Rainha-das-Sombras

AVALIAÇÃO: 5/5               EDITORA: GALERA RECORD, cortesia  ISBN: 9788501106841     GÊNERO: FANTASIA , Jovem Adulto   PÁGINAS: 643           PUBLICAÇÃO:: 2016
Skoob

Em Rainha das Sombras, quarto livro da aclamada série Trono de Vidro, Aelin está de volta a Forte da Fenda e mais determinada do que nunca a reconstruir seu reino e enxotar os monstros que ameaçam sua segurança e a do mundo inteiro, e se no meio do caminho puder fazer o acerto de contas que deve à muitas pessoas, melhor ainda. E, acreditem, é uma longa lista de acerto de contas. A Rainha de Terrasen terá de lidar com muitos problemas, entre antigos amigos e novos, antigos inimigos e outros que são ainda piores do que os que já conhecia. Derrubar o Rei, libertar a magia, salvar seus amigos.. essas são algumas (poucas) das tarefas que Aelin tem de cumprir e que não serão nada fáceis.

Do outro lado de Adarlan, em Perranth acompanhamos Manon Bico Negro, enquanto lidera as bruxas e suas bestas aladas em uma guerra que não é sua e está se provando mais problemática do que útil. Existem muitos segredos sobre essa guerra que ela desconhece, segredos que ela está mais que determinada a descobrir. Afinal, ela pode estar trabalhando com humanos, mas não é subordinada deles e não pulará em uma guerra de olhos fechados.

Rainha das Sombras consegue ser ainda mais eletrizante que qualquer outro livro dessa série. São tantas coisas acontecendo, tantos problemas a enfrentar, tantos inimigos a derrotar que fico fascinada pelo fato de a autora não ter se perdido – e não ter nos confundido – ao longo do livro. É perceptível o quanto Sarah é uma boa escritora nesse livro, simplesmente por vermos o quão bem ela consegue lidar com o amontoado de acontecimentos que acontece a todo momento. Inclusive, esse é um dos motivos que fazem mais de 600 páginas parecerem um nada: é reviravolta atrás de reviravolta, a ponto de nos deixar sem fôlego diante de tanta adrenalina.

Outro ponto que me deixa maravilhada é o quanto a autora consegue inserir novos personagens sem deixar de lado os antigos e sem nos deixar confusos. Alguns novos personagens aparecem e, mesmo que inicialmente possamos achar que são desnecessários, a autora sempre nos prova que tem tudo planejado, que cada personagem tem sua função e sua importância, por mais insignificantes que possam parecer. Alguns mais que outros, é claro, mas todos tem seu propósito e foram cuidadosamente inseridos na história. Acreditem, quando se trata de Sarah J. Maas nada é por acaso.

Ainda falando de personagens, não me canso de admirar o talento da autora em construir e desenvolver bem os seus. Aelin amadureceu incrivelmente, e por mais que possamos perceber algumas características do seu antigo eu – características que acredito que serão impossíveis de abandonar completamente – essa sua nova faceta, mais decidida, mais cautelosa e com firmes princípios, é fascinante. Não canso de amar essa mulher! O mais interessante é que não é só a protagonista que é trabalhada, mas cada personagem, ao passar por suas provações, amadurece, muda. Alguns decepcionam em algumas de suas atitudes, outros surpreendem inimaginavelmente, mas no final todos são essenciais, únicos e nos cativam a sua maneira.

A narrativa da autora continua envolvente, ágil e, como no livro anterior, nos dando um panorama geral dos acontecimentos ao nos mostrar as perspectivas de diferentes personagens. Essa é uma das poucas séries, ainda mais considerando ser de fantasia, que consegue manter, se não melhorar, a qualidade em todos os seus livros. Não sei porque ainda fico surpresa com a habilidade de Sarah de me manter entretida e envolvida com a história – mesmo quando fica claro que ela está nos enrolando.

Sobre a trama, Sarah continua com o padrão anterior: nos surpreendendo e criando reviravoltas inesperadas a cada esquina. Já estou começando a aprender que não posso esperar nada dela, que não posso formar uma opinião concreta sobre algum fato, ou sobre algum personagem sem que ela consiga mudar todo meu ponto de vista mais tarde. O único ponto que acho que posso dizer que “caiu” nesse livro é que a autora deu dicas sobre a reviravolta principal, embora esta ainda tenha sido surpreendente. Não são todos que vão perceber essas dicas – que são bem sutis – mas um leitor mais atento (ou chato, dependendo do ponto de vista) pode notar (confesso que eu só reparei porque já sabia o final).

Repleto de ação, jogos políticos, acordos inesperados, sensualidade, batalhas, reviravoltas e revelações surpreendentes, Rainha das sombras é um prato cheio para os amantes da série – mesmo que ao chegar ao fim percebamos que ainda estamos longe do real desfecho. Com personagens incríveis, uma trama de tirar o fôlego e uma narrativa mais que envolvente, esse é o livro – a série – certo pra quem quer mergulhar em uma história completamente e esquecer da realidade.


 Conheça os outros títulos da série Trono de Vidro:

1. Trono de vidro (2013)

2. Coroa da meia-noite (2014)

3. Herdeira do fogo (2015)

4. Rainha das sombras (2016)

 A lâmina da assassina – Histórias de Trono de Vidro (2015)


 

Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: