AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: SUMA DE LETRAS, CORTESIA ISBN: 9788556510129 GÊNERO: FANTASIA, FICÇÃO CIENTÍFICA PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 328 SKOOB

Escrito pelo autor Sylvain Neuvel e publicado no Brasil pela Suma das letras, o livro Gigantes adormecidos vai nos contar a história da cientista Rose Franklin, uma mulher que na infância teve uma experiência um tanto quanto peculiar, e agora está a frente de uma equipe que está prestes a fazer incríveis descobertas.

Quando tinha apenas 11 anos de idade, Rose, após sair para dar uma volta de bicicleta, acabou caindo em um buraco, e quando os bombeiros chegaram para resgatá-la, acabaram se deparando com uma cena muito estranha. A garota estava deitada em cima de uma gigantesca mão de ferro. O acontecido instigou as autoridades locais que nunca conseguiram descobrir de fato do que se tratava o artefato, e agora, 17 anos depois, cabe a Rose (que agora é uma cientista sênior) estudar e entender do que se trata essa mão gigantesca.

Mas logo Rose descobre que essa mão faz parte de um corpo gigante, já que outras partes do corpo são encontradas espalhadas pelo mundo. Com o aval e investimentos do governo, ela reúne uma equipe de profissionais que a ajudarão a reunir todas as partes e descobrir para que serve esse corpo e como ele veio parar na Terra, já que claramente parece ser um robô alienígena gigante.

Essa é a trama inicial de Gigantes adormecidos. Somos introduzidos na história acreditando que ela nos reserva uma aventura cheia de alienígenas dignas daqueles filmes da sessão da tarde (Ok, pelo menos foi o que eu esperava da história). Mas essa expectativa de uma aventura alienígena logo cai por terra, o livro foca muito mais na teoria e na parte científica do que na ação, e os alienígenas infelizmente não dão o ar de sua graça.

“A mão está aberta, com os dedos muito juntos e ligeiramente dobrados. É como se segurasse algo muito precioso ou um punhado de areia e tentasse não derramar nada. Existem sulcos como os que na pele humana normalmente se dobram, e outros que se parecem meramente decorativos. Todos emitem o mesmo brilho turquesa, que mostra a iridescência do metal. A mão parece forte, mas… sofisticada é a única palavra que me vem à mente. Acho que é uma mão feminina.”

Apesar de não ser exatamente o que eu esperava, o livro não foi uma decepção para mim, e confesso que estou surpresa por ter gostado tanto da história, pois antes de iniciar a leitura, li muitas críticas negativas e já estava me preparando para o pior. Felizmente a história se mostrou muito mais interessante do que eu imaginava e me ganhou quase que por completo.

Os personagens são extremamente interessantes e muito bem construídos, todos possuem personalidades muito marcantes e, pelo menos para mim, foi muito fácil construir uma ligação com eles. Destaco a personagem Kara Resnik, uma subtenente do exército que roubou a cena e é definitivamente minha personagem favorita do livro. Por outro lado, a personagem Rose, que no início poderia ser considerada como a protagonista, acabou perdendo um pouco o brilho no decorrer da história e chegou até a se tornar um pouco esquecível.

Mas por mais que o livro tenha me surpreendido e me agradado em diversos pontos, confesso que não gostei muito da história ser contada por meio de entrevistas. Não é meu tipo de leitura favorita e acabou fazendo com que eu demorasse mais para entrar no ritmo da história. Outro ponto que dificultou a leitura foi a quantidade de termos técnicos e elementos científicos presentes na narração. Entendo que é uma história protagonizada por cientistas e soldados, mas acredito que o autor poderia ter facilitado um pouquinho mais para o leitor, já que nem todo mundo é um gênio da ciência.

Enfim, tirando algumas coisinhas, Gigantes adormecidos é uma leitura excelente. Não é apenas um livro sobre um robô alienígena gigante, é uma história sobre até onde vai a ganância do ser humano. Até que ponto podemos ir para termos poder, e o quanto nos tornamos egoístas e mesquinhos quando temos o poder nas mãos. É uma história que mescla ficção científica e política de uma maneira muito bacana e nos faz refletir sobre as nossas ações. Recomendo demais a leitura desse livro e mal posso esperar pela continuação!

Sobre o autor
Tayara Olmena Estudante que tomou gosto pela leitura aos 12 anos de idade depois que leu "A marca de uma lágrima" do escritor Pedro Bandeira. Costuma ler de tudo, mas ainda torce o nariz para o romance. Além de ler, também é viciada em séries e filmes, e não perde a oportunidade de maratonar sua série favorita.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: