quinta-feira, 22 de junho de 2017

AVALIAÇÃO: 4,5/5 EDITORA: RECORD, CORTESIA ISBN: 9788501087850 GÊNERO: HISTÓRIA PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 237 SKOOB

O Bunker de Churchill, do historiador e também biógrafo Richard Holmes, explora, nas páginas desse livro pela primeira vez, como de dentro de salas apertadas, o grande estadista inglês transformou uma provável derrota para os nazistas na retumbante vitória britânica. Para quem não sabe, sou formado em História e quando vi do que se tratava o conteúdo do livro, não pensei duas vezes antes de solicitar. Não sabia da existência dessa parte da história da Segunda Guerra Mundial, fazendo com que ficasse ainda mais interessado pela leitura. E confesso que não me arrependi do mesmo.

A Segunda Guerra Mundial, conflito entre países como Alemanha, Inglaterra, Itália, teve alcance mundial, gerando discussões até os dias atuais. O que muitas vezes acaba se focando na figura de Adolf Hitler e sua postura política, deixando de lado outras possibilidades de se contar a mesma história. O livro de Holmes vem com o objetivo de mostrar como estava a Inglaterra naquele momento, focando na figura de Winston Churchill, primeiro ministro inglês no período, mas mais nitidamente no modo em que o mesmo atuou de dentro de um refúgio temporário para o caso de bombardeios, mas que acabaram virando uma segunda casa para o Churchill e um grande número de militares e civis, cujo serviço até então passara despercebido.

A pesquisa de Holmes é de fôlego, fazendo com que o leitor fique curioso para saber maiores informações sobre o assunto. Do mesmo modo, o esforço para a pesquisa se manifesta na escrita do mesmo, onde temos algo bem delineado e uma narrativa fluida. Um aviso para quem não está habituado é porque o livro pode se mostrar um pouco cansativo, afinal, há uma sucessão de fatos e datas que pode confundir. Apesar da minha formação em História, não tinha tamanho conhecimento sobre a vida do primeiro-ministro inglês, o que dificultou um pouco o envolvimento com a leitura.

A divisão dos capítulos dá conta das questões propostas pelo autor no início do livro, ao mesmo tempo em que cria uma tensão que sabemos ser o final da Segunda Guerra Mundial. Além disso, trazem alguns materiais iconográficos, trechos de diários daqueles que viveram dentro do esconderijo e documentos oficiais, tornando o contato do leitor com o ambiente ainda mais próximo. Não obstante, o último capítulo do livro foi algo diferente do que eu imaginava, tornando-se o favorito dentre todos. Holmes vai além do final do conflito tentando mostrar como aquele espaço, que durante muito tempo fora esquecido, acabou se tornando algo musealizado e lembrado pelas autoridades inglesas seguintes. Isso remete as práticas do final do século XX, que reacendem as questões de patrimônio e memória, cada vez mais emergentes nas sociedades.

Sobre o autor
Lucas Kammer Orsi
Lucas Kammer Orsi Estudante de História. Vê nos livros uma maneira de fugir da realidade e encontrar um pouco de aconchego do cotidiano tão corrido. Potterhead, se emociona fácil com romances, mas não deixa de lado um bom suspense, de viver uma aventura e dá gargalhadas com um chick-lit. Está sempre com suas séries atrasadas, mas isso não o impede de sempre começar mais uma. Amante da música pop, é grande fã de Taylor Swift.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: