Nova-Ordem-capa-viagens-de-papel

AVALIAÇÃO: 4/5
EDITORA: SEGUINTE, CORTESIA
ISBN: 9788565765909
GÊNERO: DISTOPIA, FICÇÃO CIENTÍFICA, JOVEM ADULTO
PUBLICAÇÃO: 2015
PÁGINAS: 266
SKOOB

Atenção: Esta resenha pode conter spoilers dos volumes anteriores!

Nova Ordem é o segundo livro da série Mundo Novo, escrita pelo autor Chris Weitz e publicada no Brasil pela editora Seguinte. A série nos conta a história de um mundo pós-apocalíptico onde os adolescentes são os únicos sobreviventes de uma doença que dizimou grande parte da população. livro

Antes de começar essa resenha , preciso dizer que você deve pegar quase tudo o que o autor nos contou no início do primeiro livro e esquecer, pois como foi mostrado no fim do primeiro livro a história ganhou uma reviravolta gigantesca e agora nós estamos de frente a uma nova situação muito mais complicada.

Jefferson e seus companheiros que estavam presos sob o comando de um velho cientista que descobriu a Cura, acabaram sendo resgatados pela Marinha dos Estados Unidos (isso mesmo a Marinha que é formada por pessoas adultas). Então, nós assim como os personagens do livro, ficamos sem entender nada, pois até aí acreditávamos que todos os adultos haviam morrido com a doença não é mesmo?

Acontece que milhares de adultos conseguiram sobreviver a doença que aparentemente atacou mais os Estados Unidos. Os sobreviventes agora vivem espalhados em outros países, e o governo resolveu deixar os EUA em quarentena, ou seja, deixaram os adolescentes lá para morrer enquanto esperam a doença ser eliminada.

Nossos jovens heróis que agora estão com a Cura nas mãos, resolvem fugir das garras da Marinha para levar a Cura para os adolescentes condenados. Mas infelizmente como nem tudo são flores, Donna e Jefferson acabam se separando, pois a garota não consegue fugir com os garotos e acaba sendo mandada para Inglaterra.

A partir daí acompanhamos os pontos de vista de Donna e Jefferson que estão separados e lidando com situações completamente diferentes. Enquanto Donna descobre um mundo completamente novo, onde as pessoas quase nem se preocupam com a doença, Jefferson tem que lidar com escolhas difíceis, além de continuar lutando por sua sobrevivência.

“Eu queria acreditar que todos iriam abandonar suas armas e se abraçar, deixando de lado as questões da guerra e da coerção para voltar à maneira que viviam antes. Mas meu coração me disse que não seria tão bonito assim. Ele me disse que o novo contrato social seria escrito com sangue.”

Assim como no primeiro livro os capítulos se dividem entre as narrações de Donna e Jefferson, além de também possui uma leitura muito rápida e que nos entrega um turbilhão de emoções e sentimentos. Chris Weitz continua acertando no tom e na originalidade, enquanto muitas sagas acabam sendo extremamente parecidas, Mundo Novo ganha muitos pontos por ser original.

Apesar de eu ter gostado bastante dessa continuação, confesso que toda essa reviravolta me deixou muito perdida, e a falta de informações acaba incomodando bastante. A impressão que dá, é de que o autor quer nos colocar no lugar dos personagens para sentirmos tudo o que eles sentem, mas não é nada legal ficar sem entender algumas coisas.

Enfim, Nova Ordem é uma ótima continuação que só não foi excelente por ter pecado em não nos dar todas as informações que precisávamos.


Conheça os outros títulos da trilogia Mundo Novo:

1. Mundo Novo (2014)

2. Nova Ordem (2015)


Sobre o autor
Tayara Olmena Estudante que tomou gosto pela leitura aos 12 anos de idade depois que leu "A marca de uma lágrima" do escritor Pedro Bandeira. Costuma ler de tudo, mas ainda torce o nariz para o romance. Além de ler, também é viciada em séries e filmes, e não perde a oportunidade de maratonar sua série favorita.


Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

Comentários no Facebook