Avaliação: 3/5 Editora: Galera Record, Cortesia ISBN: 9788501106834 Gênero: Jovem Adulto, Romance Páginas: 322 Publicação: 2016 Skoob

Avaliação: 3/5
Editora: Galera Record, Cortesia
ISBN: 9788501106834
Gênero: Romance, Jovem Adulto
Páginas: 322
Publicação: 2016
Skoob

Atenção: essa resenha contém spoilers do livro anterior!

Outro Dia livro escrito pelo autor David Levithan, e publicado no Brasil pela editora Galera Record, irá nos contar os acontecimentos do livro Todo Dia agora sob o ponto de vista de Rhiannon.

Para quem não conhece o livro Todo Dia, ele narra a história de um(a) jovem que não possui um corpo físico. A (como gosta de ser chamado(a)), é uma alma que habita um corpo diferente por dia, e após habitar o corpo de Justin, A acaba se apaixonando pela namorada do garoto (Rhiannon).

Diferente do livro Todo Dia, no qual ficamos presos ao ponto de vista de A, em Outro Dia, David Levithan nos dá a oportunidade de entrarmos na mente de Rhiannon, e vermos o que ela pensa sobre toda essa situação. A garota inicia a história presa em um relacionamento destrutivo, que a faz ser uma pessoa completamente apagada, e após passar um dia com A no corpo de Justin, Rhiannon finalmente descobre o que é ser amada e valorizada.

Mas apesar de ter encontrado o amor em A, Rhiannon tem que lidar com o fato de A se transformar em uma pessoa diferente todos os dias. E é nesse ponto que David Levithan merece aplausos por ter escrito essa história, pois ele toca em um assunto que muitas pessoas evitam tocar: Até onde a aparência importa?

Em vários momentos da história, Rhiannon se questiona se é possível amar alguém somente por seu conteúdo, e fica claro que para ela (assim como para a maioria das pessoas), a “casca” é realmente algo que importa demais. Nos momentos em que A acaba habitando corpos de garotas, ou de garotos que não são tão atraentes aos olhos de Rhiannon, a garota acaba se esquivando e se questionando até onde esse amor poderá ser possível.

“Se ele estivesse no corpo da cabana, eu lhe daria um beijo de boa-noite. Se ele fosse a garota-garoto do outro dia, eu não daria. Ou se ele fosse a Ashley, a cover da Beyoncé. Ou se fosse o Nathan do porão, eu não daria. E, se ele fosse a imagem que tenho na cabeça, esta noite seria diferente. Agora seria diferente.”

É muito interessante como esse assunto foi abordado na história, principalmente por lidar com jovens que estão descobrindo o amor. Mas apesar de o livro ter merecido aplausos nessa parte, ele acabou não se sustentando em outros aspectos.

Como já conhecíamos a história, houve momentos em que a leitura ficou bem lenta e desgastante, pois o autor acabou enrolando demais para concluir uma trama que já sabíamos como iria terminar. Outro ponto que acabou tornando a leitura um pouco chata foi a narração de Rhiannon. Grande parte da magia e amor que A cativou em Todo Dia, Rhiannon acabou estragando com sua falta de personalidade, e sua passividade em algumas situações.

Mas um ponto que Rihannon não conseguiu estragar (rsrs) foi a beleza do livro. A edição está linda, e essa capa casou muito bem com a capa de Todo Dia, além de trazer um significado único para história.

Enfim, no geral Outro Dia é um complemento muito interessante para Todo Dia. É sempre bacana podermos ver os dois lados de uma mesma história, principalmente se for uma história de amor.


 Conheça o outro título da duologia Todo dia:

1. Todo dia (2013)


 

Sobre o autor
Tayara Olmena Estudante que tomou gosto pela leitura aos 12 anos de idade depois que leu "A marca de uma lágrima" do escritor Pedro Bandeira. Costuma ler de tudo, mas ainda torce o nariz para o romance. Além de ler, também é viciada em séries e filmes, e não perde a oportunidade de maratonar sua série favorita.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook