quarta-feira, 21 de setembro de 2016

como-eu-era-antes-de-voce-capa-filme-viagens-de-papelO maior sucesso da autora Jojo Moyes  ganhou as telonas neste ano, o longa-metragem  Como eu era antes de você (Me Before You) foi dirigido pela diretora Thea Sharrock. O filme conta a história de Louise Clark, uma garota britânica que vive no interior, ela é mandada embora do seu emprego em um café, aceita um trabalho como cuidadora de Will Traynor, um milionário que sofreu um acidente.

Na verdade, Clark é uma companhia para Will, que ficou paraplégico há dois anos devido a um acidente de moto. Além de cuidadora, ela tenta animá-lo e fazer com que ele recupere e tenha vontade de viver.  Will sente como se tivesse sua identidade roubada, pois a sua forma física e aparência sempre foram muito importantes para ele, logo ele pretende realizar a eutanásia.

Nas primeiras vezes em que se encontram Will mostra seu humor ácido com Lou, mas Lou não desiste do trabalho – apesar de pensar várias vezes -. O tempo passa e eles vão se conhecendo melhor e mostram as diferenças no jeito de encarar a vida, e o objetivo de vida são diferentes também e conforme essa relação vem sendo construída vai ser difícil aceitar alguns pontos.

Foto: Divulgação/Cena do filme "Como eu era antes de você"

Foto: Divulgação/Cena do filme “Como eu era antes de você”

Will e Lou vão se aproximando cada vez mais, ele mostra a ela coisas que ela não conhecia e ela propõe a ele voltar aos lugares que frequentava antes de se acidentar. Eles vão à corrida de cavalos, festa de casamento, óperas e até viajam juntos.

como-eu-era-antes-de-voce-foto-2-fillme-viagens-de-papel

Foto: Divulgação/Cena do filme “Como eu era antes de você”

A trilha sonora é composta por Ed Sheeran que completa o clima romântico e a carga dramática que o filme possui. A fotografia com castelos da Europa e paisagem que marcam. O filme não é algo muito profundo, tem uma superficialidade no romance que podemos perceber logo de cara. Alguns temas que são discutidos também não são tratados com a profundidade que poderiam ser abordados e não trazem questionamentos à tona.

Foto: Stephany Guebur/Viagens de Papel

Foto: Stephany Guebur/Viagens de Papel

Como eu era antes de você com certeza vai arrancar lágrimas de muitos que vão assistir e também arrancar muitas risadas. O humor negro e o sarcasmo de Will e a doçura e ingenuidade de Louise Clark irão conquistar o público.

Assista ao trailer:

 


FICHA TÉCNICA

Título original: Me Before You

Direção: Thea Sharrock

Gênero: Romance, Drama

Duração: 110 minutos

Classificação: 12 anos

País: EUA

Nota: 4/5


 

Sobre o autor
Stephany Guebur Stephany Guebur, 21 anos (05/01) – Paraná Jornalista. Começou a ler no ensino fundamental, porque quanto mais livros apresentava, mais ganhava pontos na média. A partir daí, descobriu que ler é maravilhoso e que podemos viajar sem sair do lugar. Apesar de ter dado uma parada entre o ensino médio e a faculdade, sempre lia um livro aqui, outro ali. Entre seus livros favoritos estão a série "O Diário da Princesa", "Na Natureza Selvagem", e os de Monteiro Lobato, com os quais entrou no mundo da literatura, como muitas outras crianças. Além disso, é apaixonada por séries e viagens.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. quinta-feira, 6 de outubro de 2016.

    Contei os dias para essa estreia, já havia derramado lágrimas no livro e no cinema não foi diferente. Porém o filme decepcionou em alguns quesitos, não gostei da atriz que interpretou a Lou, simplesmente ela ria demais no filme, bem diferente do livro onde ela apenas queria fazer seu trabalho, além da atriz ter ficado com cara de boba, no livro ela é mais comum, apesar de seu guarda-roupa, não é uma garota que se destaca na multidão… Sem falar que ela realmente não mostra desespero ante ao desfecho que se aproxima.

    O filme poderia ter abordado o tema do estupro que é mencionado no livro, porém preferiu apenas dar foco à paixão de ambos. Poderia ter aprofundado a questão dos pais estarem dando o suporte para o filho, mas estarem lidando com a falência de um casamento decadente e sem amor. Quanto à não ter aprofundado a questão da eutanásia, a adaptação poderia ter incluído o processo judicial pela qual a família passou após a morte de Will.

    Apesar de tudo isso, ainda gostei do longa metragem e saí do cinema terrivelmente desolada.

Comentários no Facebook