segunda-feira, 20 de junho de 2016

A Zit Editora, desde 2003, tem como prioridade incentivar a leitura entre os pequenos para que exista a capacidade de reflexão, transformando-os em leitores críticos, criativos e atuantes na sociedade. Recebemos dois títulos  de cortesia da editora para apreciação. Digo para vocês que é um material literário de excelente qualidade e hoje apresentamos dois livros de uma repleta lista infantojuvenis:

O_olho_da_rua

AVALIAÇÃO: 4,5/5 EDITORA: ZITS/ CORTESIA ISBN: 9788579330810 GÊNERO: FICÇÃO, INFANTOJUVENIL PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 52 SKOOB

A imaginação das crianças  é algo sensacional e esse livro, O olho da rua, mostra isso de uma forma surpreendente. Quando Felipinho percebe que seu pai está totalmente diferente, a única explicação que encontra é de que ele foi substituído por um clone-zumbi, isso se confirma quando ouve sua mãe cochichando com a avó de que ele foi mandado para o olho da rua. Então, a mente de Felipinho não para, decide fantasiar-se e sair no meio da noite em busca do tal olho da rua para conseguir salvar seu pai.

Moisés Liporage dá vida aos devaneios de nosso herói mirim e as fantásticas ilustrações de Alexandre Rampazo deixam o livro ainda mais bonito. As ilustrações em preto e branco representam o mundo real e ganham cores quando o mesmo cenário é mostrado sobre a ótica de Felipinho e suas fantasias de menino.

O leitor certamente sentirá uma certa tensão no decorrer da história, porque percebe que Felipinho entrou em um bueiro de rua, adentrando o esgoto e corre alguns perigos reais em sua aventura noturna. O final mostra o reencontro entre pai e filho, onde o mundo real volta a ser colorido, uma graça!

O trabalho de diagramação está excelente, essa capa com o círculo vazado e a imagem do Magnificão é inteiramente atrativa, sem falar na junção das contracapas que formam o Felipinho fantasiado. A única coisa que me incomodou foi a fonte, particularmente não gostei dessa letra, mas em nada atrapalhou o resultado. Indicando para todas crianças.

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

“Felipinho esperou todo mundo dormir e colocou a fantasia (o uniforme!) do Magnificão. Um traje azul-aço com manchas amareladas na cabeça, nas pernas e no peito. O Magnificão era um super-herói meio menino, meio yorkshire terrier. Isso queria dizer que ele era teimoso, esperto, curioso e adorava brincar.”

AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: ZIT/ CORTESIA ISBN: 9788579331015 GÊNERO: BIOGRAFIA, INFANTOJUVENIL PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 120 SKOOB

AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: ZIT/ CORTESIA ISBN: 9788579331015 GÊNERO: BIOGRAFIA, INFANTOJUVENIL PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 120 SKOOB

O primeiro grande atrativo que me fez optar em escolher esse livro, foi o fato de que minha filha chama-se Ivy. Ao olhar para essa capa tão fofinha, cheia de flores coloridas, que menina não sente vontade de pegar para dar uma folheadinha?

O mundo da Ivy trata-se de uma biografia mirim, contando a trajetória da pequena Ivy, filha do ex-jogador Romário e Isabella Bittencourt, relata desde a surpresa para seus pais ao descobrirem no momento de seu nascimento que ela tinha Síndrome de Down, suas dificuldades e conquistas, além de sua rotina.

O livro possui um sumário, uma carta do papai, seguido de uma carta da mamãe. Em seguida vem a biografia em si, a linguagem é simples, a escrita de Angélica Lopes é feita de modo que dê a impressão de que a própria Ivy está narrando os fatos. A fonte é grande e espaçada, dando suavidade à leitura, apropriado para que os pequenos leitores, leiam seu cansar. Todas as páginas possuem arte de flores próximo ao miolo, deixando as páginas bastante meigas e alegres, as ilustrações foram feitas por Cris Alahdeff, que deixou Ivy ainda mais sapeca.

Ao final, uma listinha com muitos depoimentos amorosos e uma galeria de fotos que nos aproxima ainda mais da verdadeira Ivy.

O lançamento em 2016 foi proposital, mesmo ano em que Ivy completa 11 aninhos, esse é o número da sorte da família, já que o Romário jogava com a camisa número 11, conquistando com ela a taça de campeão do mundo. Ao tornar-se político, também era votado através do partido 11.

Esse livro é bastante charmoso e ao mesmo tempo proporciona uma aproximação natural à crianças com deficiência, porque desmistifica a questão de barreiras que impossibilitam os deficientes de fazer determinadas coisas, acabam com os rótulos. Cada ser humano é único e igual ao mesmo tempo, temos diferenças e semelhanças e isso é maravilhoso.

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

Foto: Nara Dias/Viagens de Papel

“Ele diz que, quando alguém mostra que tem orgulho de outra pessoa, as que tem vergonha ganham coragem. Foi o me nascimento que inspirou meu pai a lutar na política por quem é especial.”

Sobre o autor
Nara Dias 31 anos (22/12) – São Paulo Pós graduada na USP em Ética, valores e cidadania na escola, atua como professora de informática e robótica para crianças de 4 a 11 anos. Também com especialização em Libras - Língua Brasileira de Sinais, participa da comunidade surda da região onde mora, na Baixada Santista. Seu perfil no Skoob com mais de mil livros lidos, mostra sua paixão pelo gênero infanto-juvenil, onde capa, ilustração e tipo de impressão interferem muito em suas escolhas.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: