segunda-feira, 12 de setembro de 2016

O-dia-em-que-b-apareceu-capa

AVALIAÇÃO: 3/5 EDITORA: BIRUTA, CORTESIA ISBN: 9788578481339 GÊNERO: INFANTOJUVENIL PUBLICAÇÃO: 2014 PÁGINAS: 108 SKOOB

Bernardo, que prefere ser chamado simplesmente de b, com letra minúscula e escrito com fonte Verdana, assim como todos os adolescentes, busca se encaixar em algum lugar e sanar suas dúvidas e conflitos típicos da idade, mas o fato de ser superdotado, já estar na faculdade estadual cursando Letras e sempre permanecer em seu quarto no apartamento que divide com a avó desde a morte de seus pais, parece tornar tudo isso impossível.

A Editora Biruta sempre se sobressai pela publicação de obras diferentes do que estamos acostumados a encontrar no mercado literário.  O dia em que b apareceu, a capa e orelhas são destaques por causa da cor forte, até a contracapa preta não passa despercebida, com o tímido b. As cores LARANJA, PRETO e BRANCO, estão presentes nas dez ilustrações que aparecem do decorrer da história e os créditos ficam por conta de Sérgio Magno.

O livro está dividido em 5 capítulos, a narração é feita em 3ª pessoa, a fonte é “preta”, quando b assume a narrativa, a fonte muda e a cor passa a ser “laranja”. A leitura é rápida e não fica entediante, a autora conseguiu contar uma boa história na qual seu público alvo é capaz de se identificar com o personagem principal.

Depois que b ganhou o primeiro lugar em um concurso literário, a faculdade lhe deu uma bolsa de estudo, entretanto até o fim do curso, precisa entregar um novo projeto literário. É nesse momento que a escritora paulistana nos surpreende amarrando seu primeiro livro, lançado em 2005, “O dia em que Felipe sumiu“, à história de b, ou sejaa história dos amigos Hipotenusa, Farelo e Dora que partem em busca de seu amigo Felipe, desaparecido depois de ter começado a investigar a origem da poluição do rio da cidade. Essa primeira obra nada mais é do que a história de b, vencedora do tal concurso literário.

Foto: Nara Dias/ Viagens de Papel

Foto: Nara Dias/ Viagens de Papel

Para cumprir essa exigência da universidade e aproveitando seu sucesso na primeira história, b começa a escrever mais uma história envolvendo os mesmos quatro personagens, sempre se inspirando em um grupo de jovens que ele observa da janela de seu apartamento.

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Apesar de não ter lido o livro, reconheço que a segunda história com o quarteto Felipe, Dora, Hipotenusa e Farelo é bastante boba e não vale uma segunda premiação para b, os adolescentes estão investigando o desaparecimento de um cantor popular na época da ditadura militar. Mas mesmo assim o livro vale a leitura, o final dá margem para uma possível continuação e ambos os livros foram premiados.

Confira:

>>  O dia em que Felipe sumiu: Prêmio Jabuti 2006 – 3º lugar categoria Juvenil.

>> O dia em que B apareceu: Prêmios – Catálogo Bolonha FNLIJ 2015 | Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – Brasil e Acervo Básico FNLIJ 2015 | Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

“Eis a arma de b. Ele contra-ataca com a sua superioridade intelectual. É reservado, mas não é modesto. Ainda mais quando se vê encurralado.”

“-Por que você não fecha essa janela, filho?” “-Deixa o mundo entrar, vó”. Diante da resposta, ela pensa: “De que adianta o mundo entrar quando não se pretende sair?”

“A sua vida só é essa porcaria porque não lhe dão chance lá fora, é o que pensa toda vez que reflete sobre a situação. O mundo não está disposto a recebê-lo”. Segundo a sua linha de raciocínio, não fora reservado lugar para um b no planeta. Não lhe passa pela cabeça que não existe lugar reservado para ninguém em parte alguma, que tudo é uma questão de ponto de vista e que se ele parasse de olhara par o próprio umbigo com tanta autopiedade poderia enxergar os fatos de outra maneira.”

Sobre o autor
Nara Dias 31 anos (22/12) – São Paulo Pós graduada na USP em Ética, valores e cidadania na escola, atua como professora de informática e robótica para crianças de 4 a 11 anos. Também com especialização em Libras - Língua Brasileira de Sinais, participa da comunidade surda da região onde mora, na Baixada Santista. Seu perfil no Skoob com mais de mil livros lidos, mostra sua paixão pelo gênero infanto-juvenil, onde capa, ilustração e tipo de impressão interferem muito em suas escolhas.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: