segunda-feira, 19 de junho de 2017

AVALIAÇÃO: 4,5/5 EDITORA: GLOBINHO, CORTESIA ISBN: 9788525063892 GÊNERO: CONTOS, INFANTOJUVENIL, CLÁSSICO PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 208 SKOOB

Monteiro Lobato não apenas faz parte da história da literatura infantojuvenil nacional como teve papel fundamental na evolução dela a partir da criação de suas obras.

Esse ano, o selo Globinho, da Globo Livros, lança a 4ª edição do livro Fábulas, no entanto a primeira publicação foi feita quase cem anos atrás, em 1922, e os protagonistas são os tão conhecidos personagens do “Sítio do Picapau Amarelo”.

A proposta do livro é bastante interessante. Após um gigantesco sumário de três páginas e a apresentação do livro por Ilan Brenman, a narração começa com a primeira fábula: “A cigarra e as formigas“. Depois disso, destacada e em itálico aparece a moral da história, e ao fim, lemos comentários dos personagens. Dessa forma é possível perceber que todos estão ouvindo Dona Benta contar ou inventar cada uma das 74 fábulas apresentadas.

Sabemos que cada ouvinte tem uma reação e faz diferente interpretação das histórias, tornando esse modo de contar fábulas muito envolvente, além disso, saber a opinião da turminha do Sítio é extremamente divertido.

Dessas 74 fábulas, algumas são conhecidas, outras parecidas… Nem todas ganharam uma ilustração, porém algumas têm até três desenhos diferentes. Ao todo são mais de 60 ilustrações assinadas pelo também paulistano Alcy Linares. Aliás, a diagramação do livro está excelente, muito convidativa.

Senti muita falta de um glossário, ainda mais para que fosse possível que o jovem leitor consultasse e desse rápida continuidade à leitura. Porém, não tendo glossário, uma ótima alternativa para o professor seria trabalhar as fábulas com os alunos em sala de aula, talvez lendo uma por dia e estimulando a busca pelos significados das palavras desconhecidas, como: repinicar; togado; neurastênico; gabola; encangado; catrapus; finório; beócios; carreiro; igualha; bruaca; usurário; intrujão; patarata; propalar; ventrudo… De forma diferente, duvido que o jovem leitor tivesse a paciência de procurar por si só cada significado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“(…) Eu, quando me dão algum conselho, fico pensando comigo mesma: “Onde é que está o gato?”. Porque há sempre um gato escondido dentro de cada conselho. Dona Benta arregalou os olhos. Como estava ficando sabida aquela diabinha. – Em que você acredita, então? – perguntou o Viconde. Emília respondeu: No meu miolo. Não vou em onda nenhuma, nem de inimigo nem de amigo”

Em alguns trechos, existem comentários dos personagens sobre aventuras vividas em outros momentos, como o passeio ao País da Gramática por exemplo, para os leitores que não leram outras obras do escritor, talvez  sintam-se  um pouco perdidos.

No final do livro, há uma parte especial sobre o autor, além de uma linda foto dele, é exibida algumas de suas obras nas capas originais.

A leitura é feita de forma rápida e dinâmica, sendo possível refletir sobre tantos ensinamentos positivos e alguns que infelizmente mostram a força vencendo a fraqueza ou o prevalecimento da injustiça, mas o que não deixa de acontecer na vida real. Os risos ficam por conta da expertise da ex-marquesa, a bonequinha mais atrevida do Brasil, Emília. Recomendadíssimo.

“Emília fez um muxoxo de pouco-caso. – E “passo” isso de ser gente humana” Maior sem-gracismo não conheço… – Cuidado, Emília” – disse Narizinho, – De repente você estufa demais e acontece como no caso da rã… E sabe o que sai de dentro de você, se arrebentar? – Estrelas! – berrou Emília. – Sai um chuveiro de asneirinhas… Emília pôs-lhe a língua.

Sobre o autor
Nara Dias 31 anos (22/12) – São Paulo Pós graduada na USP em Ética, valores e cidadania na escola, atua como professora de informática e robótica para crianças de 4 a 11 anos. Também com especialização em Libras - Língua Brasileira de Sinais, participa da comunidade surda da região onde mora, na Baixada Santista. Seu perfil no Skoob com mais de mil livros lidos, mostra sua paixão pelo gênero infanto-juvenil, onde capa, ilustração e tipo de impressão interferem muito em suas escolhas.


Deixe uma resposta

  1. quarta-feira, 21 de junho de 2017.

    Que livro mais gostoso
    Tem gosto de infância
    Amei a resenha, esse é um verdadeiro clássico, bjs

  2. quarta-feira, 21 de junho de 2017.

    Que edição maravilhosa. Eu acho que deve ser um livro muito bom para ler com os pequenos e também relembrar os velhos tempos. Adorei a capa, achei muito linda.

  3. quinta-feira, 22 de junho de 2017.

    Ai que agora bateu saudades do tempo em que eu assistia religiosamente o Sitio do Pica pau Amarelo!!!! Não tinha visto este livro ainda, mas já estou querendo.
    Bjs, Rose.

  4. quarta-feira, 28 de junho de 2017.

    Essa edição é linda! Fiquei vendo e slide com as fotos e babando. Monteiro Lobato, apesar de toda polêmica em relação a sua obra, é essencial que o publico tenha contato com sua obra. Claro, precisa de uma mediação, para as crianças e jovens leitores.

    Beijos

  5. quarta-feira, 28 de junho de 2017.

    Adorei ver esse livro por aqui, sabia?
    Gosto de contos infantis e principalmente quando são de autores nacionais renomados.
    Recentemente meu professor citou que a Sininho fazia o pó de pirlimpimpim e eu disse que ele estava equivocado, porque esse pó era da Emília.
    A Sininho fabricava o pó mágico. kkkkkkk
    Ele estava tentando ilustrar alguma coisa para a aula dele. E estava ilustrando errado. rsrs Não pode, né?
    Eu simplesmente amo livrinhos assim e super amei o seu texto.
    Um beijão!

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: