segunda-feira, 22 de maio de 2017

AVALIAÇÃO: 4/5
EDITORA: INTRÍNSECA, CORTESIA
ISBN: 9788584390571
GÊNERO: INFANTOJUVENIL
PUBLICAÇÃO: 2016
PÁGINAS: 288
SKOOB

O livro Pax é a estreia no Brasil da premiadíssima autora Sara Pennypacker. A edição é tão linda que é impossível não querer ler só de folhear as páginas. Mas, um aviso: Pax tem histórias tensas e marcantes. Sério. Muita gente chora nas primeiras páginas.

Peter é um garoto de 12 anos que tem como amigo inseparável a raposa Pax, que está com ele há aproximadamente sete anos. Logo no início da história ambos sofrem com a perda e a separação, que são o pano de fundo dessa trama. O pai de Peter irá para a guerra e não há como levar Pax para a casa do avô, onde Peter irá morar agora. Então, ele dirige até a entrada de uma floresta para abandonar Pax por lá. 

Esse início é tenso e, para mim, muito emotivo. Mesmo a narrativa sendo em terceira pessoa é possível sentir as mesmas sensações da raposa Pax, que sabe que algo está errado ao sentir os tremores e lágrimas do seu humano Peter e o humor sempre exaltado do pai dele.

Ao chegar na casa do avô, Peter entende que não foi leal com Pax e decide ir buscá-lo, pois o certo é que eles fiquem juntos. O que os separam agora são aproximadamente quinhentos quilômetros e a guerra que se estende pela região. Em outras palavras, o início de uma grande aventura.

É aqui que o livro muitas vezes dá uma empacada, Peter é um garoto que precisa se descobrir, que tem receio de ser ‘estourado’ como os homens da sua família e ainda sofre silenciosamente a perda de sua mãe. São muitos conflitos para uma jornada de resgate e absolvição de culpa. Mas praticamente todos os itens são tratados na evolução da história.

Por outro lado, Pax está ansioso pela volta de seu humano e não se distancia do local onde foi deixado para que Peter possa reencontrá-lo. Até que encontra outras raposas e passa a viver sua própria aventura, porém ainda está voltado a encontrar o seu dono.

Os capítulos do livro são alternados entre Pax e Peter. Ambos tentando se encontrar, e aparentemente se distanciando.

Foto: Ilustração do título “Pax” por Jon Klassen.

 

“A verdade mais simples pode ser a coisa mais difícil de enxergar quando envolve a nós mesmos. Se você não quiser ver a verdade, vai fazer o que for preciso para disfarçá-la.”

Sem dúvidas é um livro lindo, muito bem editorado e com ilustrações delicadas em preto e branco, mas esperava um pouco mais da história. Gostei muito da aventura do Pax, mas Peter não me prendeu como ‘herói’. E, em alguns momentos, a leitura se arrastou, quase parando.

Não há muitas explicações sobre a guerra, sobre o pai e o avô de Peter. É claro que a foi cumprida a intenção da autora em falar sobre os males da guerra (inclusive para os animais que vivem nas florestas), laços de amizade, problemas familiares, a transição da adolescência, traumas etc. E, para isso, as descrições são simples, porém realistas. De certa forma, um pouco pesadas para crianças pequenas.

Recomendo a leitura para refletir sobre os temas. E acredito que todos vão se apaixonar, como eu, pela aventura do Pax. Por todos os capítulos do Pax, vale muito a pena!

Sobre o autor
Janaína Rodrigues
Janaína Rodrigues Uma sonhadora nata, encantada com a magia que pode ser encontrada no mundo real. Super apaixonada por livros, quadrinhos e séries... Hum... fanática por animação e amante entusiástica de manifestações artísticas. Pedagoga, professora de informática, virginiana, Grifinória e, claro, divergente. Mais ou menos por ai...


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: