AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: REVIRAVOLTA, CORTESIA ISBN: 9788566162578 GÊNERO: NÃO FICÇÃO PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 144 SKOOB

A questão de gênero na escola

Nós vivemos numa sociedade que está cercada de estereótipos. Essa afirmativa te chocou? E o que você acha disso: “Rosa para as meninas e azul para os meninos”; “Senta direito! Nem parece uma menina”; “Ele não vai chorar, ele já é um homenzinho”. Aposto que você já ouviu frases bem parecidas como essas e, não se culpe, deve ter concordado ou omitido uma opinião sobre o assunto. Não se culpe mesmo, mas entenda que você vive numa sociedade que generaliza e até mesmo discrimina os gêneros (e eu não estou falando só da mulher).

É por causa dessas limitações, e muitas outras, que o livro Diferente, não desiguais foi concebido por três doutorandas (USP e Unicamp). O livro trata a questão do gênero e a luta por reconhecimento, igualdade e equidade de todos.

Dados históricos, pesquisas atuais, gráficos, leis, indicação bibliográfica, e “saiba mais” preenchem as páginas de forma concreta. São oito capítulos escritos sem enrolação e com uma linguagem simples e compreensível: um convite a todas para participar dessa problemática e debater soluções.

O palco principal pode parecer a escola, por conta do subtítulo, mas fica claro que todos temos um papel importante para contribuir. A escola não é só considerada local de socialização infantojuvenil como também de apropriação cultural e até mesmo reprodução, e é por isso que esse assunto é importante para os profissionais da educação. Uma sociedade mais justa em relação à direitos só se constrói a partir da educação.

O livro nos convida a aprofundar o debate sobre a luta das mulheres, homossexuais e transexuais por igualdade e de como os homens crescem vítimas de estereótipos que, como os outros grupos, os limitam e perpetuam a sociedade com a desigualdade de gênero.

Enquanto lia o livro ficava com vontade de saber mais. Tanto que, apesar de suas poucas páginas, suas indicações me fizeram pesquisar muito durante a leitura e associar muitas outras coisas ao seu conteúdo. Vou indicar três filmes que assisti para complementar a leitura:

1. Suffragette – consideradas pioneiras do feminismo, defendiam o direito ao voto, à educação e à igualdade para o progresso da sociedade.

2. She’s Beautiful When She’s Angry –  um documentário fantástico sobre as lutas para liberdade da mulheres nas décadas de 60 e 70.

3. The Danish Girl (Garota Dinamarquesa) – sobre transexualidade. É lindo, sensível e baseado numa história real.

Diferente, não desiguais ainda conta com um glossário e sugestões de como professores podem ajudar dentro da sala de aula ou mesmo numa equipe técnica da escola. Enfim, leitura recomendadíssima dos 10 aos 100 anos!

Sobre o autor
Janaína Rodrigues
Janaína Rodrigues Uma sonhadora nata, encantada com a magia que pode ser encontrada no mundo real. Super apaixonada por livros, quadrinhos e séries... Hum... fanática por animação e amante entusiástica de manifestações artísticas. Pedagoga, professora de informática, virginiana, Grifinória e, claro, divergente. Mais ou menos por ai...


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: