Avaliação: 3/5
Editora: Seguinte, Cortesia
ISBN: 9788565765947
Gênero: Distopia, Fantasia, Jovem Adulto
Páginas: 496
Publicação: 2016
Skoob

Espada de vidro, escrito pela autora Victoria Aveyard e publicado no Brasil pela Editora Seguinte, é o segundo volume da série A Rainha Vermelha, e vai nos contar a história de Mare Barrow, a garota elétrica. Depois de conseguir escapar das garras da rainha Elara e de Maven, Mare se encontra agora lutando ao lado da Guarda Escarlate.

Mare e Cal, o príncipe caído, estão vivendo uma situação em que qualquer passo que derem em falso, poderão voltar a ser prisioneiros de Maven. Mas eles não podem perder tempo tendo medo, pois uma guerra está prestes a começar, e graças à Julian, um dos únicos prateados em que Mare confia além de Cal, a garota possui uma lista repleta de nomes de outras pessoas que são iguais a ela, pessoas que possuem sangue vermelho e poderes prateados. A partir daí, Mare e seus companheiros de luta resolvem partir em busca dessas pessoas, que poderão se tornar guerreiros escarlates na guerra contra Maven e os prateados.

Narrado em primeira pessoa assim como no volume anterior, Espada de vidro é um livro de preparação e transição. Por este motivo a leitura pode se tornar um pouco mais lenta e carregada, mas este não é um grande problema, já que é necessário que tenhamos toda essa explicação. Os personagens estão prestes a iniciar uma grande guerra que mudará o mundo em que eles vivem, não tem como jogá-los em uma batalha sem o devido treinamento, então não espere uma leitura ágil e cheia de batalhas épicas, como dito o livro é muito mais teórico e estratégico.

Na maior parte da leitura temos a oportunidade de ver as outras faces dos personagens, nada é preto no branco e até nossa heroína possui um lado obscuro que é muito bem explorado na história. Nossa garota elétrica carrega nas costas o peso enorme da culpa, e apesar de todo o ódio que sente por Maven, ela não consegue esquecer o garoto que a encantou. E devido a toda essa culpa e confusão, Mare acaba se perdendo na linha entre o bem e o mal, e algumas das atitudes que ela toma nos faz pensar no que ela vai se tornar no final.

Infelizmente uma das coisas que mais me incomodou em A rainha vermelha, continuou me incomodando neste volume também. O livro é cheio de referências a outras séries, mas não é aquela referência sutil, é algo que fica bem claro. Toda a história de revolução, rebeldes, e uma protagonista que se culpa por todas as mortes causadas na guerra, me remeteu imediatamente a outra saga muito conhecida, e isso acabou me fazendo desanimar um pouco na leitura.

Mas apesar desse pequeno problema, no geral a história me agradou muito. A autora soube trabalhar muito bem os personagens, nos mostrando que eles não são só bonzinhos ou vilões, e a maneira com que ela concluiu este segundo livro também me animou muito, pois deixou um gancho maravilhoso para o terceiro livro, além de ter deixado aquele gostinho de quero mais.

Enfim, Espada de vidro tem potencial, só nos resta esperar e torcer para que a sequência tenha uma pegada mais original, e nos entregue a história épica que tanto esperamos.


Conheça os outros títulos da série A Rainha Vermelha:

1. A rainha vermelha (2015)

2. Espada de vidro (2016)

Sobre o autor
Tayara Olmena Estudante que tomou gosto pela leitura aos 12 anos de idade depois que leu "A marca de uma lágrima" do escritor Pedro Bandeira. Costuma ler de tudo, mas ainda torce o nariz para o romance. Além de ler, também é viciada em séries e filmes, e não perde a oportunidade de maratonar sua série favorita.


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: