AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA ISBN: 9788501109996 GÊNERO: FANTASIA , JOVEM ADULTO PÁGINAS: 364 PUBLICAÇÃO: 2017 SKOOB

Começo essa resenha dizendo que esse, dentre todos os textos que já escrevi na vida, foi o mais difícil até hoje. Talvez pelo tanto que eu gostei desse livro, talvez pela enorme quantidade de acontecimentos, reviravoltas e descobertas que ele nos proporciona que não sei nem por onde começar. Mas antes de entrar na história de fato, queria apenas comentar o quão desnecessário foi a separação do livro em duas partes – o quão anticlímax isso é, o quão frustrante para o leitor e fã da série. Ainda mais considerando a parte da história em que o Tomo 1 termina. Só queria avisar a você, leitor, que tenha os dois em mãos antes de começar a leitura, pois tenho a mais absoluta certeza que não vai aguentar se não tiver.

Império de tempestades – Tomo 1, nos mostra as várias frentes da batalha que está prestes acontecer. Por um lado temos uma Aelin marchando à Terrassen, sua terra natal, a fim de retomar sua coroa e angariar aliados para lutar contra Erawan junto com sua corte que conta com uma metamorfa e guerreiros féericos poderosos. Além disso, seguindo mais algumas mensagens enigmáticas de seus antepassados, ela vai atrás das outras chaves de Wyrd e seu fecho – únicas coisas capazes de realmente dar um fim em toda a guerra. Mas muitos obstáculos podem surgir nessa empreitada, a começar pelos antigos aliados de sua família que não parecem dispostos a colaborar com sua causa. Ela se vê sem poder retomar o que é seu de direito, sem aliados e com cada vez mais inimigos à sua volta.

Do outro lado temos Dorian, lidando com um reinado instável, uma magia que não sabe controlar e se vendo sozinho, tentando se encontrar sem ter Chaol e Aelin como seu suporte. E, além disso tudo, ainda está cercado de dúvidas sobre o que aconteceu em seu castelo e sua parte nisso, além de não tirar Manon Bico Negro da cabeça: uma bruxa que ele não sabe ao certo de qual lado está.

E falando em bruxas, Manon está cada vez mais incerta sobre o futuro e os objetivos das bruxas com quem luta. Tirando suas 13 ela não confia em ninguém e, ao ter a vida de sua imediata condenada pela própria avó, ela começa a perceber que não é tão vazia de sentimentos como as bruxas se vangloriam de ser, e que é capaz de muita coisa por suas treze. Ela começa a pensar se não está lutando pelo lado errado.

Também temos Lorcan, que em seu caminho ao desfiladeiro Ferian, se encontra com Elide que está sendo caçada pelos demônios de Erawan ao ir em busca de sua rainha perdida – Aelin. Os dois se tornam aliados improváveis, com objetivos mais parecidos do que podem imaginar, sem saber que o que procuram é a mesma coisa. Elide se mostra uma menina muito forte nesse livro, ela finalmente desabrocha e se mostra mais inteligente do que podíamos imaginar, uma personagem digna de admiração e que conquista seu lugar com muita luta e sangue.

O livro nos mostra outras frentes além dessas, mas se eu fosse falar de todas escreveria uma resenha do tamanho de um livro do George Martin de tão grande. Esses são os principais acontecimentos que acompanhamos e não posso deixar de dizer que é um mais empolgante do que o outro. Muitos podem achar que essa narrativa alternada entre os personagens pode ser frustrante (e ás vezes até é, quando para na melhor parte pra pular de perspectiva), mas as frentes que acompanhamos são tão excitantes que uma página na perspectiva de qualquer um desses personagens já nos deixa animadíssimos e ansiosos pelo desfecho da história. Sem falar que, em determinado ponto, os caminhos se juntam e aí a coisa começa a pegar fogo de verdade.

É até difícil pra mim explicar o que exatamente foi esse livro. A história progride de uma maneira incrível, os personagens começam a se encontrar e descobrir quem são de verdade, revelações tiram nosso chão e nosso coração fica acelerado de tanta adrenalina.

Aelin finalmente está se tornando a rainha que queríamos ver, uma mistura da antiga assassina com a poderosa rainha. Não me canso de atestar sua inteligência, sua capacidade para pensar nos planos mais mirabolantes, sua capacidade de surpreender a todos com suas manipulações (dessa vez pelo bem maior), sua capacidade de nos fazer achar que está tudo perdido para só então ela chegar e dizer que “foi tudo planejado”. A protagonista é incrível e está ainda mais incrível nesse livro.

Manon é outra personagem que ganhou meu coração nesse livro. Eu meio que já gostava dela nos anteriores, mas agora ela está se mostrando ainda mais valiosa, ainda mais surpreendente – mal posso esperar para ver o que vai acontecer com ela e que papel ela vai ter nessa guerra toda, ainda mais depois de todas as revelações que temos sobre o passado dela e quem ela é de verdade. Nesse livro vemos um lado dela que ainda não havia sido mostrado e que vai deixar o queixo de muita gente caído.

A narrativa de Sarah continua com tanto dinamismo como nos livros anteriores. Sua escrita é fluida e extremamente envolvente – como se não bastasse a trama incrivelmente bem elaborada e os personagens incríveis que ela foi capaz de criar. O livro é repleto de adrenalina, do começo ao fim, e é impossível parar de ler. É acontecimento atrás de acontecimento, uma reviravolta nos planos atrás da outra. Muita ação, aventura e lutas. A autora nos brinda com um ritmo frenético, com coisas que queríamos ver há tempos (Rowan e Aelin <3), e um enredo bombástico. Não consigo imaginar o que se passa nessa mente brilhante pra conseguir criar um enredo tão cheio de tramas, de manipulações de intrigas políticas, estratégias inimagináveis e muita, mas muita emoção. Inclusive, prepare seu coração, pois o tomo 1 termina de um jeito que vai te fazer chorar de frustração, vai te fazer desejar tacar o livro na parede, bater em alguma coisa, ou simplesmente sair correndo e pegar a continuação na mesma hora. Tanta coisa aconteceu e esse foi só o primeiro tomo. Meu coração já está na mão e ainda falta metade do livro pra ler. Que Deus nos ajude, porque tenho certeza que vem mais bombardeio de Sarah J Maas por aí.


Conheça os outros títulos da série Trono de Vidro:

1. Trono de vidro (2013)

2. Coroa da meia-noite (2014)

3. Herdeira do fogo (2015)

4. Rainha das sombras (2016)

5. Império de Tempestades – Tomo 1 (2017)

 A lâmina da assassina – Histórias de Trono de Vidro (2015)

Sobre o autor
Larissa Gaigher

Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro
Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.



Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: