AVALIAÇÃO: 5/5 EDITORA: INTRÍNSECA/ CORTESIA ISBN: 9788580578928 GÊNERO: JOVEM ADULTO PÁGINAS: 272 PUBLICAÇÃO: 2016 SKOOB

AVALIAÇÃO: 5/5
EDITORA: INTRÍNSECA, CORTESIA
ISBN: 9788580578928
GÊNERO: JOVEM ADULTO, GLBT
PÁGINAS: 272
PUBLICAÇÃO: 2016
SKOOB

Simon é um garoto de 17 anos no Ensino Médio que está enfrentando vários conflitos em sua vida. Primeiro: ele é gay, mas ainda não se sente confortável de Sair do Armário. Não porque ele tenha medo de não ser aceito – na verdade ele sabe que sua família não veria problemas nisso -, o problema mesmo é ele não entender porque Sair do Armário tem que ser uma notícia de tamanha proporção, afinal héteros não precisam sair do armário, nem afirmar sua sexualidade.

Sua válvula de escape para a pressão que é Sair do Armário é amizade virtual que Simon firma com um desconhecido, apelidado de Blue. Ele o conheceu por uma postagem sobre homossexualidade no tumblr com que se identificou e a partir daí começaram a se corresponder por email. O fato é que Blue se tornou seu confidente, a única pessoa com que podia falar com liberdade sobre seus medos, anseios e sentimentos, e claro, sobre sua homossexualidade e tudo que isso implica – ainda mais considerando que são de uma cidade pequena e um tanto tradicional. A amizade dos dois vai se fortalecendo aos poucos, crescendo cada vez mais até passar pelo flerte e se tornar a relação apaixonante e cheia de incertezas que eles tem. O problema é justamente a insegurança de tornar tudo real demais, de se conhecerem cara a cara, ainda mais agora que Simon está sendo chantageado por Martin que viu seus emails e descobriu sobre Blue. Assim, entre tantos conflitos, é que embarcamos na vida de Simon, tão cheia de aflições, inseguranças e sentimentos conflitantes.

Simon vs a agenda Homo Sapiens é um dos livros mais fofos que li recentemente – arrisco até a dizer que é o mais fofo da vida. Por se tratar de uma temática mais delicada envolvendo a questão do homossexualismo, eu esperava algo mais denso, mas Beck me surpreendeu com a naturalidade com que tratou o assunto, com todo o preconceito que gira em torno disso, e ainda puxou um gancho pra falar sobre preconceito racial. Embora ainda seja um livro que traz reflexões, ele ainda é leve, divertido e envolvente da primeira a última página.

Amei a narrativa da autora, tão jovem e despretensiosa, e o modo leve como conduz a história e nos surpreende com o desfecho de tudo. Mas principalmente amei Simon e seu jeito único de ver o mundo. Simon representa todos os jovens, não por ser gay e ter que enfrentar os dilemas de sair ou não do armário, mas porque enfrenta todos os outros dilemas de ser um jovem no Ensino Médio. E esse é outro motivo pelo qual amei o livro: a autora não trata só da sexualidade, apesar de essa ser a essência do livro, mas fala do jovem em si, de tudo que tem que enfrentar, todas as dúvidas, inseguranças e conflitos, e tudo isso sendo sutil.

O livro intercala a narrativa de Simon com os emails trocados entre ele e Blue, e eu amo essa mescla, é um diferencial que permite termos uma visão mais ampla da relação deles e, claro, nos apaixonar por Blue. Amei a construção de Blue, de como ele se revela pelos emails e confesso que fiquei de boca aberta ao descobrir quem ele era. Aliás, a construção de todos os personagens é muito bem feita, são todos cativantes a seu modo e é incrível ver como a autora aborda as diferentes relações que eles tem com Simon, e como eles mesmos são diferentes e tem diferentes tipos de vida e família.

Não posso negar que o livro tem sua cota de clichês – não é novidade que o Ensino médio é uma fase de mudanças e dúvidas pra maioria das pessoas e esse é um tema constante em Jovens Adultos. Porém, o personagem e a narrativa da autora que torna tudo delicioso. A leitura é leve, aconchegante, divertida e tem seus pontos reflexivos, como deve ser. É um livro ótimo, envolvente e que dá aquele pontada no coração quando chega ao fim.

Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: