Avaliação: 5/5
Editora: Galera Record
Gênero
: Fantasia
/Jovem Adulto
ISBN9788501401380
Publicação: 2013
Páginas: 392
Skoob

Celaena Sardothien é uma jovem de apenas 18 anos que se encontra nas minas de sal de Endovier, local para o qual eram mandados os piores criminosos do reino, a fim de serem escravizados e punidos por seus crimes. Depois de um ano no lugar ela é apenas uma sombra do que já foi: suja, fraca, e sem perspectiva de vida, ela já não pensa no futuro e só em sobreviver mais um dia.

 
Quando Dorian, o príncipe herdeiro, aparece com uma proposta arriscada que prevê sua liberdade em alguns anos, Celaena não precisa pensar nem duas vezes antes de aceitar. Sua liberdade valia qualquer sacrifício, mesmo que este fosse enfrentar outros 22 homens – desde ladrões à guerreiros e assassinos – numa competição perigosa e, caso saísse vitoriosa, se tornar a campeã do Rei de Adarlan por mais quatro anos, matando à serviço do governante do trono de vidro. Rei esse que foi responsável por banir a magia do reino, que pune impiedosamente as minorias rebeldes e que ordenou a morte de milhares de pessoas.
 
A premissa do livro Trono de Vidro, primeiro volume da trilogia de mesmo nome, por si só, já daria um prato cheio aos amantes da boa fantasia. Uma assassina habilidosa, um rei cruel e uma competição mortal já dá muita base para a história, mas a autora não se contentou com isso, ela foi além, inseriu elementos pra criar uma segunda história por trás da premissa principal, segunda história essa que já começa a traçar as linhas dos próximos livros da série. 
 
Sarah não ficou só na competição e na luta pela liberdade da assassina, como é, de fato, a premissa principal deste livro. Ela criou várias camadas entrelaçadas à esse plot, camadas regadas à magia, mitologia, a ação. O enredo tem seu começo, meio e fim durante esse primeiro livro, mas essas camadas secundárias abrem portas para uma maior exploração nos volumes seguintes. Elas deixam pequenas pontas soltas para serem exploradas pela autora, pontas soltas que eu estou mais do que ansiosa para saber onde vai dar!

A narrativa da autora é em terceira pessoa e com vários pontos de vista. O da Celaena é o principal, mas vez ou outra encontramos cenas narradas por Dorian, ou o capitão da guarda, Chaol. Além de ficarmos mais por dentro da história, obtendo um panorama geral do que está acontecendo com esse tipo de narrativa, a escrita da autora por si só já nos envolve a ponto de não largarmos o livro um minuto sequer. Ficamos sempre ávidos pelo próximo capítulo, o próximo acontecimento.

“Arobynn me dizia que o segundo lugar é apenas um título bonitinho para o primeiro perdedor.”

Os personagens são outro ponto desse fantástico livro. Cada um deles tem suas diversas camadas, que só vamos descobrindo aos poucos, durante o decorrer da história e conforme vão contracenando entre si, de modo que acabam nos ajudando a enxergar outras facetas de um mesmo personagem. Tenho que destacar que Celaena é uma das personagens badass que eu mais amei em tempos! Ela é inteligente, forte, sarcástica, ligeiramente arrogante, e não é aquela mocinha perfeita, ela tem seus pontos fracos, os quais vamos conhecendo ao longo da história. Os outros personagens, mais secundários também são muito bem desenvolvidos, embora  não sejam os principais. Cada um é carismático à sua maneira e enquanto passamos a amar alguns – Chaol *-* – outros nós odiamos com toda nossa força.
 
Além de tudo isso, para quem tem receio com relação às partes de ação ou ao romance, digo que a autora soube lidar com maestria nos dois casos. Não senti falta de ação, achei que teve o suficiente pra me manter ligada na história e me mostrar as habilidades extraordinárias de Celaena. E quanto ao romance, eu achei que foi tão sutil que ficou perfeito! Sim, tem romance, e nós percebemos claramente o clima, mas não é nada que se torne o foco da trama. A autora explora tudo na medida certa.
 
Resumindo: esse é um livro que vale SUPER a pena! Principalmente quando vamos sem saber exatamente onde estamos pisando, pois somos surpreendidos com a enormidade da história. Eu fui esperando uma fantasia legal, com um toque de magia, mas em troca fui brindada com um – senão o – dos melhores livros do ano.

“Bibliotecas estão cheias de ideias, talvez a mais perigosa e poderosa de todas as armas.”

O livro é sensacional e a autora soube levar bem a história, construindo um plot incrível que é finalizado no primeiro livro e já dando sugestões de um subplot para os próximos que nos deixam com um gostinho de quero mais na boa – na verdade um gostinho de estou desesperada por mais. A habilidade da autora de misturar diversos elementos – como a corte, assassinatos, tramas políticas, ação, magia, mitologia, conspiração, humor e romance – sem tornar o livro maçante ou com informação demais é algo a ser notado. Sem falar na protagonista que te conquista logo na primeira página e não te deixa mais largar o livro. 
 
Pra quem curte fantasia daquelas que te deixa de queixo caído, que te dá mais do que você esperava, que é tão habilmente construída, com um texto muito inteligente e personagens apaixonantes: esse é o livro pra você! Leia que não vai se arrepender. Mas dou apenas um aviso: tenha os próximos à mão pois você não vai aguentar o desespero e a ansiedade por mais!


Por Larissa Gaigher
Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: