AVALIAÇÃO: 4/5 EDITORA: GALERA RECORD/CORTESIA ISBN: B01CO0F8W8 GÊNERO: NÃO-FICÇÃO PUBLICAÇÃO: 2016 PÁGINAS: 192´ SKOOB

AVALIAÇÃO: 4/5           EDITORA: GALERA RECORD, CORTESIA           ISBN: 9788501106216
GÊNERO: ROMANCE, NEW ADULT, SUSPENSE, JOVEM ADULTO PUBLICAÇÃO: 2016     PÁGINAS: 192´
SKOOB

Nunca jamais narra a história de Charlie e Silas, amigos de infância e namorados de longa data. Certa manhã ambos “acordam” no colégio sem nenhuma lembrança de quem são, sem reconhecer onde estão, quem são as pessoas a sua volta e sem reconhecer um ao outro. Não querendo expor sua condição sem antes ter uma noção do que está acontecendo, ambos “seguem a maré” e vão descobrindo pequenos fatos sobre si mesmos, suas famílias e seu relacionamento.

Narrado em primeira pessoa, a história transcorre com capítulos alternando a visão entre Silas e Charlie, de maneira que ficamos mais próximos dos protagonistas e entendemos melhor seus medos, emoções e pensamentos frente a situação incomum que estão vivendo. A intensidade já conhecida das obras de Colleen Hoover também está presente nesse livro, e assim como em suas outras narrativas, essa é fluida e envolvente, algo que não posso dizer com certeza de Tarryn Fisher, já que nunca li nada de sua autoria e não conseguir diferenciar um tom próprio dela em Nunca Jamais – algo positivo, considerando que as autoras estavam em grande sintonia com relação à história.

Porém, diferente dos New Adult tão costumeiros de Colleen Hoover, não é o romance e carga emocional pesada que nos ganha nesse livro, e sim o suspense e mistério que permeiam a trama e que nos mentém interessados nas respostas procuradas pelos protagonistas. São as inúmeras perguntas que surgem durante a leitura que mantém  o leitor curiosos e ávido por mais da história. 

Gostei muito de como a autora abordou o mistério e é bem interessante acompanharmos os personagens quando estão descobrindo coisas sobre a própria vida. É quase como se estivessem conhecendo outra pessoa completamente diferente, e agora que estão se redescobrindo, vão fazendo uma auto avaliação e percebendo coisas que gostam e não gostam sobre si mesmos. Esse confronto entre quem eram e quem são agora é algo muito interessante de acompanhar.

Apesar de todos esses pontos positivos, e de eu ter me envolvido profundamente com a história, a ponto de ter realizado a leitura em poucas horas, ainda não consigo dar um veredito e dizer se gostei ou não do livro. Isso simplesmente porque sinto como se tivesse parado no meio da história e não consigo avaliá-la sem saber o todo. O fato de Nunca jamais ter sido divido em três partes é frustrante, pois não é como algumas séries em que cada volume tem seu início, meio e fim, deixando algumas pontas soltas a serem resolvidas, e junto com os outros volumes formam uma história maior. Nunca jamais é o início da trama, sem um meio e uma conclusão, sendo essas partes pertencentes aos outros dois volumes a serem lançados. Dessa maneira, começo a questionar a necessidade de ter essa divisão em três partes.

De modo geral, gostei bastante desse primeiro volume, e as autoras conseguiram despertar minha curiosidade o suficiente para me manter interessada nos próximos. O único defeito, a meu ver, é o final frustrante, que interrompe a história no meio e nos deixa a ver navios. Por isso, aviso: se você for um leitor muito curioso espere os próximos lançamentos antes de começar, pois embora a história pareça boa, ela ainda não tem um final que permita avaliá-la por completo.


Sobre o autor
Larissa Gaigher Larissa Gaigher, 19 anos (12/06) – Rio de Janeiro Estudante de administração e química, leitora ávida e blogueira por paixão. Embarcou no mundo da literatura quando tinha 10 anos e nunca mais saiu de lá. Apaixonada também por música, séries e filmes. É uma geminiana típica, sempre faz muitas coisas ao mesmo tempo e muda de ideia várias vezes, tanto que não consegue definir um gênero favorito. Carioca da gema, tem 19 anos, adora uma boa praia, muita comida e diversão.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: