quinta-feira, 14 de julho de 2016

AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: COMPANHIA DAS LETRAS, CORTESIA ISBN: 9788535907124 PUBLICAÇÃO: 2014 PÁGINAS: 132 SKOOB

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: SEGUINTE, CORTESIA
ISBN: 9788535907124
GÊNERO: JOVEM ADULTO PUBLICAÇÃO: 2014
PÁGINAS: 132
SKOOB

A Garota das Laranjas conta a história de Georg Roed, um menino de 15 anos que mora em Oslo (Noruega). Ele mal conheceu o pai, Jan Olav, que morreu de uma doença incurável quando tinha apenas 4 anos. Porém, depois de 11 anos, a sua avó encontra uma carta de seu falecido pai endereçada para Georg.

Jan Olav se dirige a um Georg mais velho, capaz de entender melhor os assuntos que uma criança de 4 anos não compreenderia. A história que o pai conta era de quando ainda estudava medicina e de como conheceu a “garota das laranjas”, uma desconhecida que surge nas ruas de Oslo levando um saco enorme de laranjas, fazendo nascer um amor instantâneo, assim como uma série de perguntas na cabeça de Jan Olav. É durante essa história que conhecemos melhor Jan Olav e ficamos sabendo o quanto ele amava Georg e sua mãe, e sobre a sua vida, que valeu cada segundo.

Ao ler a carta, ele descobre que algumas coisas que ele gostava, seu pai também gostava, como: o telescópio Hubble e as fotos tiradas pelo mesmo, curiosidades filosóficas, entre outras. Além disso, a cada virada de página podemos ver que Jan tenta suprir a sua falta fisicamente e mostra para o filho que ele já teve as mesmas inseguranças. Conta também sobre suas paixões, relacionamentos e sobre o mundo que existe para ser descoberto.

Jostein Gaarder escreve de maneira leve e do ponto de vista de uma criança. Apesar de toda a filosofia que o autor coloca em seus livros, nesse podemos ver o amor e o romance de uma maneira sutil e verdadeira. O livro possui apenas 132 páginas, porém os ensinamentos e a mensagem que ele nos passa é bem maior. Muitas reflexões são colocadas em prova nesse livro. Levo a mensagem transmitida pela obra para toda a vida, esperando logo poder ler mais livros de Gaarder.

“- Não existem duas laranjas iguais, Jan Olav. Assim como não existem duas hastes de grama iguais. É por isso que você está aqui agora.”

Foto: Stephany Guebur/Viagens de Papel

Foto: Stephany Guebur/Viagens de Papel

Sobre o autor
Stephany Guebur Stephany Guebur, 21 anos (05/01) – Paraná Jornalista. Começou a ler no ensino fundamental, porque quanto mais livros apresentava, mais ganhava pontos na média. A partir daí, descobriu que ler é maravilhoso e que podemos viajar sem sair do lugar. Apesar de ter dado uma parada entre o ensino médio e a faculdade, sempre lia um livro aqui, outro ali. Entre seus livros favoritos estão a série "O Diário da Princesa", "Na Natureza Selvagem", e os de Monteiro Lobato, com os quais entrou no mundo da literatura, como muitas outras crianças. Além disso, é apaixonada por séries e viagens.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. quinta-feira, 14 de julho de 2016.

    Já me apaixonei! Esse é exatamente o tipo de livro que não me conquista de primeira, quando vejo o título e a capa, mas que quando leio uma resenha me conquista!
    Gislaine | Paraíso da Leitura

    • sexta-feira, 15 de julho de 2016.

      Oi Gislaine!
      Esse livro é muito fofo <3 a história que faz você chorar e pensar na vida!

      Que bom que gostou da resenha!

  2. sábado, 16 de julho de 2016.

    Oiii menina, como vai?
    Não sei se é impressão minha, mas este autor gosta de cartas hein, primeiro o mundo de Sofia e agora este HUAHAUAHAUAHU mas, diante disso e da sua resenha eu leria com toda certeza, e fiquei bastante curiosa para saber o que essa carta esconde, gostou muito da forma em que o autor escreve e se eu pudesse teria todos seus livros. Parabéns pela resenha, dica anotada.
    Beijinhos

    • domingo, 17 de julho de 2016.

      HAHAHAHAH verdade, ele gosta de cartas…sabe que não tinha pensado nisso? Eu estou louca para completar a minha coleção dele! Já tenho 3 livros, o próximo a ler é O Dia do Coringa e depois reler O Mundo de Sofia…quero tanto todos os livros dele <3 quem sabe logo né?

  3. sábado, 16 de julho de 2016.

    Achei super interessante a premissa desse livro! Principalmente porque adoro romances epistolares! Ótima dica de leitura! E confesso que pela capa e título, me passaria completamente despercebida.

    http://olhoscastanhostambemtemoseufascinio.blogspot.com.br/

  4. sábado, 16 de julho de 2016.

    Olá!
    Apesar de ser um livro pequeno, tranquilo de ler e que nos transmite mensagens importantes, não é o tipo de livro que costumo ler/gostar. Por isso, não é um livro que eu leria no momento. Estou em outra ”vibe” agora e leituras mais ”pesadas” me conquistam mais. Mas quem sabe em outro momento, né?
    Abraços!

    • domingo, 17 de julho de 2016.

      Entendo! É sempre tem um estilo que não nos identificamos ne? Mas pelo menos tem a dica, caso se interesse em algum outro momento

  5. domingo, 17 de julho de 2016.

    deve ser um livro encantador… confesso que a primeira vista, ele não me impressionou, mas agora que sei do que se rata a história, certamente eu leria…
    bjs 😀

  6. segunda-feira, 18 de julho de 2016.

    Stephany, adorei a premissa do livro.
    Como amei Sophia é bem capaz de gostar desse.
    Não conhecia, mas parece ser um ensinamento bonito.

    Lisossomos

  7. terça-feira, 19 de julho de 2016.

    Eu sou suspeita em falar que gostei da premissa do livro, pois sou fã do Jostein Gaarder e adoro filosofia! Ainda não conhecia esse livro, mas acabou de entrar para minha lista de leitura. Ainda não tinha visto um livro dele com pouquíssimas páginas. Mas sei que serão mais do que suficientes!

Comentários no Facebook