Avaliação: 3/5 Editora: Record, Cortesia ISBN: 9788501106551 Gênero: Chick-lit Publicação: 2016 Páginas: 416 Skoob

Avaliação: 3/5
Editora: Record, Cortesia
ISBN: 9788501106551
Gênero: Chick-lit, Romance
Publicação: 2016
Páginas: 416
Skoob

O efeito Rosie, um chick-lit narrado sob o ponto de vista masculino e escrito pelo autor Graeme Simsion, é a continuação de O projeto Rosie. O primeiro livro apresentava o protagonista Don Tillman, um homem de 39 anos com todas as características da Síndrome de Asperger. Com traços peculiares e uma rotina extremamente organizada, além da dificuldade de conviver socialmente, Tillman deu início ao Projeto Esposa, em que buscava encontrar uma esposa com todas as características pré-determinadas por ele. Óbvio que tudo saiu diferente do esperado e ele acabou conhecendo Rosie, uma moça com traços bem diferentes do que ele esperava.

Agora, em O efeito Rosie, Don e Rosie estão casados e morando em Nova York. Eles vivem juntos há dez meses e muita coisa mudou em suas vida. Don ainda cria regras para as coisas, mas muitas delas foram deixadas de lado com a convivência com Rosie. Mas uma notícia bem inesperada pode estremecer a relação do casal: a gravidez não planejada de Rosie. Para Don, que planeja meticulosamente sua vida, esse é um desvio muito grande da rota e ele não sabe como proceder.

A partir daí, uma série de acontecimentos se desenrola. Don está tendo muitas dificuldades em se ver como pai. Ele não consegue criar afeto pelo filho que ainda não nasceu, vê apenas a parte biológica da coisa. Apesar de Don encarar a vida sob outra perspectiva, da forma mais literal possível, Rosie não entende seu lado e como qualquer outra mulher quer que Don esteja presente e curtindo cada etapa da gravidez. Do seu modo, Don está tentando apoiar Rosie. Só que ele acaba apenas ditando regras, o que não deixa a esposa satisfeita.

Como uma forma de se aproximar da paternidade e ter mais convívio com crianças, Don acaba entrando em uma série de confusões, que no início parecem simples, mas logo vão se aprofundando. O fato é que ele precisa tomar uma atitude se quiser continuar casado com Rosie e construir uma família com ela.

Assim como no primeiro livro, tive dificuldades para entrar na história. A narrativa feita em primeira pessoa, pelo protagonista Don, não me cativa. Eu não consegui me identificar com ele e por isso a leitura foi arrastada, já que boa parte do livro fala sobre a dificuldade de Don em se encaixar como pai. Para mim, essas partes poderiam ser bem mais curtas, sem comprometer a história.

O ponto positivo da obra é que traz uma perspectiva completamente diferente em chick-lits ao ser narrado por um homem com Síndrome de Asperger, que vê tudo ao pé da letra e tem dificuldades ao sair da rotina. É uma forma completamente nova de enxergar a história e acrescenta muito, ao mesmo tempo em que deixa a narrativa mais cansativa. Nesse livro, Rosie não aparece muito, já que a história se passa em volta de Don tentando estabelecer uma relação com a paternidade.

Apesar de ter gostado do final da história e de alguns pontos retratados no livro como a amizade verdadeira, disposta a ajudar nos momentos mais difíceis, a história não me cativou e foi difícil concluir a leitura. Ainda assim, Don continua nos mostrando que é preciso aprender a viver com as diferenças e enxergar o mundo sob variadas perspectivas.

Quanto à edição, a Record mudou a capa dos livros para o lançamento de O efeito Rosie. Eu não gostei muito dessa capa. A outra, apesar de mais simples, era mais bonita ao apresentar elementos importantes para a história. Além disso, uma coisa que não gostei nessa edição foi o papel mais áspero. Apesar disso, o homem correndo com o relógio e a rosa na mão na capa do livro representa bem o que Don terá que passar para recuperar seu amor.


Conheça os outros títulos da série Don Tillman:

1. O projeto Rosie (2013)

2. O efeito Rosie (2016)


Sobre o autor
Camila Tebet Camila Tebet, 22 anos (05/06) – Paraná Jornalista, tem a literatura como uma de suas paixões. Acredita que os livros têm o poder de transformar e falar sobre essa arte é um de seus passatempos favoritos. Lê de tudo um pouco, mas os gêneros de que mais gosta são os romances românticos e chick-lit. Entre os seus livros favoritos estão "Harry Potter" (é claro), "Na Natureza Selvagem", "Orgulho e Preconceito" e "A Menina Que Roubava Livros". Também é apaixonada por séries, cinema e fotografia. Escreve também para o site www.expressocultural.com.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: