Avaliação: 4/5 Editora: Intrínseca, Cortesia ISBN: 9788580579666 Gênero: Fantasia,  Jovem Adulto Publicação: 2016 Páginas: 416 Skoob

Atenção: essa resenha pode conter spoilers dos volumes anteriores!

Os fãs da saga “O lar da sra. Peregrine para das crianças peculiares” tiveram pouco tempo para se recuperar dos acontecimentos do segundo livro, Cidade dos Etéreos (ainda bem!). Por sorte, logo depois a Intrínseca lançou Biblioteca de almas, o último livro da trilogia. A história começa bem do ponto em que parou o último livro, com o rapto dos peculiares e a srta. Peregrine desaparecida. Agora, só restam Jacob e Emma, que devem embarcar em uma aventura para resgatar os amigos e descobrir as motivações dos etéreos e acólitos.

Como estão em dois, ir atrás dos amigos não parece tão fácil assim. Mas logo eles adquirem mais um comparsa: o cão falante Addison, bastante astuto e peça chave para a aventura. Juntos, eles descobrem que devem adentrar o Recanto do Demônio, uma fenda temporal que abriga as mais diversas perversões. Lá, eles irão descobrir coisas sombrias do mundo peculiar, como peculiares que são vendidos como escravos, uma espécie de poção que traz parte da alma de peculiares e é utilizada para fortalecer poderes momentaneamente, e também irão descobrir a história da Biblioteca de Almas, que abriga a alma dos peculiares depois de sua morte.

Foto: Camila Tebet / Viagens de Papel

Todo o sequestro das ymbrines, protetoras dos peculiares, e seus protegidos, tem a ver com a lenda da Biblioteca de Almas. Jacob, com sua peculiaridade bastante incomum, também é muito importante para o desenrolar da história, que traz disputa de poder, vingança e loucura, mas também ressalta a importância da amizade, lealdade e coragem. O desfecho da trilogia conta com muita ação e reviravoltas e as explicações dadas pelo autor Ransom Riggs são satisfatórias.

A história da trilogia que começou baseada em fotografias antigas tomou forma e se tornou uma ótima saga de fantasia. Mas, apesar do terceiro livro ser bem criativo, algumas respostas mais específicas não foram dadas pelo autor, o que pode desapontar alguns fãs da trilogia. Além disso, a primeira metade do livro é mais arrastada. Para mim, foi difícil chegar na parte em que as coisas de fato começam a acontecer. Parte disso se deve aos capítulos, que são muito longos e parecem não terminar nunca.

Foto: Camila Tebet / Viagens de Papel

Apesar da parte divertida demorar um pouco a chegar, a conclusão da trilogia foi bacana e mostrou a força dos peculiares – tanto em suas habilidades como no fato de serem uma grande família e estarem sempre unidos, dispostos a ajudar o outro em qualquer situação. Esse é um ponto retratado por Riggs de forma muito bonita. É impossível não se deixar cativar pelos personagens, cada um com sua personalidade. Para mim, eles são o melhor da história.

A leitura de Biblioteca de almas desperta diversas emoções e demonstra o amadurecimento dos personagens, principalmente de Jacob, que no final do livro tem uma escolha bem difícil a ser feita. A conclusão da trilogia foi bem coerente e irá deixar saudades. Para quem gosta de fantasia, é uma ótima opção.

peregrine1

Foto: Camila Tebet / Viagens de Papel


Conheça os outros títulos da trilogia O lar da Srta. Peregrine para crianças peculiares:

1. O lar da Srta. Peregrine para crianças peculiares (2016)

2. Cidade dos Etéreos (2016)

3. Biblioteca de almas (2016)

>> Contos peculiares (2016)

Sobre o autor
Camila Tebet
Camila Tebet Camila Tebet, 24 anos (05/06) – Paraná Jornalista, tem a literatura como uma de suas paixões. Acredita que os livros têm o poder de transformar e falar sobre essa arte é um de seus passatempos favoritos. Entre os seus livros favoritos estão "Harry Potter" (é claro), "Na Natureza Selvagem", "Orgulho e Preconceito" e "A Menina Que Roubava Livros". Também é apaixonada por séries, cinema e fotografia. Escreve também para o site www.expressocultural.com.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook