domingo, 12 de junho de 2016

Avaliação: 4/5 Editora: Penguin Companhia ISBN: 978-85-8285-005-3 Gênero: Terror Publicação: 2014 Páginas: 648 Skoob

Avaliação: 4/5 Editora: Penguin Companhia, Cortesia ISBN: 9788582850053 Gênero: Terror Publicação: 2014 Páginas: 648 Skoob

Um dos personagens mais famosos do universo do terror é o Conde Drácula. Histórias sobre vampiros sempre fizeram parte do imaginário europeu, mas nenhuma delas conseguiu tanta notoriedade quanto a que foi escrita pelo irlandês Bram Stoker, no final do século XIX.

O personagem foi inspirado no príncipe Vlad Tepes (ou Vlad III), que viveu no século XVI onde hoje é a Romênia. Seu pai, Vlad II, fazia parte de uma sociedade cristã chamada “Ordem do Dragão”, criada por nobres da região para lutar contra a invasão dos turcos. Vlad II passou a ser chamado de Dracul, que significa dragão, e seu filho Draculea (filho do dragão). A palavra Dracul, entretanto, também significava “diabo”. Vlad III era conhecido por sua crueldade, de inimigos a súditos.

No livro de Stoker, tudo é contado através de cartas escritas ou trechos de anotações que os personagens principais da trama escrevem.

A história começa com a ida do jovem inglês Jonathan Harker a região da Transilvânia, para encontrar-se com o Conde Drácula, que está interessado em adquirir algumas propriedades na Inglaterra. Chegando no país, ele rapidamente percebe que as pessoas se mostram desconfortáveis em falar sobre o Conde e uma senhora chega a implorar para que ele não vá ao castelo onde este vive. Passada a hospitalidade inicial do primeiro encontro entre os dois, ele percebe que caiu mesmo em uma enrascada.

Em um determinado momento da história, o Drácula resolve fazer uma viagem rumo ao Reino Unido. Como consequência, coisas estranhas começam a acontecer e então conhecemos melhor outras personagens. A noiva de Johnathan, Mina, tem uma melhor amiga chamada Lucy. Ela passa a agir de maneira estranha e está muito pálida e apresenta duas perfurações na região do pescoço. Nenhum médico consegue descobrir o que ela tem, até que ela se transforma em uma vampira. Começa então uma jornada para encontrar Drácula e impedir que ele continue a fazer mais vítimas.

Eu já tinha visto, há muito anos, o filme dirigido por Francis Ford Coppola (O Poderoso Chefão, Apocalypse Now) e lembro que na época achei muito assustador. Com o passar dos anos, já bem menos medrosa, lendo o livro pude perceber o quanto as cenas de suspense ainda têm impacto, mesmo na literatura.

Confesso que a forma como o livro é escrito, em formato de cartas e de diário, às vezes parece cansativo, mas nada que comprometa a leitura completamente. Por ser longo, demorei um pouco para terminar, mas é totalmente recomendado para qualquer fã de filmes e livros sobre terror.

Sobre o autor
Maria Luiza de Paula

Maria Luiza de Paula (Mallu), 22 anos (01/05) – Paraná
Jornalista. Começou a gostar de ler por meio de biografias, mas hoje em dia gosta de quase todos os estilos literários. Entre seus livros preferidos estão “A Menina que Roubava Livros” (Markus Zusak), “1984” (George Orwell) e “Auto da Compadecida” (Ariano Suassuna). Além de seu amor por livros, também é apaixonada por música, cinema, seriados, fotografia e arte de rua. Escreve também para o site www.expressocultural.com.



Deixe uma resposta

  1. sábado, 11 de junho de 2016.

    Oi Malu, fiz a leitura desse livro há muitos anos e gostei bastante, também recomendo!

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: