quinta-feira, 25 de maio de 2017

AVALIAÇÃO: 3/5 EDITORA: INTRÍNSECA, CORTESIA ISBN: 9788551001226 GÊNERO: FICÇÃO CIENTÍFICA PUBLICAÇÃO: 2017 PÁGINAS: 352 SKOOB

Matéria escura nos conta a história de um homem que leva uma vida comum e feliz, mas se no passado ele tivesse feito outras escolhas, o seu presente e futuro seriam completamente diferentes. Jason é um físico que desistiu de uma carreira brilhante e tornou-se professor universitário, tudo isso para que pudesse estar ao lado da esposa e do filho que tanto ama. No entanto, durante seus anos de glória foi muito admirado por seus colegas, por ser dono de um intelecto formidável. Mas, como dito, ele desistiu de seus sonhos para constituir uma família, o que deixou outros personagens (não tão importantes) abismados e inconformados.

Numa noite em família, Jason é convidado por um antigo colega de faculdade para comemorar uma honrosa premiação. Convencido pela esposa ele sai para festejar, após conferir de perto o sucesso do amigo, nosso protagonista começa a se questionar de suas escolhas: se tivesse optado por outros caminhos, que rumo sua vida teria tomado? No retorno para casa, Jason é raptado por um homem mascarado e levado para um local a esmo. Após ficar inconsciente, ao acordar em um local desconhecido, ele percebe que sua vida não é mais a mesma, seu mundo se perdeu e a atual realidade é totalmente distorcida, ele não tem mais uma esposa e nem um filho, ele sente que tudo está fora do lugar, sua vida não lhe pertence mais, algo está errado e ele necessita descobrir o que está havendo, e rápido.

Neste contexto, nosso protagonista e narrador se desloca por várias realidades alternativas em busca de respostas e de sua família, são variados acontecimentos e diferentes desfechos. Matéria escura de fato tem um ritmo frenético e uma história insana, o livro teve muitas críticas positivas e elevada classificação. Mas, embora a história em si tenha sido muito bem desenvolvida e os poucos personagens bem construídos, o seu desfecho foi um tanto decepcionante, não manteve o ritmo e o nível da maior parte da narrativa, achei o final insatisfatório, mas não é um final ao certo, já que o desfecho poderia ter seguido outro rumo. Em se tratando de realidades/mundos paralelos, o desfecho deveria ter sido mais trabalhado e desenvolvido pelo o autor, os acontecimentos foram muito rápidos, o que acabou reduzindo consideravelmente toda aquela emoção que senti durante a maior parte da leitura.

Enfim, de modo bem resumido, o livro se trata de uma história de ficção científica regada a algumas doses de mistério, gênero que normalmente não leio, esse tipo de leitura apresenta situações improváveis, porém Blake Crouch nos leva a crer que tudo é possível. Em Matéria escura, Jason se vê diante de si mesmo, ele se coloca diante de distintas realidades e acaba sabendo de antemão o fim de cada uma, isso dá a ele o retorno de seus questionamentos e anseios, só não para o leitor.

Minha dica é… Se você quer saber a sensação que essa leitura lhe proporcionará, observe bem a capa com aquela cor berrante e todos aqueles detalhes escritos em preto em torno do título, a sensação é exatamente essa, eu não consigo defini-la numa palavra, essa leitura me deixou desnorteada! O autor te presenteia com uma trama fabulosa, mas quando chega a hora de te deixar de queixo caído, você toma um banho de água fria.

Todavia, acredito que devo fazer breves considerações sobre outros pontos da obra que a meu ver tiveram grandes destaques. Em primeiro lugar: a edição, o livro tem um projeto gráfico lindíssimo, o que ao mesmo tempo é diferente e comum, a arte é simplória e majestosa, o livro com capa dura é todo em tom laranja e com o título em preto sobre holofote – isso chamou minha atenção, embora não tenha nem um elemento esplêndido, a capa se torna bonita –, a Editora Intrínseca tem lançado alguns de seus títulos mais recentes com capa dura, o que em minha opinião representa um grande avanço em termos de qualidade e durabilidade.

Outro ponto relevante são as teorias trazidas por Blake Crouch acerca da “matéria escura” e seu avanço dentro da ciência, esse fator por si só é capaz de manter o leitor ligado à história do início ao fim, mesmo se a história fosse ruim, o que não é o caso. Entretanto, o final não acompanha o ritmo frenético pelo qual a leitura se desenrola em sua totalidade. A questão aqui é que o autor levanta muitas teorias loucas ou mesmo impossíveis, isso te prende e você precisa (e quer) compreender o que está havendo e o que vem a seguir, esse sentimento esteve presente comigo em quase 80% da leitura. De modo geral, o livro é INSANO, uma loucura atrás da outra.

Sobre o autor
Patrícia Oliveira Patrícia Oliveira, 25 anos (07/01) – São José/SC. Acadêmica de Direito, leitora assídua e blogueira. Lê de tudo um pouco, seus gêneros literários favoritos são romance histórico, época e contemporâneo, thriller psicológico, fantasia épica e clássicos. Sempre cultivou a ideia de criar um blog, onde pudesse compartilhar sua opinião. Quando não está fazendo tarefas cotidianas, geralmente está divertindo-se na companhia de seus bichos de estimação. Curte séries, filmes de comédia romântica e animes, mas sua grande paixão é a literatura.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook