado Krypton. De repente é obrigada a deixar seu mundo e chega à Terra quase vinte anos depois de seu conterrâneo Superman. Ela é amparada por Jonathan e Martha Kent e após algumas semanas de adaptação na fazenda o casal sugere que a garota estude na Super Hero High, Supergirl porém fica tentada a estudar na Academia Korugar com alunos alienígenas. Acaba indo para Super Hero High e tem que aprender a lidar com seus recém descobertos poderes. Além de órfã, Supergirl precisa se acostumar também com sua nova rotina.

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Parte dois – 12º ao 28º capítulo – Supergirl tem baixa autoestima e quer desesperadamente se misturar à multidão de alunos da Super Hero High, além de preencher o vazio deixado pela morte dos pais por causa da explosão em seu planeta de origem, no entanto, suas notas estão péssimas, e suas trapalhadas estão deixando todos sem paciência. Para completar o caos, ela simplesmente não consegue dominar seus poderes que cismam em aparecer de uma hora para outra: super audição, visão e velocidade no ar e no solo. Será que vai conseguir acreditar no seu SuperEu e superar todos os desafios? Fora isso, alguém está tentando invadir Super Hero High e com o passar das páginas alguns suspeitos vão ganhando evidência.

“Supergirl não queria causar problemas. Queria fazer amigos. Se não fizesse, ficaria sozinha no mundo.”

Parte três – 29º ao 39º capítulo – É hora de desvendar o verdadeiro vilão, dessa vez não foi nenhuma surpresa para mim, o enredo todo pareceu tão óbvio que cheguei a pensar que o final me surpreenderia, não, não surpreendeu, mas não foi ruim também.

“Só se lembre de uma coisa: para dar o melhor de si, você precisa empregar seus superpoderes, o poder do cérebro e a força de vontade. Você acha que pode fazer isso?”

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Considerações finais

Uma das coisas que com certeza deixarão o leitor com bastante vontade de entrar para a Super Hero High é sem dúvida as disciplinas curriculares como: Armaeconomia, Introdução aos Supertrajes, Heróis Através da História, Aulas de Voo, além das disciplinas tradicionais como Educação Física e Ciências, por exemplo.

Algumas vezes senti vontade de dar uma chacoalhão em Supergirl, que menina insegura… Apesar de ter me irritado um pouco com a história dela, senti que o livro é exatamente como os pré-adolescentes se sentem, com muitas dúvidas, incertezas, necessidade de aceitação e de vínculos afetivos. Além disso, a leitura é tão descontraída que li rapidamente.

Destaque para Bárbara Gordon que foi uma excelente amiga para Supergirl. A Babs já havia aparecido no primeiro livro, mas em poucas cenas e quase nenhuma fala, porém foi parte crucial para a trama desse livro.

A sacada do livro é sempre terminar a história deixando continuação para o próximo.

Acompanhar as três temporadas do desenho animado é também muito divertido, episódios curtos de 2 minutinhos para rir e se divertir muito nessa escola de super heróis. Alguns episódios da 1ª temporada são mencionados no 1º livro. Já a 2ª temporada está completamente diferente, apenas uma ou outra coisinha é mencionada no livro, fiquei até um pouco decepcionada, esperava ver um pouco mais. Mas é bom rever os personagens das telas no papel, o livro é um excelente incentivo para os fãs mirins.

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Continuo sentindo falta de ilustrações de algumas cenas da história, ainda mais por já ter o desenho animado, seria muito fácil reproduzir no livro, por quê não fizeram isso é um bom questionamento.


Conheça os outros títulos da série DC Super Hero Girls:

1. As Aventuras de Wonder Woman na Super Hero High (2016)

2. Supergirl na Super Hero Girl (2017)

Sobre o autor
Nara Dias 31 anos (22/12) – São Paulo Pós graduada na USP em Ética, valores e cidadania na escola, atua como professora de informática e robótica para crianças de 4 a 11 anos. Também com especialização em Libras - Língua Brasileira de Sinais, participa da comunidade surda da região onde mora, na Baixada Santista. Seu perfil no Skoob com mais de mil livros lidos, mostra sua paixão pelo gênero infanto-juvenil, onde capa, ilustração e tipo de impressão interferem muito em suas escolhas.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. sexta-feira, 28 de julho de 2017.

    Oiii Nara tudo bem?
    Eu não li o primeiro livro ainda para ter uma decisão melhor se leria esse segundo, sua resenha ficou ótima e espero também ter a oportunidade de ler, é um gênero um tanto engraçadinho e sei que eu gostaria muito.
    Beijinhos

  2. sexta-feira, 28 de julho de 2017.

    Oi, tudo bem?
    A diagramação está lindo demais, e a história me parece bem gostosa, só uma pena que acho que não conseguirei ler tão cedo.
    Bjs

  3. sexta-feira, 28 de julho de 2017.

    Olá!
    Curti demais seu post, mas não faz a minha praia.
    Mas valeu a dica!

  4. sexta-feira, 28 de julho de 2017.

    Oi, Nara! Já tinha lido uma ou outra resenha desse livro, e até estranho o formato dele, por ser acostumada a ler HQs dos heróis. rsrs
    Sobre a Supergirl, tadinha, acho que todo mundo se sente inseguro sendo a garota nova. Eu já me senti, e sou dessas mais introvertidas, então penei! É bom que o livro é justamente voltado para o público jovem, para conseguirem lidar com essa dificuldade.
    Bjos!
    Por essas páginas

  5. sábado, 29 de julho de 2017.

    Que interessante! Pelo o que você destacou, essa Hq é perfeita para minha sobrinha pré-adolescente, pois traz temas que tem tudo a ver com a idade dela. Se bem que eu adoraria ter aulas das disciplinas citadas. Aulas de voo deve ser ótima.

    Beijos

  6. domingo, 30 de julho de 2017.

    Oi Nara, infelizmente ainda não consegui pegar os desenhos, e espero me redimir lendo o livro 🙂
    A edição parece está uma graça.
    Bjs, Rose.

  7. domingo, 30 de julho de 2017.

    Eu gosto bastante dessas heroínas e tenho curiosidade com esse livro, mas não tenho lido nada parecido ultimamente. Gostei da sua sinceridade na resenha.

  8. domingo, 30 de julho de 2017.

    Oiê!!
    Não conhecia essa série e achei super incrível!! Adorei saber a respeito desse novo olhar sob a história das personagens da DC. Vou pesquisar mais a respeito desses livros =)

  9. domingo, 30 de julho de 2017.

    Olá!
    Que projeto gráfico mais lindo!
    Estou encantada com essa edição e até mesmo eu que leio quase nada de super heróis fiquei animada pra ler essa obra.
    Beijos!

  10. segunda-feira, 31 de julho de 2017.

    Aaah, que legal. Eu ainda não conhecia, mas achei super bacana a publicação. Deve ser uma leitura muito divertida e gostosa. Com certeza se fosse toda ilustrada seria mais interessante. Mas uma leitura envolvente também cativa né. Adorei a resenha.
    Abraços.

  11. segunda-feira, 31 de julho de 2017.

    Oi Nara! Adoro o universo DC e Marvel mas não tive oportunidade de ler nada ainda. Uma trama pré adolescente talvez não me agradaria tanto por esses momentos de inseguranças que pode irritar qualquer um rs. Mas adorei a indicação.

  12. terça-feira, 1 de agosto de 2017.

    Bah, quero muito ler esse livro! Acho tão bacana esse movimento de inserir histórias legais com protagonistas femininas fortes… Certeza de que vou adorar. E que edição bem caprichada, hein!

    ;*

  13. terça-feira, 1 de agosto de 2017.

    Oi! Que livro lindo! Olhando só a capa achava que era uma HQ, mas gostei do mesmo jeito. Adoro histórias de super heróis, e os da DC são meus favoritos *-*
    Suas impressões me deixaram bem interessada, e como não conheço direito a história da Super Girl é uma ótima chance para começar 🙂
    Beijo!

  14. quinta-feira, 3 de agosto de 2017.

    Nara, eu não conhecia a série, mas a achei fofa e divertida.
    Fiquei com vontade de ler e amei as matérias da Super Hero High.

Comentários no Facebook