AVALIAÇÃO: 4,5/5 EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA ISBN: 9788501105882 GÊNERO: YOUNG ADULT PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 308 SKOOB

AVALIAÇÃO: 4,5/5
EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA
ISBN: 9788501105882
GÊNERO: FANTASIA, JOVEM ADULTO
PUBLICAÇÃO: 2016
PÁGINAS: 308
SKOOB

Magônia é o primeiro livro de uma trilogia que conta a história de Aza, que desde criança sofre de uma doença rara e incurável que não permite que ela respire direito. Passou a maior parte do tempo em hospitais, fazendo exames e recebendo prazos de vida que até agora conseguiu quebrar, sobrevivendo até seus quase 16 anos. Seu amigo Jason e sua família fazem de todo o possível para dar uma vida normal à Aza.

Perto de seu aniversário de 16 anos, a protagonista começa a ter alucinações – ou é o que achava -, vendo navios percorrendo os céus e ouvindo vozes chamando por ela. É através de Jason que ela ouve falar pela primeira vez de Magônia, uma terra mágica com tripulações que navegam pelos céus. Magônia poderia ser apenas uma história de fantasia, mas, após certos acontecimentos, Aza é levada até lá e descobre um reino mágico e diferente de tudo que imaginara – um lugar novo onde ela é capaz de respirar normalmente e não é a menina doente que era na Terra. A partir de então, Aza começa a descobrir sobre seu passado e seu papel nesse novo mundo e na sobrevivência dele.

Magônia é um dos livros de fantasia mais original que pude ler em tempos. Apesar de já saber que se tratava de uma fantasia, fui completamente pega de surpresa pelo universo mágico criado pela autora. O universo criado é algo totalmente rico e novo, com criaturas que são exuberantes e diferentes que tem como poder o seu canto. O mais interessante é a ligação desse universo fantástico com a própria Terra, ligando os acontecimentos de nossa história aos acontecimentos de Magônia, o que torna tudo mais crível, mais real – ou tanto quanto pode ser.

Aza é uma personagem fantástica, com personalidade forte e uma tendência ao sarcasmo que eu amo. Ela é responsável por dar um tom de humor ao livro que torna tudo um pouco mais divertido. A única coisa que me irritou nela – que sempre me irrita em livros no geral – é a facilidade com que ela aceita uma realidade completamente diferente da sua sem nem questionar. Ela até acaba fazendo isso mais pra frente, o que alivia um pouco as coisas, mas no começo é bem irritante. Todos os personagens, de uma maneira geral, são cativantes a seu modo e eu gostei que a autora abriu um espaço pra todos eles na história. Há um leve romance que acontece, mas que me agradou justamente por ser leve e não tirar o foco de toda a trama que é desenvolvida.

A trama é toda entremeada de mistérios, e mesmo que o leitor perceba que tem algo errado e fique com um pé atrás a autora consegue surpreender algumas poucas vezes com os caminhos tomados pela história – nada muito chocante, mas é uma tentativa válida. A única coisa que tenho a reclamar com relação a trama são as pontas soltas que ficaram, mas que, obviamente, foram deixadas de propósito para serem solucionadas no próximo volume da trilogia. Isso é uma faca de dois gumes, pois ao mesmo tempo em que deixa o leitor curioso e ansioso pela continuação, deixa certa irritação e frustração por não termos algumas respostas – ao menos no meu caso.

A narrativa é, na maior parte das vezes, do ponto de vista de Aza, intercalando com alguns capítulos com o ponto de vista de Jason, mas em ambos os casos é uma narrativa fluida e simples, que envolve o leitor – como se a própria trama já não fizesse isso o suficiente. Um detalhe que merece um destaque nessa resenha é a capa, que está maravilhosa e me deixou babando no livro.

Magônia, de maneira geral, é uma fantasia que vale a pena ser lida. Com um universo original, uma trama bem construída e personagens cativantes, a autora nos brinda com uma leitura que é incrível mesmo com seus defeitos.


Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

  1. quinta-feira, 20 de outubro de 2016.

    Achei interessante e também achei a capa linda! Curiosa para saber a relação da Terra com esse novo mundo….

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: