quarta-feira, 28 de setembro de 2016

AVALIAÇÃO: 3/5 EDITORA: VERUS, CORTESIA ISBN: 9788576864165 GÊNERO: JOVEM ADULTO PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 294 SKOOB

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: RECORD, CORTESIA
ISBN: 9788501107091
GÊNERO: CONTOS, CRÔNICAS
PUBLICAÇÃO: 2016
PÁGINAS: 160
SKOOB

Em Somente a verdade, o advogado José Paulo Cavalcanti reúne em 20 contos histórias reais de clientes do escritório de advocacia de seu pai. Modificando nomes e situações para não serem identificadas, o autor relata situações que mais parecem fazer parte de um roteiro de ficção que realidade. Talvez porque cremos no mito de que o real é simples e sem grandes expectativas. Não nestes casos.

A vontade de escrever e montar uma espécie de memorial foi o que motivou o autor a escrever. De quase todas, ele participou como advogado. Algumas, apenas com espectador. Interessante é a visão dele enquanto profissional. Afinal, na prática da profissão no dia-a-dia, deixa-se de lado opiniões pessoais e se vê apenas o aspecto legal da história dos clientes. Ao escrever os contos, o autor igualmente faz relatos. Sem julgar. Sem análises emocionais.

Particularmente, as histórias que eu mais gostei foram a “Morão, Rosa e Pimenta“, em que José, um benzedeiro querido pela comunidade de Recife, gente boa e sem papas na língua, atende um telefonema no meio da noite, e por engano, é ameaçado de morte, justamente por ser esquentado. O desfecho do conto é sensacional. Outro que achei muito bom foi “O Marido, A Mulher e o Dentista“. Neste caso, um casal, amigos pessoais dos advogados, buscam conselhos, em ocasiões diferentes, sobre o futuro de seu casamento. Esse, sinceramente, mais parecia “coisa” de novela. Tem também o conto “Ana Maria“. Neste caso, o filho de Ana Maria, já crescido, busca na justiça que seu pai, separado de sua mãe há anos, o reconheça legalmente. Só há um problema: os pais não se veem desde que Ana Maria deixou a cidade, já grávida e sem contar a Eduardo, o pai da criança, que estava esperando um filho dele. Não chega a ser um drama, é uma trama sensível, eu diria.

Sobre o livro em geral, o que motivou minha leitura foi o fato de ser curiosa por natureza. Conhecer histórias diferentes, de pessoas reais, estranhas, me dá a oportunidade de olhar um pouco pra minha própria. Estou vivendo? Estou desperdiçando meu tempo? Eu busco autenticidade ou só estou reproduzindo ações? Enfim! Parei pra refletir! Mas sem drama, sem trama. Só refletir mesmo.


Sobre o autor
Anne Caroline Anderson
Anne Caroline Anderson Catarinense. 24 anos. Leitora por amor e futura jornalista. A melhor parte do dia? Aquela em que eu abro um livro e passo um bom tempo mergulhada em sua estória <3


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. quinta-feira, 6 de outubro de 2016.

    Assim como você também adoro arriscar, um livro de contos, ainda mais pela forma como foi escrito é bem interessante….. Gostei!

Comentários no Facebook