AVALIAÇÃO: 2,5/5 EDITORA: GERAÇÃO EDITORIAL, CORTESIA ISBN: 9788581301143 GÊNERO: ROMANCE ERÓTICO, ROMANCE, ADULTO PÁGINAS: 320 PUBLICAÇÃO: 2012 SKOOB

Mimi é uma jovem de 25 anos focada no trabalho e em seu noivo, com quem tem um relacionamento há 6 anos. Seu romance com Mark já caiu numa rotina, e por ser conservadora, qualquer coisa nova ou diferente já é rechaçada sem pensar duas vezes. Isso até conhecer Jake, típico mulherengo, que só pensa na próxima transa em que satisfará seus desejos peculiares. Mesmo não tendo nada em comum, Jake acaba despertando certa curiosidade em Mimi e a faz reavaliar seu relacionamento, percebendo que não é nada além de sem graça, o que só a faz se sentir mais atraída pela possibilidade de novas sensações.

Assim, quando Jake faz a proposta de Mimi assistir seus encontros sexuais e sadomasoquistas, ela aceita, afoita por conhecer esse novo lado tão proibido e ao mesmo tempo tão sensual. Porém, de repente todas as mulheres que se relacionaram com Jake, e que Mimi presenciou começam a desaparecer lançando um mistério no ar.

Narrado em primeira pessoa pelos pontos de vista de Mimi, Jake e um personagem misterioso, Algemas de seda nos leva por um passeio sensual, mas frustante em seu desenvolvimento. A narrativa do autor é bem envolvente, o que foi u ma das únicas coisas que me fez continuar a leitura. Mesmo a história não me agradando no geral, a narrativa bem estruturada do autor me fez continuar até o final. Inclusive, fiquei surpresa ao constatar que um homem conseguiu descrever tão bem as sensações de uma mulher que se depara nas situações que Mimi vivenciou.

Contudo, o fato de os capítulos mudarem de perspectiva sem aviso pode ser algo que deixe o leitor confuso no início, e já começa a desestimular a leitura. Isso, somado ao fato de que pelo menos em 60% do livro, só pulamos de uma cena de sexo a outra, deixa o leitor frustrado e procurando o que foi prometido na sinopse. O foco nas interações sexuais é tão grande, que personagens secundários mais importantes, como o noivo de Mimi, ficam completamente apagados. E o próprio pano de fundo acaba se tornando mal desenvolvido.

Não tem como negar, no entanto, que ao menos as cenas de sexo foram bem descritas. Apesar de se tratar de BDSM, que é algo mais pesado, senti certa sutileza no autor, algo que tornou tudo mais sensual ao invés de vulgar. A única coisa que senti falta foi um pouco mais de emoção nas cenas, mas acho que isso até condiz com o personagem, já que ele estava interessado apenas no lado carnal de suas relações.

O mistério prometido, porém, é quase nulo. Apesar de acompanharmos a mente psicopata desconhecida em alguns dos capítulos, o efeito que isso causa é anulado pela ignorância de Mimi sobre esse fato. Só no final do livro que tudo começa a acontecer e temos um pouco de suspense de verdade. Fiquei com a sensação de ter mudado de livro abruptamente. Uma hora tínhamos Mimi fazendo descobertas e encontrando um tipo de liberdade em Jake, para na outra termos um mistério com desaparecimentos súbitos. Foi um suspense com uma conclusão ainda mais frustrante que o resto do livro, já que o autor deixa tudo em aberto sobre o destino dos dois, nos obrigando a usar a imaginação para concluirmos como quisermos.

De maneira geral, Algemas de seda é um livro que promete muito e não cumpre nada. A história é fraca e mal desenvolvida, além de frustrante, e a única coisa que agrada mesmo é a narrativa, o modo como o autor descreveu a personagem feminina e suas sensações e as próprias cenas eróticas. A sinopse e a promessa de ser “mais intenso que 50 tons de cinza” só elevam nossas expectativas para então o livro nos decepcionar.


Conheça os outros títulos da Coleção Muito Prazer:

1. Algemas de seda (2012)

2. 50 versões de amor e prazer (2012)

3. Fantasias gêmeas (2013)

4. Redes sensuais (2013)


Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: