AVALIAÇÃO: 4/5             EDITORA: SEGUINTE           ISBN: 9788565765374 GÊNERO:ROMANCE,DISTOPIA , JOVEM ADULTOPÁGINAS: 352           PUBLICAÇÃO: 2014
Skoob

ATENÇÃO: ESSA RESENHA PODE CONTER SPOILERS DOS VOLUMES ANTERIORES!

Depois de dois livros, America parece finalmente ter se decidido sobre o que quer e vai começar a lutar para conseguir. Só que recuperar o tempo perdido não vai ser tão fácil, primeiro porque há Aspen, que ainda está no castelo e afim dela. Segundo, porque tem que conquistar o povo de Illéa, após as burradas que cometeu. E terceiro, o Rei é totalmente contra ela. Questionar o sistema de castas ou o modo como lidam com os ataques rebeldes com certeza não é o caminho para sua redenção, mas é o que ela faz, e que acaba trazendo ainda mais problemas para a protagonista.

America me surpreendeu e me irritou na mesma medida. O primeiro porque ela me pareceu mais decidida e madura nesse livro. Finalmente decidindo lutar por alguma coisa e tomando a frente, realmente fazendo alguma coisa. Em contrapartida, mesmo tendo se decidido quanto a quem ela vai escolher como par romântico, ela ainda quer manter um plano B – um tanto covarde – e fica mantendo uma segunda opção.

O movimento rebelde tem ainda mais notoriedade nesse livro, e mesmo não tendo o desfecho que eu gostaria – aliás não senti que teve desfecho algum – ainda foi satisfatório se compararmos com como ele foi explorados nos outros livros. Pelo menos aqui vemos uma efetiva participação da America e de Maxon nos movimentos e conseguimos compreendê-los melhor. 

A Escolha foi ao mesmo tempo surpreendente e previsível. O lado romântico do livro foi exatamente o que eu já esperava – e confesso que ver a America sofrendo mesmo que por pouco tempo me deu uma satisfação imensa. Porém, em especial três personagens, tiveram revelações surpreendentes. Dois deles, me surpreenderam positivamente, pois eu não via nem de longe o que aconteceu, e até achei condizente. O terceiro, foi surpreendente porque não fez sentido algum. Até o finzinho do livro era uma coisa e do nada virou outra. Não vou explicar mais que isso, pra não dar spoiler, mas foi frustrante e repentino demais pra ser crível.

No geral o terceiro livro é bom – o melhor da trilogia. Eu gostei do destino que as coisas tiveram, apesar de que pareceu que algumas decisões foram tomadas do nada, de outras terem sido previsíveis e ainda terem algumas que ficaram em suspenso – o caso dos rebeldes. O fato é que senti que a autora enrolou por três livros pra nos contar uma história que podia ser resumida em um. Mesmo assim, a narrativa envolvente, a ação que permeou algumas cenas do livro, as surpresas de alguns personagens e até o lado romântico entre Maxon e America, tornaram A Escolha uma leitura agradável, sem dúvida o melhor dos três livros.

Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: