AVALIAÇÃO: 3/5 EDITORA: SEGUINTE/ CORTESIA ISBN: 9788535915761 GÊNERO: FICÇÃO PUBLICAÇÃO: 2009 PÁGINAS: 360 SKOOB

AVALIAÇÃO: 3/5
EDITORA: SEGUINTE/ CORTESIA
ISBN: 9788535915761
GÊNERO: Fantasia, Jovem Adulto
PUBLICAÇÃO: 2009
PÁGINAS: 360SKOOB

ATENÇÃO: ESSA RESENHA PODE CONTER SPOILERS DO LIVRO ANTERIOR!

Sangue de Tinta é o segundo volume da trilogia Mundo de Tinta, escrita pela alemã Cornelia Funke. Neste volume, continuamos a nos aventurar com Meggie, Mo, Resa e Dedo Empoeirado. Maggie, Resa e Mo estão vivendo com a Tia Elinor, após um ano do acontecimento narrado no primeiro livro. No primeiro volume da série, Maggie e Mo tiram os personagens dos livros, porém nesse livro a história se passa dentro de um mundo criado por Fegnolio.

No livro anterior, Dedo Empoeirado, com a ajuda de Orfeu, conseguiu voltar ao Mundo de Tinta, porém essa volta é uma armadilha criada por Basta e Mortola, mas Farid descobre o plano e logo busca ajuda com Mo e Maggie. E após ter ouvido histórias da mãe, Maggie resolveu ler as páginas de Coração de Tinta junto com Farid e acabou sendo levada para lá.

É nesse momento que as histórias que conhecemos começam a se misturar com a nova e somos apresentados aos novos personagens. Buscando salvar o seu amigo Dedo Empoeirado, entramos na aventura com Maggie e Farid no universo de Coração de Tinta com seres fantásticos.

Assim percebemos que a história criada por Fegnolio já estava fora dos eixos e ele percebeu que continuou mesmo assim, ou seja, ele acabou perdendo o controle do próprio mundo que criou. E quando ele tenta consertar, acaba piorando tudo. Muitas reviravoltas acontecem e cada vez um obstáculo novo aparece.

Uma das coisas que me incomodou bastante é que em vários momentos da história eu me senti muito perdida e não sabia quem era quem, já que o volume de personagens introduzido aos leitores é muito grande – apesar de ter um Quem é Quem no final, não acabou tirando algumas dúvidas minhas. Na metade do livro eu consegui me situar. E também a parte que contam exatamente o que está acontecendo é muito pequena, poderia ter sido melhor explicado.

A narrativa da autora é em terceira pessoa, o que faz com que a leitura flua de um jeito muito bom. Adoro as citações de livros que Cornelia traz no início de cada capítulo, que dão dicas para o que está por vir.  Confesso que as primeiras páginas do livro foram lidas num ritmo meio arrastado, porém quando a história alcança um bom ritmo bom, vai rapidinho.  Estou ansiosa para ver o desfecho da história no último livro, pois muitas questões ficaram em aberto. Espero que o último livro me surpreenda de um jeito que esse não conseguiu.

Mo, ao contrário, permaneceu estranhamente calmo. Quase como se já esperasse que o passado viesse apanhá-lo mais uma vez. “As histórias nunca têm fim, Meggie”, ele lhe dissera uma vez, “embora os livros gostem de nos enganar a esse respeito. As histórias sempre continuam, não terminam com a última frase, assim como não começam com a primeira.”

20160516_145728

Sobre o autor
Stephany Guebur Stephany Guebur, 21 anos (05/01) – Paraná Jornalista. Começou a ler no ensino fundamental, porque quanto mais livros apresentava, mais ganhava pontos na média. A partir daí, descobriu que ler é maravilhoso e que podemos viajar sem sair do lugar. Apesar de ter dado uma parada entre o ensino médio e a faculdade, sempre lia um livro aqui, outro ali. Entre seus livros favoritos estão a série "O Diário da Princesa", "Na Natureza Selvagem", e os de Monteiro Lobato, com os quais entrou no mundo da literatura, como muitas outras crianças. Além disso, é apaixonada por séries e viagens.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: