terça-feira, 24 de Janeiro de 2017

Avaliação: 5/5 Editora: Arqueiro, Cortesia ISBN: 9788580415384 Gênero: Terror, Suspense Publicação: 2015 Páginas: 346 Skoob

Avaliação: 5/5 Editora: Arqueiro, Cortesia ISBN: 9788580415384 Gênero: Terror, Suspense Publicação: 2015 Páginas: 346
Skoob

Em mais uma aventura aterrorizante, Sarah Lotz suga o leitor para uma narrativa coberta de mistérios e suspenses. Apesar de parecer uma sequência de “Os três“, O quarto dia  possui um enredo um pouco diferente e independente, mas tão assustador quanto.

A história começa com as boas-vindas ao Cruzeiro de ano novo da Foveros: O Belo Sonhador. A viagem corre bem durante o três primeiros dias. Os passageiros se divertem com festas, shows, bebidas, sol e piscina. Até o quarto dia chegar e toda a tranquilidade afundar, literalmente.

Uma pane elétrica atinge todo o navio que perde completamente o contato com a torre de controle. Não há luz, wifi, energia e até mesmo as descargas dos banheiros passam a não funcionar. Com o navio à deriva, os passageiros começam a se exaltar e os tripulantes tentam manter o controle dizendo que a qualquer momento um anúncio será feito, o que é bem irritante até mesmo para o leitor.

Para melhorar a história, ou piorar a vida dos personagens, fatos sobrenaturais acontecem dentro do navio. Barulhos estranhos passam a ser ouvidos pelos corredores. Crianças que não deveriam estar na viagem aparecem misteriosamente. Uma onda de norovírus se espalha entre todos e a chance de um resgate parece cada vez mais duvidosa. Dúvidas se espalham pelo ar: será que o navio perdeu a rota?

O caos se espalha juntamente ao terror. O navio então é encontrado mas apenas dois corpos são encontrados. Onde estão os mais de dois mil passageiros? A sinopse faz parecer que o livro se concentra no resgate, mas a verdade é que o enredo se concentra muito antes disso.

Achei o livro MARAVILHOSO. Sem propaganda enganosa minha gente, dei puuulos na cadeira de tantos sustos que levei. A narrativa da autora, em terceira pessoa, flui de um jeito leve, apesar dos capítulos te torturarem de tanto mistério.

Ah, o que eu gostei bastante é que a história é dividida pelos dias e por capítulos sobre oito personagens principais. Em cada um, podemos acompanhar o desenrolar da história através das observações deles. Sarah escreve de maneira diferente. É como assistir uma série ou um filme policial, no entanto, você está ali sentado devorando cada passagem.

NO ENTANTO… O principal problema até o momento, talvez, acredito eu, seja proposital, é que a autora não esclarece EXATAMENTE os motivos pelos quais aconteceu determinada situação na história. O final apenas sugere, mas não é claro. No “Os três”, passamos pela mesma situação. Acho que é uma estratégia de Sarah de nos fazer ler todos os seus livros para chegarmos a uma conclusão que possa resolver todos os mistérios.

Teorias da conspiração, críticas sociais, um mundo sobrenatural é aberto e usado como pano de fundo para O quarto dia. Aguardo ansiosa pelo próximo livro que possa finalmente esclarecer e solucionar tanto segredos. Para quem gosta do gênero, é uma leitura atual que merece uma atenção especial de vocês.

Uma pequena observação: QUE CAPA MARAVILHOSA. O ilustrador desses livros está de parabéns! Fiquei apaixonada pela capa de “Os três”, mas a do segundo livro também é de tirar o folêgo. AMEI.


Sobre o autor
Kamila Renata Brito
Kamila Renata Brito


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: