quarta-feira, 29 de março de 2017

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: SEGUINTE/CORTESIA
ISBN: 9788571647633
GÊNERO: FANTASIA, FILOSOFIA, JOVEM ADULTO
PUBLICAÇÃO: 1998
PÁGINAS: 141
SKOOB

Confesso que sou uma grande fã do autor Jostein Gaarder, recentemente li o título Através do espelho, lançado a quase uma década pela Editora Seguinte. Cecília Skotbu é uma garota que vive praticamente no seu quarto, pois tem câncer e está bem mal, talvez até com os dias de vida contados. Até que um dia ela começa a receber a visita de um anjo chamado Ariel. No começo, Cecília não gostava de conversar com o anjo e duvidava de algumas coisas que Ariel contava sobre sua vida no céu, porém as visitas do anjo ficaram frequentes e eles foram adquirindo confiança um ao outro e construíram diálogos que envolviam a vida, morte e a vida que levamos após deixarmos o mundo.

Cecilia possui um caderninho que escondia debaixo da cama e anotava algumas coisas nele, porém como sua doença ficava cada dia pior, ela acabara deixando ele de lado. Até que um dia pede para um membro de sua família anotar algumas conversas que ela teve com o anjo.

Apesar de sua doença estar cada dia pior, ela não liga para isso e só quer usar seu par de esquis e o tobogã de neve que pediu e acabou ganhou no Natal. Cecília nunca deixou que sua doença estragasse seus planos e sempre tinha ambições e planos para o futuro.  A garota tem certeza que vai melhorar, porém a família sabe que cada dia que passa ela está pior. Sempre alguém da família ficava presente com Cecília, ao mesmo tempo que ela e o anjo Ariel faziam brincadeiras e tudo mais, o corpo da menina já não suportava mais.

Gaarder sempre traz temas muitos fortes em seus livros e que sempre podemos tirar uma lição. Em Através do espelho o autor mostra como uma garota pode aceitar a morte de uma maneira mais tranquila do que seus parentes. A morte é algo natural, que acontece com qualquer ser humano. São 141 páginas de muitas lições e aprendizados que te faz refletir sobre os parentes e a morte.

Jostein Gaarder é um dos meus autores favoritos. A leveza com que ele escreve a história, apesar de ser um tema delicado, nos faz sentir e nos colocar no lugar do outro que esteja mal, devido a alguma doença. Ele mostra que os simples detalhes podem se tornar inesquecíveis. A morte incomoda mais os adultos do que as crianças, e nessa obra pode-se perceber bem o medo da família de Cecília de perdê-la, enquanto ela aceita a doença com muita naturalidade.

“Nós enxergamos tudo num espelho, obscuramente. Às vezes conseguimos espiar através do espelho e ter uma visão de como as coisas são do outro lado. Se conseguimos polir mais esse espelho, veríamos muito mais coisas. Porém não enxergaríamos mais a nós mesmos.”

 

Sobre o autor
Stephany Guebur Stephany Guebur, 21 anos (05/01) – Paraná Jornalista. Começou a ler no ensino fundamental, porque quanto mais livros apresentava, mais ganhava pontos na média. A partir daí, descobriu que ler é maravilhoso e que podemos viajar sem sair do lugar. Apesar de ter dado uma parada entre o ensino médio e a faculdade, sempre lia um livro aqui, outro ali. Entre seus livros favoritos estão a série "O Diário da Princesa", "Na Natureza Selvagem", e os de Monteiro Lobato, com os quais entrou no mundo da literatura, como muitas outras crianças. Além disso, é apaixonada por séries e viagens.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook