domingo, 17 de julho de 2016

As sombras de Longbourn

Avaliação: 4/5
Editora: Companhia das Letras, Cortesia
ISBN: 9788535923964
Gênero:Romance, Romance Histórico
Publicação: 2014
Páginas: 456
Skoob

Quem nunca ouviu falar de Jane Austen e seus romances inesquecíveis? A escritora inglesa é considerada por muitos como uma das maiores personalidades femininas da literatura mundial. As histórias de Jane Austen inspiraram muitos outros títulos ao longo dos anos, mas nem um tão fiel aos detalhes do romance original quanto As Sombras de Longbourn.

Escrito sob a ótica de “Orgulho e Preconceito”, As Sombras de Longbourn, romance escrito pela inglesa Jo Baker, conta-nos a história dos criados da família Bennet. Baker traz uma nova visão da residência de Longbourn, nada de bailes glamorosos e vestidos estonteantes, desta vez, conhecemos o dia a dia de seus serviçais e suas funções.

Ao contrário de outros nobres de sua época, os Bennet não dispunham de uma grande quantidade de criados, os serviços executados na propriedade eram realizados por um pequeno grupo, inicialmente composto por duas jovens e um casal de idosos, posteriormente um novo criado é contrato pelo sr. Bennet.

Baker deu voz e dinâmica aos personagens que mal (ou nem) apareciam em “Orgulho e Preconceito”: Sarah, a típica heroína, uma mistura de Elizabeth Bennet e Jane Eyre; Polly, uma jovem órfã como Sarah; Sr e Sra Hill, o mordomo e a governanta; por último, James Smith, o lacaio que assume várias das tarefas dos demais serviçais.

O romance começa no momento em que o novo lacaio é contrato. James Smith é um personagem misterioso, bem-vindo por uns e mal visto por outros, sua presença acaba gerando um certo tumultuo entre os residentes de Longbourn. Além disso, surgem muitas especulações sobre sua origem e paradeiro. Devido à guerra, havia certa escassez para mão-de-obra de jovens fortes e saudáveis aptos ao trabalho, os Bennet tiveram muita sorte com sua aparição na região. James despertou o interesse de todas a moças de Longbourn, logo as irmãs Bennet voltaram suas atenções para os nobres cavalheiros que em breve seriam seus maridos, deixando Sarah encantada com atributos físicos e intelectuais do jovem.

O livro possui um bom desenvolvimento, dividido em quatro partes que acompanham de modo linear os acontecimentos de “Orgulho e Preconceito”, exceto a última, que diz respeito ao desfecho da história de Sarah e James, mostrando-nos que Baker foi fiel ao original. Em contrapartida, a autora aborda a história que não é contada por Austen, demonstrando uma nova realidade, o lado da classe pobre e trabalhadora – uma verdadeira antítese social, além de, uma leve crítica a contextualização de sua antecessora.

As sombras de Longbourn é uma leitura muito agradável e espirituosa, a autora de maneira hábil conseguiu com que o leitor fosse capaz de visualizar a mesma história sobre outra perceptiva, onde os personagens secundários e até então desinteressantes, ganham vida e brilho, num romance excepcional em que a qualidade da escrita de Baker se mantém no mesmo nível da de Austen.

Sobre o autor
Patrícia Oliveira Patrícia Oliveira, 25 anos (07/01) – São José/SC. Acadêmica de Direito, leitora assídua e blogueira. Lê de tudo um pouco, seus gêneros literários favoritos são romance histórico, época e contemporâneo, thriller psicológico, fantasia épica e clássicos. Sempre cultivou a ideia de criar um blog, onde pudesse compartilhar sua opinião. Quando não está fazendo tarefas cotidianas, geralmente está divertindo-se na companhia de seus bichos de estimação. Curte séries, filmes de comédia romântica e animes, mas sua grande paixão é a literatura.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. segunda-feira, 18 de julho de 2016.

    Adorei a capa! E achei bem legal uma história contando dos criados, já que eles não costumam aparecer muito nas histórias, somente pra cumprir ordens. Mas e o que os mantém vivos e com vontade de viver? O que fazem no tempo livre? Pensamentos?.. Não sabemos!
    Já vou colocar nos meus desejados. Estou muito empolgada a ler mais romances de época. Sempre gostei de filmes de época, mas depois de ler Os Bridgertons me apaixonei por cada detalhe, cada diálogo bem elaborado. Sei que deve ter algumas diferenças mas acho que os romances de época sempre serão encantadores!

  2. segunda-feira, 18 de julho de 2016.

    Adoro Orgulho e Preconceito e achei muito interessante essa nova visão da história clássica. Deve valer muito a pena a leitura.
    Gislaine | Paraíso da Leitura

  3. segunda-feira, 18 de julho de 2016.

    Amo Orgulho e Preconceito, gosto muito da escrita da Jane Austen, curto muito romance histórico, essa resenha me deixou super interessa em conferi essa maravilhosa história sobre essa outra perspectiva.

Comentários no Facebook