quarta-feira, 7 de junho de 2017

AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: ARQUEIRO, CORTESIA ISBN: 9788580417012 GÊNERO: ROMANCE PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 512 SKOOB

Essa é minha primeira leitura do autor Nicholas Sparks. Juro! Claro que já conheço as obras do autor por meio das versões cinematográficas. “Um amor para recordar” foi um filme chave na minha adolescência e não importava quantas vezes eu assistisse sempre chorava horrores. E “Diário de uma paixão”! Nossa! Não tem como não chorar nesse filme. Ou seja, pela experiência, sabe-se que sempre há grandes emoções em suas histórias.

Não é diferente com Dois a Dois (por favor, vire filme logo!). Russ é um cara dado ao romantismo. Praticamente desde criança acredita que é possível que uma garota se apaixone por ele só fazendo as coisas românticas na hora certa. É claro que na realidade não é bem assim e ele acaba tendo poucos relacionamentos. Mesmo assim ele encontra Vivian, uma mulher segura e linda com quem se casa e tem planos de ter uma família. Aliás, é assim que o livro começa: com uma gravidez.

O relacionamento de Russ e Vivian não é o mais comunicativo e compreensivo do mundo, mas na narrativa em primeira pessoa ele faz parecer que são dias de felicidade. Tudo se transforma com a chegada de sua filhinha London, pois Vivian não voltara a trabalhar para cuidar da filha, de forma que Russ começa a se sentir muito pressionado por manter a casa sozinho.

As coisas parecem começar a desandar. Na agência de publicidade em que trabalha as coisas não estão indo muito bem e Russ decide arriscar e abrir sua própria empresa. Em contrapartida, Vivian decide voltar a trabalhar. Há dois cercos na história: o primeiro é que o trabalho de Russ é autônomo e ele terá que cuidar de sua filha London, e o segundo é o constante envolvimento de Vivian com o seu trabalho, que precisa viajar e ficar fora durante muito tempo.

Primeiro Russ se sente perdido, deprimido, quase um perdedor. E cuidar de London o faz se cobrar ainda mais, principalmente por que em alguns momentos ela parece confusa com as mudanças que vão acontecendo.

“Eis o que mais eu aprendi: idade não garante sabedoria”

Todos os conflitos que Russ não resolveu em sua vida até agora se afloram e muitos outros se levantam. Às vezes dá vontade de gritar com ele pra ver se ele vai ser mais ativo (eu já disse que me envolvo muito com os personagens, né?!). Mas também surge uma empatia com o personagem que está dando tudo de si para que as coisas deem certo e ele finalmente ser o super pai, o companheiro exemplar e o melhor filho do mundo. Ele se cobra demais mesmo.

A narrativa é deliciosa, apesar de muito detalhista, e não há como não se envolver com os personagens e os problemas reais que eles estão imersos. E, sem spoilers aqui, mas… reservem lenços de papéis infinitos. Como é de praxe, as histórias de Sparks, em sua finalização, são de arrebatar uma alma de tanto chorar.

Sobre o autor
Janaína Rodrigues
Janaína Rodrigues Uma sonhadora nata, encantada com a magia que pode ser encontrada no mundo real. Super apaixonada por livros, quadrinhos e séries... Hum... fanática por animação e amante entusiástica de manifestações artísticas. Pedagoga, professora de informática, virginiana, Grifinória e, claro, divergente. Mais ou menos por ai...


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: