segunda-feira, 17 de outubro de 2016

AVALIAÇÃO: 3/5  EDITORA: SUMA DAS LETRAS, CORTESIA  ISBN: 9788556510174 GÊNERO: FICÇÃO PUBLICAÇÃO: 2016  PÁGINAS: 272 SKOOB

AVALIAÇÃO: 3/5
EDITORA: SUMA DE LETRAS, CORTESIA
ISBN: 9788556510174
GÊNERO: TERROR, SUSPENSE, FICÇÃO CIENTÍFICA
PUBLICAÇÃO: 2016
PÁGINAS: 272
SKOOB

O livro A Colônia, escrito por Ezekiel Boone, é o primeiro de uma série, também é a estreia do autor. A história fala sobre uma espécie ancestral que está adormecida, mas agora despertou e está prestes à causar desastres na humanidade. E, devido a isso, a humanidade pode ser extinta.

A história é narrada por meio de vários personagens que se encontram em diversos lugares do mundo. Na América do Sul, em uma floresta no Peru, algo acontece com um turista; já na Ásia o governo chinês deixa uma bomba nuclear “acidentalmente” cair; e na Índia padrões sísmicos assustam os pesquisadores. Na América do Norte, um agente do FBI descobre algo quando vai investigar a queda de um avião. Mas é claro que esses acontecimentos  estão ligados a uma espécie de aranha muito antiga, que está despertando agora. Elas gostam de carne humana e querem voltar para o planeta Terra.

A história se passa em vários países e sob diversos pontos de vista, por isso existem vários personagens no livro. Não gosto muito quando é assim, pois muitas vezes acabo me perdendo na história e não consigo criar empatia com nenhum personagem. Porém, o livro é eletrizante e cada final de capítulo deixa o leitor agoniado, com cada vez mais vontade de saber mais da história.

O trabalho da Suma de Letras é muito bom. A capa tem um material estranho e faz com que o contato com ela seja diferente, de forma a completar a experiência vivida pelo leitor. A aranha gigante que ilustra a capa também mostra um pouco do que se trata a história.

A colônia não foi um livro que prendeu minha atenção, mas espero que com a continuação ele fique cada vez melhor. Essa obra não é recomendada para quem tem medo de aranhas, apesar de não dar o medo que imaginei, talvez a pessoa não tenha estômago e psicológico para continuar – eu tenho medo de aranhas, mas algo normal.

“Estamos falando de aranhas. Embora as pessoas morram de medo de aranhas, não há quase nenhum motivo para isso. Pelo menos, não na América do Norte”

Sobre o autor
Stephany Guebur Stephany Guebur, 21 anos (05/01) – Paraná Jornalista. Começou a ler no ensino fundamental, porque quanto mais livros apresentava, mais ganhava pontos na média. A partir daí, descobriu que ler é maravilhoso e que podemos viajar sem sair do lugar. Apesar de ter dado uma parada entre o ensino médio e a faculdade, sempre lia um livro aqui, outro ali. Entre seus livros favoritos estão a série "O Diário da Princesa", "Na Natureza Selvagem", e os de Monteiro Lobato, com os quais entrou no mundo da literatura, como muitas outras crianças. Além disso, é apaixonada por séries e viagens.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: