o-diario-de-bridget-jones-capa-viagens-de-papel

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: PARALELA, CORTESIA
ISBN: 9788584390380
GÊNERO: CHICK-LIT, ROMANCE
PUBLICAÇÃO: 2016
PÁGINAS: 288
SKOOB

Com cara nova, a Editora Paralela resolveu relançar o clássico O Diário de Bridget Jones. Comemorando 20 anos de lançamento, o livro de Helen Fielding conta a história de Bridget, que está com 30 anos e ainda se encontra solteira.

O livro tem formato de diário e fala sobre uma mulher que não se acha bonita nem se sente desejada pelos homens. Ela nutre uma paixão platônica pelo seu chefe Daniel Cleaver. Além disso, também é paranoica com a perda de peso e, para completar, possui uma autoestima muito baixa. Resumindo: a história de muitas mulheres na vida real!

Tudo começa quando ela faz a lista de resoluções para o ano novo, com alguns hábitos que quer abandonar e seus objetivos para o ano que vai se iniciar, é nesse contexto que dá inicio ao seu diário. Além de tudo, sua mãe vive pressionando-a para encontrar um namorado e entrar em um relacionamento sério.

O Natal é sempre confraternizado com a família e amigos e na ocasião ela conhece o advogado Mark Darcy. Após esse episódio, seu chefe Daniel Cleaver começa a trocar e-mails com ela e deixa claro seu interesse, até que em certo ponto ela cede ao jogo de Daniel, mas nem tudo são flores. Quando uma reviravolta acontece e ela pede demissão do seu atual emprego.

Sua mãe que agora resolveu se rebelar com seu pai, começa a trabalhar em uma emissora de televisão e acaba conseguindo um novo emprego para ela. Como os pais dela estão praticamente se separando, a mãe de Bridget inicia um caso extraconjugal com Júlio.

Com tantos problemas na sua vida ela acha que nunca irá conseguir realizar nada e sempre vê que os outros em sua volta estão mais felizes que ela, apenas os amigos que servem de consolo e conseguem anima-la.

As histórias retratadas por Bridget as mulheres acabam se identificando muito facilmente, pois elas acontecem com nós, amigos ou conhecidas. O livro dá a impressão que a personagem esta em uma conversa constante com o leitor. A autora conseguiu colocar uma dose de humor mesmo quando a personagem só está se dando mal.

Com relação a edição nova do livro achei muito bonita, cores chamativas na capa e uma ilustração que mostra alguns hábitos da personagem. A diagramação é bem simples e o livro não é divido em capítulos, como eu disse acima é um diário então ele foi divido por mês. O livro foi adaptado para o cinema em 2001 e a atriz Renée Zellweger, Hugh Grant e Colin Firth. A continuação é Bridget Jones: No Limite Da Razão e esse ano foi lançado o filme O Bebê De Bridget Jones. Ainda não assisti nenhum, pois quero acabar de ler todos os livros e fazer uma maratona com os filmes!


Sobre o autor
Stephany Guebur Stephany Guebur, 21 anos (05/01) – Paraná Jornalista. Começou a ler no ensino fundamental, porque quanto mais livros apresentava, mais ganhava pontos na média. A partir daí, descobriu que ler é maravilhoso e que podemos viajar sem sair do lugar. Apesar de ter dado uma parada entre o ensino médio e a faculdade, sempre lia um livro aqui, outro ali. Entre seus livros favoritos estão a série "O Diário da Princesa", "Na Natureza Selvagem", e os de Monteiro Lobato, com os quais entrou no mundo da literatura, como muitas outras crianças. Além disso, é apaixonada por séries e viagens.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook