quarta-feira, 11 de maio de 2016

Avaliação: 4/5
Editora: Suma de Letras, Cortesia
ISBN: 9788581051680
Gênero: Distopia, Fantasia, Jovem Adulto
Páginas: 360
Publicação: 2013
Skoob

Atenção: essa resenha pode conter spoilers dos volumes anteriores!

Conquista é o terceiro e último livro da série distópica escrita por Ally Condie. Neste último volume, nos juntamos novamente a Cassia, Xander e Ky para descobrir o que é a Insurreição.

A Insurreição surge quando uma Praga criada pela Sociedade deixa as pessoas imóveis e se espalha pelas Províncias Exteriores. Ainda não existe uma cura para ela. A única salvação é a Insurreição, com a figura do Piloto, que tem a cura para todos. Mas o que a Sociedade não contava é que o vírus sofresse mutações e começasse a matar as pessoas contaminadas.

Como sabemos, a Insurreição quer tirar o poder da Sociedade e isso vai acontecer sem sangue e de uma maneira que eles possam ser a única salvação.

O livro continua na divisão da narrativa entre os três personagens principais, e aqui faz sentido, pois quando a Insurreição acaba perdendo o controle, o Piloto usa os três para conseguir uma cura. Xander tem conhecimento sobre a Praga, pois é o médico oficial da Sociedade; Cassia pode classificar os dados e encontrar combinações – ela foi mandada novamente para trabalhar disfarçadamente como Classificadora na Sociedade; e Ky contrai a Praga e seu corpo será necessário para as pesquisas.

Bom, esse livro foi dividido em cinco partes. Diferentemente dos outros, gostei dessa diferenciação. Outra coisa que notei foi que Xander teve mais voz e fez com que eu acabasse gostando dele também. Já falei sobre a narrativa, que é dividida entre os três personagens.

Talvez não tenha sido o melhor final de trilogia que eu tenha lido, acho que faltou a queda da Sociedade e uma parte falando como ficou depois dessa Praga. A autora tem uma escrita poética e que flui de uma maneira fácil, a poesia fica muito nítida nesse último volume da série.

“Não é exatamente fácil guardar coisas para o futuro quando o presente é tão incerto.”

Sobre o autor
Stephany Guebur Stephany Guebur, 21 anos (05/01) – Paraná Jornalista. Começou a ler no ensino fundamental, porque quanto mais livros apresentava, mais ganhava pontos na média. A partir daí, descobriu que ler é maravilhoso e que podemos viajar sem sair do lugar. Apesar de ter dado uma parada entre o ensino médio e a faculdade, sempre lia um livro aqui, outro ali. Entre seus livros favoritos estão a série "O Diário da Princesa", "Na Natureza Selvagem", e os de Monteiro Lobato, com os quais entrou no mundo da literatura, como muitas outras crianças. Além disso, é apaixonada por séries e viagens.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: