quinta-feira, 28 de Abril de 2016

Adobe Photoshop PDF

Hoje trago o segundo post do especial de Simon vs a agenda Homo Sapiens (Leia a resenha aqui!), e o tema vai ser a AMIZADE, algo marcante em quase todos os livros Young Adults, mas que nesse é ainda mais especial.

Simon é cercado de bons amigos, mas os principais e mais antigos são Nick e Leah. O interessante é que eles não poderiam ser mais diferentes e ainda assim se dão muito bem: Nick é o garoto popular jogador de futebol e Leah é a nerd introvertida. Porém não é só isso que os define, e isso foi o que mais amei nos personagens em geral. Eles não seguem estereótipos. Não é porque Nick é popular que ele “esnoba” as pessoas, ou que ele não é inteligente. E não é porque Leah é introvertida e nerd que ela é esquisita.

O círculo de amizade de Simon é bem diverso e tem pessoas de diferentes personalidades e diferentes tipos físicos. Tem jogadores de futebol, meninas populares, as bonitas, as introvertidas, as mais gordinhas, os nerds, etc. E é interessante como a autora consegue juntar todos eles e quebrar com o padrão do que se espera em um YA que foca no Ensino médio – época em que sabemos que os jovens querem fazer parte do padrão.

Outro ponto que gostei é que a autora não descreve exatamente o tipo físico de cada personagem. Ela não apresenta um novo personagem dizendo: ele tem cabelos escuros, pele clara, porte atlético e olhos verdes. Não, ela descreve a personalidade, e casualmente joga os detalhes físicos. Por exemplo, só percebi que Abby era negra boas páginas depois de ela ter sido introduzida na história.

O fato é que a autora quis falar sobre padrões – e a quebra deles – nesse livro e faz isso também através das amizades de Simon, que não poderiam fazer parte de um grupo mais heterogêneo do que esse.

Além disso, é interessante como ela aborda a questão da aceitação por amigos. Como Simon se sentia mais a vontade de mostrar quem é para pessoas que não conhecia – ou conhecia pouco – do que pra quem conhecia a vida inteira. E acho que faz sentido, porque quando uma pessoa realmente nos conhece, é difícil revelar alguma coisa que pode mudar completamente a visão que ela tem de você. E o maior medo de Simon era esse, que seus amigos o vissem de uma maneira diferente simplesmente por sua orientação sexual.

Não vou me estender muito sobre essa questão da sair do armário para os amigos, pois não quero dar spoiler, mas adorei a forma como a autora abordou isso também, expondo os medos e anseios de Simon com relação a isso, e os problemas dos próprios amigos dele com essa revelação. Foi tudo muito crível e real, e extremamente bem pensado.

Esse é um detalhe que me fez refletir sobre minhas próprias amizades e o medo que tenho de revelar algo de mim que pode ser julgado – seja com relação a sexualidade ou qualquer outra coisa. É algo que todos nós temos: o medo de não sermos aceitos, ou de que apenas um fato sobre nós possa mudar toda a visão que as pessoas tem da gente.

No fundo, tudo que Simon queria era a compreensão de seus amigos, continuar com a amizade do mesmo jeito independente de sua orientação sexual. E não é o que todos queremos? Amigos que nos aceitem e nos compreendam do jeito que somos?

Sobre o autor
Larissa Gaigher

Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro
Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.



Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: