Trilogia Para todos os garotos que já amei, de Jenny Han

“Kitty está sempre dizendo que histórias de origens são importantes. Na faculdade, quando as pessoas perguntarem como a gente se conheceu, como vamos responder? A história curta é que passamos a infância juntos. Mas essa é mais a minha história com Josh. Namorados de escola? É a história de Peter e Gen. Então, qual é a minha história com ele? Acho que vou dizer que tudo começou com uma carta de amor.” (p. 299)

– Agora e para sempre, Lara Jean

A trilogia Para todos os garotos que já amei é de autoria de Jenny Han e foi publicada no Brasil pela Editora Intrínseca. Os livros, intitulados “Para todos os garotos que já amei“, “P.S: Ainda amo você” e “Agora e para sempre, Lara Jean“, acompanham a vida de Lara Jean, uma típica garota do ensino médio, que tem mais duas irmãs, Margot e Kitty, mais velha e mais nova que ela, respectivamente. Ambas moram com o pai, após a morte da mãe e mantém um relacionamento bem próximo. Apesar do livro ser focado em Lara Jean, é impossível não se afeiçoar as demais.

Tudo se inicia com a partida de Margot para a faculdade ao mesmo tempo em que conhecemos as três irmãs e suas personalidades totalmente diferentes. Enquanto que Margot era a mais determinada das três, Lara Jean era a mais sonhadora e Kitty a mais divertida. Aviso de antemão que não acho que ser sonhadora seja algo ruim, pelo contrário: acredito que é essa característica um dos pontos fortes para a história se mostrar desde o começo tão leve. Como nem tudo são flores, as coisas começam a mudar quando algumas cartas, escritas por Lara Jean no ensino fundamental para garotos que ela se apaixonou, acabam sendo enviadas por alguém desconhecido. Logo, os destinatários vêm conversar com a garota e a vida dela não é mais a mesma. Dentre eles, o namorado da irmã, Josh. Além disso, o astro dos esportes do colégio: Peter Kavinsky. Lara se vê no meio de uma confusão, ao mesmo tempo em que tem de dar conta das tarefas do ensino médio e pensar no seu futuro.

É um romance adolescente? É sim. É clichê? Também. Tem todos os elementos de um romance típico de ensino médio? Com certeza. Vale a pena? Fazia tempo que não me divertia tanto e me sentia tão bem ao conhecer um novo universo. A escrita de Jenny se mostra desde o começo fluida e tranquila, fazendo com que o leitor queira estar junto das irmãs Song e saber o que acontecerá com elas. E os personagens têm grande parcela de culpa nesse processo. Muito mais que um romance adolescente, Jenny Han consegue lidar com relacionamentos familiares, principalmente entre as irmãs, paralelos a problemas e obstáculos que a própria faixa etária acaba passando. Não foram poucas as vezes que me peguei rindo com as tiradas de Kitty, querendo dar umas sacudidas com Margot e suspirando com Lara. Quando não era tudo junto e misturado.

O primeiro livro tem um desenvolvimento rentável, acabando num ponto propício para um segundo romance, que na minha opinião, foi o mais fraquinho dos três. Dessa vez, a maldição do segundo livro se encaixa aqui. Apesar disso, surgem outros personagens, que acabam tornando a história ainda muito mais especial. Além disso, a autora coloca situações do dia a dia que tornam o livro tão próximo da realidade, mas que mesmo assim consegue transmitir um sentimento bom, de companheirismo, amizade e lealdade. Um romance, que logo no primeiro livro já é possível perceber, surge, mas que acaba passando por dificuldades. Por fim, o terceiro livro tem a incumbência de fechar a série, algo que consegue fazer com certo charme, me deixando com borboletas no estômago e um sorrisinho bobo no rosto. Esse, para mim, é o livro mais difícil, diante das escolhas de Lara acerca do seu futuro, uma vez que ela se encontra no ensino médio, mas também tem de responder às expectativas de todos ao seu redor.

Em muitos momentos, consegui me identificar profundamente com Lara Jean, o que facilitou muito o rendimento da história. Todos seus questionamentos sobre vida, futuro e relacionamentos eu também passei e ainda passo, apesar de já ter me formado no ensino médio. Dúvidas sobre o que fazer, qual caminho escolher. É algo que é recorrente na vida de qualquer pessoa e acho que a autora soube lidar muito bem com a protagonista, aliando a isso um bom humor. E, não menos importante, a própria questão do amadurecimento dos personagens. Começamos com Lara indo para o ensino médio e terminamos com ela indo para a faculdade. Da mesma forma com Kitty e Margot.

Por um momento achei que as tais cartas seriam algo mais recorrente no decorrer da narrativa. Ledo engano. Os caminhos foram totalmente outros, me surpreendendo e fazendo com que a trilogia se tornasse uma das favoritas. Já havia lido outros livros da autora, mas nenhum que me fizesse sentir tão feliz. Confesso que terminei a leitura já sentindo falta dos personagens. Se recomendo? Leitura obrigatória!

Sobre o autor
Lucas Kammer Orsi
Lucas Kammer Orsi Estudante de História. Vê nos livros uma maneira de fugir da realidade e encontrar um pouco de aconchego do cotidiano tão corrido. Potterhead, se emociona fácil com romances, mas não deixa de lado um bom suspense, de viver uma aventura e dá gargalhadas com um chick-lit. Está sempre com suas séries atrasadas, mas isso não o impede de sempre começar mais uma. Amante da música pop, é grande fã de Taylor Swift.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook