segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: CIA DAS LETRINHAS, CORTESIA ISBN: 9788574067209 GÊNERO: INFANTOJUVENIL, CONTOS PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 48 SKOOB

O conto do carpinteiro traz a história do carpinteiro Firmín que trabalha com afinco, obtendo fama positiva no mundo inteiro graças as suas rodas, cadeiras, mesas, brinquedos, autômatos, entre outros. Apesar de suas criações parecerem comuns, eram bastante inusitadas, rodas que giravam apenas com o olhar, colheres com sopa de cebola tornavam-se com sabor de sorvete de framboesa, mesas que pareciam dançar um minueto, esculturas que de tão reais recebiam pedidos de casamento…

Os inventos de Firmín despertaram a atenção do Barão von Bombus, que um dia enviou um mensageiro até ele. Ao chegar no palácio de von Bombus, Firmín é surpreendido por um pedido peculiar, ele deve fazer um braço de madeira para o Barão.

Depois de cumprir excepcionalmente essa tarefa, recebe uma medalha a qual não dá muita importância, mas, em seguida, outros pedidos urgentes do Barão são enviados a Firmín.

Nesse conto facilmente é perceptível as características dos personagens principais: Firmín é persistente, trabalhador e humilde; já o Barão von Bombus é efusivo, impulsivo e irresponsável.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Firmin achou aquela a encomenda mais esquisita que já lhe haviam feito na vida, mas sem se acovardar ante o desafio, voltou à sua oficina (…) Durante dois dias e duas noite Firmín mediu, traçou, serrou, pregou, lixou e envernizou, até que, por fim, no terceiro dia, o braço estava pronto para ser levado ao palácio.”

“O Barão von Bombus experimentou o braço, brandiu sua espada favorita e começou a desferir espadadas, fazer fintas e dar estocadas a torto e a direito.”

Interessante notar que o excelente texto de Iban Barrenetxea é de fácil compreensão, porém com um vocabulário que exige da criança um pouco mais de atenção, como as seguintes palavras que destaquei no decorrer da leitura: laborioso, celeridade, fragor, prado, presteza, fatalidade, engenhoso, insociável, temerário, entre tantas outras…

As maravilhosas ilustrações tomam duas páginas, vindo em seguida o texto em uma ou duas páginas. Das onze grandes ilustrações da história, duas chegam a ir além do tamanho do livro, tomam quatro páginas que quando desdobradas revelam a gigantesca ilustração. Já o último desenho é composto de elementos que revelam mais do que as palavras, importantíssimo para o desfecho da história.

O conto do carpinteiro é bastante divertido e traz preciosos ensinamentos para o leitor, além de ter um final surpreendente.

Curiosidades:

O autor e ilustrador é Iban Barrenetxea, natural do País Basco, região montanhosa que abrange parte da Espanha e França. Depois de trabalhar uma década como designer gráfico, passa a ilustrar livros e na sequência a escrever e ilustrar histórias.

Barrenetxea tem sido premiado por seu trabalho, esse livro por exemplo, recebeu o prêmio Euskadi de Literatura Infantil e Juvenil em 2012.

Outro título também publicado pelo selo Companhia das Letrinhas é “O único e verdadeiro rei do bosque“, que recebeu o prêmio da fundação Cuatro Gatos 2014, além de ser incluído na lista White Ravens do mesmo ano.

Sobre o autor
Nara Dias 31 anos (22/12) – São Paulo Pós graduada na USP em Ética, valores e cidadania na escola, atua como professora de informática e robótica para crianças de 4 a 11 anos. Também com especialização em Libras - Língua Brasileira de Sinais, participa da comunidade surda da região onde mora, na Baixada Santista. Seu perfil no Skoob com mais de mil livros lidos, mostra sua paixão pelo gênero infanto-juvenil, onde capa, ilustração e tipo de impressão interferem muito em suas escolhas.


Deixe uma resposta

  1. quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017.

    Oi, tudo bem?
    Que livro lindo! As ilustrações são impecáveis.
    Sendo para crianças ou não, eu o leria com todo prazer <3

  2. quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017.

    Primeiro: muito interessante a premissa do conto.
    Segundo: que ilustrações maravilhosas!

    Acho que as pessoas ainda subestimam os livro infantis. Há obras e autores maravilhosos, com ótimas histórias que podem sim, nos dar muito o que pensar até aos adultos!

  3. sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017.

    Oi Nara, pelo visto o livro não é para qualquer tipo de criança. Bom que você tenha citado que a leitura não é tão fácil assim para elas, pelo menos fica mais fácil saber para quem indicar.
    Bjs

  4. sábado, 25 de fevereiro de 2017.

    Que indicação de leitura mais fofa, esse eu quero para minhas sobrinhas, que bom que o livro tem algumas palavras que podem ser um pouco mais difíceis para criança, afinal, pesquisar não mata, não que eu saiba.

  5. sábado, 25 de fevereiro de 2017.

    Nara querida
    Que conto mais amorzinho menina, com toda certeza eu adoraria ler, gosto de histórias assim e capas envolventes! Dica super anotada <3
    Beijinhos da Morgs!

  6. segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017.

    Olha, eu amei mesmo essa dica de livro, tanto para mim pois eu adoro coisas infanto juvenil e também porque trabalho com crianças, ser professora é saber que é muito bom achar um livro assim porque além de saber que ele faz a criança exercitar a imaginação e criatividade ainda da curiosidade para aprender essas novas palavras.

  7. quinta-feira, 2 de março de 2017.

    Oi, tudo bem?
    Não é algo que leria, mas adorei as ilustrações, estão lindas.
    Bjs

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: