segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Avaliação: 3/5
Editora: Best Seller/ Cortesia
Gênero: Biografia/ Memória
ISBN: 9788576849292
Publicação: 2015

Páginas: 250
Skoob
O livro A escolha de Yasmeena foi escrito pela americana Jean Sasson. A autora viveu no Oriente Médio durante 12 anos, onde testemunhou incontáveis confrontos, desde pequenas rebeliões a guerras. Sua obra teve como base depoimentos coletados de mulheres capturadas e torturadas pelos soldados iraquianos durante a Guerra do Golfo.
Yasmeena é o nome fictício dado pela autora a uma libanesa que sobreviveu aos horrores da guerra e aos abusos sexuais constantes. A partir dos depoimentos da jovem, alguns anos depois Jean Sasson decide reproduzir para o mundo sua história, as tristes lembranças de tudo que Yasmeena havia relatado.
Apesar de criada sob os costumes do Oriente, Yasmeena era independente, aos 21 anos optou por uma carreira em vez de seguir os passos das demais mulheres muçulmanas, tornou-se comissária de bordo. Com 23 anos, ela havia conquistado muitas amizades, o que possibilitava a troca de expedientes com as amigas. Assim, ela acabou substituindo uma delas no voo para cidade do Kuwait.
Em 2 de agosto de 1990, o Iraque invade o Kuwait, o povo resiste, mas o exército Kuaitiano foi rapidamente derrotado e Saddam incorpora o país ao território iraquiano. Yasmeena fica encurralada, impossibilitada de retornar para o Líbano, abrigada pela família de uma amiga. Desde então, vários conflitos armados se sucederam e a situação do país só piorava. Eram comuns os relatos de famílias tendo suas casas arrombadas e suas mulheres estupradas.

Ingênua, Yasmeena se meteu numa situação ainda mais complicada. Segura de si, acreditou que não sendo kuwaitiana não aconteceria nada com ela. Após detida pelos iraquianos, acabou sendo desviada para outro local, onde teve seu destino selado. Escolhida pelo capitão, tornou-se sua propriedade, a partir daí foi continuadamente estuprada. Junto dela havia outras moças sendo mantidas como escravas sexuais pelos soldados. Aquelas que não resistiam aos abusos eram rapidamente executadas.


As jovens cativas eram expostas diariamente a repedidas violações, desdes pequenas foram protegidas e preparadas para o casamento. Antes dos sequestros eram virgens e intactas, as sobreviventes foram consideradas culpadas pelo que houve. Algumas, inclusive, engravidaram de seus captores.

A história real que deu origem ao livro é impactante. Confesso que a escrita da Jean Sasson é fraca e pouco realista, os relatos não condizem com a descrição vívida dos fatos. Apesar do tema, não consegui visualizar o horror sentido pela personagem recriada pela autora, acredito que faltou emoção na leitura, minha opinião seria a mesma para uma obra meramente fictícia.

Por Patrícia Oliveira
Sobre o autor
Viagens de Papel O blog Viagens de Papel foi criado em 22 de janeiro de 2013 com o intuito de promover diálogo sobre literatura, paixão que todos os autores do projeto têm em comum. Através de resenhas, lançamentos, listas, dicas e variadas matérias, queremos que você sinta-se em casa e aprecie o conteúdo nosso conteúdo! =)


Deixe uma resposta

  1. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Oiii, é um livro que achei interessante, vamos se dizer, mas no momento não me causou aquela vontade louca de querer ler a obra. Gostei bastante da capa.
    Beijos
    segredosliterarios-oficial.blogspot.com

  2. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Hey, que capa bonita!
    Gosto de livros inspirados em fatos reais. E este já esta na minha lista!

    Beijinhoss…
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

  3. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    uma pena que uma história tão pesada foi desenvolvida de de forma tão rasa pela autora, confesso que estava bem empolgada pela resenha até a parte em que vc fala que não conseguiu uma visualização do drama vivido pela protagonista 🙁
    mas talvez eu ainda dê chance pra leitura, gosto de livros nessa temática…

  4. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Oi, tudo bem? Eu gosto muito de ler livros no período da guerra e a história é bem forte.
    Mas saber que a autora não soube explorar a narrativa e sendo bem fraca eu prefiro não ler no momento. Muito boa sua resenha.

    Beijos
    Leitora Sempre

  5. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Ainda estou inconformada, pois uma história tão abrangente e profunda foi escrita pela atora de uma forma tão fraca.
    Não senti vontade de lê-lo, mas adorei sua resenha.
    Beijos

    http://myself-here1.blogspot.com.br/

  6. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Olá, achei a premissa do livro super interessante, ainda teria vontade de lê-lo, mesmo a autora não lhe passando uma boa impressão sobre a sua escrita.

  7. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Eu não conhecia o livro, mas fiquei muito curiosa, é uma temática que chama atenção, mesmo você discorrendo sobre a falta de emoção.

  8. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Olá, tudo bem? Eu não li muitos livros livros baseados em fatos reais… e os que eu li, sempre tinha algo de "fantástico" no meio. Eu já não curti muito o enredo e saber que a autora não explora o horror… fiquei com menos vontade ainda. Gostei da sua resenha, bem escrito e você foi sincera. Parabéns.
    Beijos

    Academia Literária DF

  9. terça-feira, 29 de dezembro de 2015.

    Oi Patrícia,
    eu não conhecia o livro, mas que capa e que história.
    Confesso que não gosto de leituras do gênero, pois ler sobre abuso
    me faz sentir muito mal e me dá uma baita ressaca, por isso acabo evitando esse
    tipo de leitura. Foi uma pena que a autora não tenha sabido lidar com esse tipo de horror e tenha conseguido passa-lo da melhor forma ao leitor. Pois acredito que esse incomodo é o ponto principal para as leituras do gênero, pois é ele que leva o leitor a refletir.
    Gostei muito da sua resenha, beijos

  10. quinta-feira, 31 de dezembro de 2015.

    Olá Patricia! A capa por si só já chamou a minha atenção logo de cara e volta e meia estudo sobre o assunto, pois constumo estar sempre interessada em Direito Internacional e Direitos Humanos. Um pena que a narrativa não contribua para a exposição da história, mas irei acrescentá-lo a minha lista de leitura justamente por causa do assunto.

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

  11. sábado, 2 de janeiro de 2016.

    Oie
    Não conhecia o livro mas parece bem impactante mesmo por ser real e tudo mais, sua resenha ficou ótima e é uma boa dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

  12. quarta-feira, 6 de janeiro de 2016.

    Olá, que pena o livro não ser muito realista, imaginei que seria mais chocante por se tratar de um tema delicado.
    Angel Sakura
    http://www.euinsisto.com.br

  13. terça-feira, 12 de janeiro de 2016.

    Não é bem o que eu gosto de ler, de verdade. O enredo não me atraiu tanto, e é uma pena que a escrita não tenha feito jus ao livro.

    http://laoliphant.com.br/

  14. terça-feira, 12 de janeiro de 2016.

    Oi! Apesar da capa linda e do enredo forte, o livro não me conquistou, sabe? Mas um dia quem sabe eu leia? Valeu pela dica. Beijos.

    http://eicarolleia.blogspot.com.br/

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: